WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate


alba










abril 2010
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

editorias





itao






PRESIDENTE DO STF ESPERA INVESTIMENTOS NO SISTEMA CARCERÁRIO

Durante entrevista coletiva concedida neste sábado (17) em Salvador, onde participa da 12ª Conferência das Nações Unidas sobre Prevenção ao Crime e Justiça Penal, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, afirmou esperar para os próximos dias o anúncio de investimentos significativos do governo federal nos sistemas prisional e carcerário brasileiros.

Na condição de presidente também do Conselho Nacional de Justiça, Mendes declarou que este órgão estabeleceu como meta zerar o número de pessoas presas em delegacias de polícia.

“Nós estamos fazendo um grande esforço no sentido da transformação do nosso modelo prisional. Estamos celebrando parcerias, o Mutirão Carcerário é hoje uma realidade”, enfatizou o magistrado, na abertura dos trabalhos do “grupo de alto nível” da conferência.

1 resposta para “PRESIDENTE DO STF ESPERA INVESTIMENTOS NO SISTEMA CARCERÁRIO”

  • gibaII says:

    Este é realmente o “calcanhar de Aquiles”, não só do aparelho judicial mais de toda sociedade brasileira. O nosso Código Penal tem de ser revisto para que não aconteça barbaridades como no caso do maníaco que matou os garotos de Luisiania-Go ( solto, beneficiado pelo regime de progressão de pena). Uma das maiores queixas dos agentes públicos de segurança é sensação de impunidade que toma conta da sociedade: o policial prende o marginal hoje, no outro dia encontra o mesmo na rua, sorrindo, lépido, como se nada tivesse acontecido; essa sensação de impunidade, inclusive de menores infratores, tem deteriorado com rapidez o nosso “tecido social”.Sabemos que repressão sozinha não resolve, os críticos da repressão mais rigorosa se apressam em lembrar de sociedades onde existe pena de morte, mas não conseguem reduzir a criminalidade; mas, caros leitores, “entupir” penitênciarias de individuos que passam dias e dias em completa osciosidade, comendo,batendo papo, planejando novos crimes, enfim as penitenciarias brasiliras são verdadeiras “faculdades de criminosos” o individuo entre lá por roubar um celular, sai de lá especialista em tráfico, roubo a banco, etc., e o pior, sai com a sensação que o estado é “bonzinho”. Esses pessoas com dívidas com a sociedade tem que sentir na prisão, o peso da mão do estado, lógico que com respeito a dignidade da pessoa humana, apesar de muitos deles parecerem não-humanos. Trabalhar para pagar sua estadía, para sustentar seus familiares, abandonados cá fora e, muitas vezes,na iminência de entrarem na criminalidade e fazerem companhia ao parente preso. A penintênciaria não pode ser encarada pelo preso como hotel,albergue, casa de repouso; não pode ser também encarada como lixão, depósito de entulho humano, como parecem a maioria delas no nosso país. Deve ser antes de mais nada uma instituição para punir e corrigir. Vontade politica, falta, infelizmente. Um modelo prisional onde cada penitenciaria fosse em parte auto-sustentável, o preso deveria trabalhar para sua própria manutenção; prisões com atividades agrícolas, longe dos centros urbanos, do sinal de telefonia celular, onde o individuo pudesse entender a frase “com o suor do teu rosto comerás o teu pão”. Quem sabe um dia….

Deixe seu comentário








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia