skip to Main Content
17 de fevereiro de 2020 | 12:56 am

O APOIO DE CÉSAR A WAGNER

Tempo de leitura: 2 minutos

Ary Carlos

Em comentários recentes em alguns blogs, afirmei que só um fato novo movimentaria as posições políticas na eleição majoritária da Bahia. E disse que este fato novo poderia ser o não apoio do senador César Borges a Jaques Wagner (fato dado como certo por todos; inclusive, o governador). Não que o senador seja um puxador de votos – não o é-, mas muito mais pelo fato político criado.
.
De objetivo muda, de imediato, o tempo de rádio e TV de Wagner e Geddel Vieira Lima. Se antes o placar era 11min a 05min para wagner, agora é de 09 a 07. Se levarmos em conta que os candidatos Paulo Souto, Geddel, Bassuma e o do PSOL são oposição a Wagner, poderemos ter aí um placar de 21 a 09min para a oposição.
.
A política de alianças posta em prática por Wagner visava aniquilar os adversários (palavras dele), para ganhar as eleições já no primeiro turno, sem depender dos humores incertos do pleito nacional – ou a desgastante negociação com o PMDB regional em um possível segundo turno aqui na Bahia.
.
A opção do senador Borges por Geddel passa aos indecisos a sensação de que nada está definido e abre para a oposição a perspectiva de união para um provável segundo turno, estancando, por ora, a debandada de lideranças políticas em direção à chapa governista, fato que ocorreria se saísse a união Borges/Wagner.

Na luta contra o PT, Wagner perdeu e o PT não ganhou.

Wagner sabia de tudo isso e se empenhou para fechar a aliança com o PR. Como se sabe, também ainda há por definir apoio para majoritária dos pequenos partidos. PRB, PSL, PSDC, PRP,PTC, PMN, PHS e PTdoB (PTN apoia Souto e PRTB a Geddel) podem acrescentar alguns segundos às coligações que apoiarem. São os chamados partidos redondos – ou seja, não tem lado, coligam-se onde obtiverem mais vantagens. São, digamos, pragmáticos.

Mas, no final, Wagner errou. Acreditou na história contada por Jonas Paulo que o PR estava isolado e, portanto, viria de qualquer jeito. As últimas declarações públicas de Wagner já transparecia isto. As outras lideranças do PT já tinham certeza. Houve salto alto. Subestimaram os adversários, velhas raposas políticas. Esta adesão de César a Geddeel tem ainda outro efeito colateral: aumentará o nível de exigência da base aliada.

Na luta contra o PT, Wagner perdeu e o PT não ganhou, pois a não-coligação proporcional com o PR não altera para melhor as pespectivas eleitorais do partido. E, digo mais, enfraquece a tese do presidente do partido de fazer várias coligações na proporcional.

Ary Carlos é historiador, pesquisador e dirige o instituto de pesquisas de opinião Inpei.
Esta publicação possui 16 comentários
  1. O comentário é parcial e demonstra a posição do mesmo, a imparcialidade é preceito básico para qualquer instituto de pesquisa ter credibilidade.

  2. A EMPRESA DA BAHIA ESTAR FAZENDO TEMPESTADE COM UM COPINHO DE ÁGUA.VÃO MORRE DE BRAÇOS DADOS.ESTÃO MORTOS POLITICAMENTE.O DESGARTE DE GEDDEL e BORGE FOI MUITO GRANDE.WAGNER VAI GANHA NO PRIMEIRO TURNO DENOVO.ELE SÓ TEM 4 ANOS DE GOVERNO, SE ELE FICAR MAIS 4ANOS. O CARLISMO ACABA EM TODA BAHIA.NÃO ADIANTA A EMPRESA FICAR BOTANDO MATERIA, PARA QUE NÓS PERCAMOS TEMPO EM LER.80% QUE VOTOR EM WAGNER VOTA DENOVO.

  3. COITADO DO GERALDO VASSOURINHA GENTE!… QUERER MEDIR FORÇAS COM O MINISTRO GEDDEL, FOI MUITA PRETENÇÃO. RESULTADO, PREJUDICOU O PT E WAGNER JÁ ESTÁ ASSANDO UMA BATATA BOA PRA ELE!

  4. Quem perdeu? Quem ganhou? Se é que alguém ganhou alguma coisa…

    Difícil saber agora. Ninguém está ciente do que se passa na cabeça do eleitor.

    Na eleição passada, o eleitor bahiano disse não ao carlismo/soutismo/borgismo. Como será agora?

    O fato é que muitos eleitores do PT e de Wagner não estavam aceitando a composição com o ex-carlista Borges.

    Vamos aguardar!

  5. Já disse aqui nesse espaço, eleição é como nuvens. O que de fato aconteceu nesse episódio, é que o pt, tem poucos que pensam politicas, e muitos aloprados e tontos. Ah! Inclusive no ambito nacional. Quem viver verá…!!! háháha

  6. A adesão de César Borges a Geddel revela que ele é um ex-carlista, portanto dificilmente num segundo turno ele apoiará Paulo Souto. Isso só ocorrerá caso Serra vença no primeiro turno e venha para o palanque carlista, desta forma com a “galinha morta”, Borges e Geddel podem engrossar o caldo da candidatura do DEM. Dito de outra forma, os quadros políticos estão procurando o melhor lugar na foto, como o PT gosta muito de secretarias, dificulta a coalisão com outras siglas, que também querem sua fatia do bolo. Restando tão somente a serem convidados para este banquete os partidos nanicos, que se contentam com as ossadas do manjá. No cômputo geral, acredito, ainda, que a arrancada de Dilma pode ser decisiva para a reeleição de Galego, porque aí meus amigos é só teclar 13 para presidente e 13 para governador e pronto, o chamado “voto casadinho” funciona e é decisivo numa população de maioria de analfabetos funcionais. Enfim, acho que o César não pesará nem para um lado nem para o outro, porque goza de pouco prestígio político!!!

  7. Zelão diz: – Essa doeu!

    E doeu fundo nos ambiciosos planos de Wagner, em garantir a reeleição, já no primeiro turno das eleições de outubro. Mesmo que a estratégia “wagneriana” não contasse com a ajuda dos votos que poderiam advir do “cacife político” de César Borges, a mesma se acentava na tática da divisão de forças das oposições. Foi assim que Wagner, com o apoio incondicional de Lula, e a ajuda do PMDB de Gedel, ganhou o poder na eleição passada.

    O pior de tudo, é que Wagner, deve estar fazendo a correta leitura, de que as eleições na Bahia, caminha para uma decisão em segundo turno, onde Wagner, se for dele uma das candidaturas na disputa, terá que enfrentar a união total das oposições, seja Paulo Souto ou Gedel o seu adversário, sem poder contar com a “mão amiga de Lula”, que estará muito ocupado em tentar reverter a diferença de Jose Serra sobre Dilma, no provável segundo turno das eleições presidenciais.

  8. Ary carlos, sempre lúcido, faz análises irretocáveis sobre a política baiana. O principal efeito deste entendimento será mesmo o grau de exigência da base aliada. O presidente regional do PT, Jonas paulo, figura desengonçada, vêm atrapalhando os entendimentos políticos; foi assim quando da eleição de Salvador. Agora o PP( Oton Alencar, Leão, Negrumonte, Roberto Brito e demais candidatos, não aceitarão posições radicais dos dirigentes deste partido. O PT sem os novos aliados, não passará de 42% dos votos válidos dos baianos.A minha impressão é que Paulo Souto e Geddel disputem a segunda colcação na casa dos 28%. Vamos esperar para ver. Viveremos fortes emoções. Abraço para Ary carls.

  9. ESSE LUIZINHO DEVE SER IGUAL A LAGARTA, TÁ COMENDO NA FOLHA.
    NA FOLHA DO ESTADO OU DE ALGUMA PREFEITURA PETISTA.
    ESSA CAMBADA QUE TÁ PENDURADA NO PODER PÚBLICO VAI TOMAR UM CHEGA PRA LÁ.

  10. Melhor perder a eleição sem Borges, do que ganhar com ele.
    Nós que NÃO dependemos, diretamente, das benesses dos governos, ficamos discutindo as picuinhas que esses profissionais criam.
    Não interessa ao povo as alianças ora propostas.
    Só interessa a eles. Exclusivamente.

    O Senador César Borges é um tira-votos. Quem tem consciência e memória não vota nele. 2001, greve das polícias, o estado caótico, invasão da Ufba e um governo subserviente a ACM.

    O Geddel é um filhote da ditadura. Acha que estamos vivendo na década de 1980.

    Senhores Geddel, Arthur Maia, Fernando Gomes, Lúcio Vieira, Maria Alice, Jacques Wagner, Geraldo Simões(há inúmeros, nominá-los inviabilizaria a blogosfera)… ACORDEM!!!

    Existem pessoas sensatas e inteligentes de olho em vocês e nas suas artimanhas e lambanças.

    Chega de políticos desonestos e incompetentes…

  11. EU NÃO ESTOU NA FOLHA NÃO MEU AMIGO.QUANDO ERA PRA EU ESTAR NA FOLHA AMIGÃO.ME PODARÃO.VOCÊ SABE QUEM ME PODOU?.MARIA ALICE,BITTAR,Dr.VIEIRA,LÉLÉU,MARCOS GOMES,PAI GILDO E OUTROS.ENTÃO SE ELES ESTIVEREM COM DEUS,EU ESTOU COM O DIABO.MAS COM ELES EU NÃO MACHO MAIS.

  12. Tão vomitando no prado que comeu. Geddel (ex-ministro de Lula) tem a vice governadoria do pt na Bahia, agora o rapaz não presta. Filhos dilmas purgas! háháhá

  13. Observem que o próprio PMDB (e os coligados), não gostaram do apoio anunciado.

    Acho que o feitiço vai virar contra o feitiçeiro. É só aguardar. Maria Luiza (esposa de João Henrique), já se pronunciou.

    Wagner irá continuar o processo de modernização do Estado e “tratamento melhor ao cidadão”. LUZ E ÁGUA PARA TODOS / TOPA / APARELHAMENTO E MODERNIZAÇÃO NO ÂMBITO DA POLÍCIA / NOVOS HOSPITAIS / RECUPERAÇÃO DOS HOSPITAIS EM ITABUNA / ASSISTÊNCIA AO PESSOA DA DENGUE, INCLUSIVE COM PESSOAS ORIUNDAS DE OUTROS PAÍSES (CADEIRAS EM TORNO DE 40 E CONFORTÁVEIS AINDA ENCONTRAM-SE NO HOSPITAL CALIXTO MIDLEJ, GERANDO CONFORTO PARA OS NECESSITADOS) / BOLSA/AUXÍLIA PARA QUALIFICAÇÃO DE POLICIAIS / NOVAS AMBULAÑCIAS / NOVAS VIATURAS, DENTRE OUTRAS AÇÕES…. E a principal: RESPEITO PARA COM TODOS, INDEPENDENTE DE PREFERÊNCIA PARTIDÁRIA……

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top