WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: 7/abr/2011 . 19:00

ÁRVORE CAI SOBRE CARROS E MOTOS EM ILHÉUS

Caminhonete S10 foi um dos cinco veículos atingidos pela árvore

Uma árvore desabou sobre dois carros (um Corsa e uma picape Chevrolet S10) e três motocicletas no início da tarde desta quinta-feira, 07, em Ilhéus. O incidente ocorreu na Avenida Dois de Julho, imediações do espaço cultural Bataclan, onde os veículos se encontravam estacionados.

Comerciantes da área afirmaram que há bastante tempo a árvore dava sinais de fragilidade e de que poderia cair a qualquer momento. O impacto causou danos em todos os cinco veículos, cujos proprietários ameaçam acionar o governo na justiça para obter o ressarcimento.

Felizmente, nenhuma pessoa foi atingida.

O MASSACRE NO RIO

A polícia identificou até agora oito dos 11 mortos na tragédia ocorrida nessa manhã de quinta-feira (7) na escola Tasso da Silveira, no Rio de Janeiro.

1- Karine Chagas de Oliveira, 14 anos
2- Rafael Pereira da Silva, 14 anos
3- Milena dos Santos Nascimento, 14 anos
4- Mariana Rocha de Souza, 12 anos
5- Larissa dos Santos Atanázio, (aguardando documento)
6- Bianca Rocha Tavares, 13 anos
7- Luiza Paula da Silveira, 14 anos
8- Laryssa Silva Martins, 13 anos

Arte do G1 explica como se desenvolveu o massacre. Wellington Menezes de Oliveira matou 11 crianças e adolescentes, alunos da escola. Após os disparos fatais e ser atingido na perna por um policial, Wellington tirou a própria vida. Clique para ampliar.

NA ÁREA DO CONFLITO

O secretário da Justiça e Direitos Humanos da Bahia, Almiro Sena, esteve hoje reunido com agricultores e índios de etnia tupinambá no sul da Bahia. A visita à região visa distender o clima na disputa por terras no sul da Bahia. São 43,7 mil hectares disputados pelos tupinambás e pequenos produtores.

Aos índios tupinambás, Almiro disse o seu papel como secretário é tentar solução que não prejudique nem uma comunidade nem outra. “Vim aqui para parar essa guerra”, disse, durante encontro com os indígenas na Serra do Padeiro, entre os municípios de Una e Buerarema. Os tupinambás ainda pediram apoio ao secretário para o projeto de implantação de uma universidade indígena na área antes pertencente à Unacau.

Almiro diante de Cacique Babau: solução para conflito (Foto Elio Almeida).

DOCENTES ACUSAM REITOR DA UESC DE BOICOTE À GREVE

A reitoria da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) removeu portões dos acessos à instituição e acabou criando uma polêmica. Os portões da guarita foram retirados nesta quinta-feira (7) “para manutenção”, só que um dia antes da greve dos professores.

Para a Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Adusc), o “sumiço” faz parte de uma estratégia da reitoria para boicotar o movimento grevista. A associação fez um vídeo para relatar a situação da universidade, que já sofreu ataques de bandidos há mais de um ano. A greve foi aprovada em assembleia realizada ontem à tarde (relembre aqui).

 

O reitor Joaquim Bastos não foi encontrado para comentar o caso, mas a vice-reitora Adélia Pinheiro disse ao PIMENTA que a remoção estava programada pela Pro-Reitoria Administrativa (Proad). “Em hipótese alguma seria boicote, até porque a reitoria também é formada por docentes. Nós entendemos que a greve é um instrumento que a classe trabalhadora tem [para reivindicar]“.

A vice-reitora ainda enfatizou a participação de Joaquim Bastos na assembleia de ontem à tarde, quando os professores decidiram pela greve. Bastos falou aos professores sobre as ações da reitoria e do Fórum de Reitores, num último lance para sensibilizar os docentes a não paralisar as atividades.

Adélia informou ao PIMENTA que a reitoria aguarda, por parte da Adusc, a oficialização da greve. Amanhã, os funcionários da instituição também promovem assembleia para decidir se, também, cruzam os braços.

Atualizado às 17h02min

O NOVO (E FAMINTO) PC DO B

Octávio Costa | Revista Istoé

Até agora, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) não digeriu a nomeação do ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, para o comando da Autoridade Pública Olímpica (APO), que retirou do Ministério do Esporte o bilionário orçamento da Olimpíada de 2016.

Na briga pela manutenção de seu espaço no governo Dilma Rousseff, os comunistas batem o pé pelo controle da área do esporte. A irritação é tal que dirigentes do PCdoB ameaçam abandonar a base aliada, da qual fazem parte desde a primeira campanha presidencial de Lula em 1989.

Se no passado, movido por questões ideológicas, lutou pela criação de uma sociedade igualitária e chegou a promover a guerrilha rural contra a ditadura militar, o partido agora se empenha por questões bem mais comezinhas, como cargos no segundo escalão de ministérios e estatais. Mas continua a confiar que está no rumo certo. “Temos que nos defender”, diz o presidente do PCdoB, Renato Rabelo. Ele resiste à ideia de perder poder na Esplanada e diz que as negociações ainda não terminaram. “Nós mostramos à presidente Dilma Rousseff o papel que tivemos no governo Lula. Ela que julgue”, afirma Rabelo.

Assim que foi eleita, Dilma, durante a transição, fez contato com a cúpula comunista e sugeriu que o Ministério do Esporte fosse ocupado por uma mulher, seguindo o plano de ter maior representatividade feminina em seu governo.

O nome mais cotado era o da deputada federal Manuela D’Ávila (RS), política jovem com carisma e grande apelo junto ao movimento estudantil. Mas a sugestão foi vetada por Rabelo, sob o argumento de que pretende lançar Manuela como candidata à Prefeitura de Porto Alegre, em 2012. Dilma pensou então em Luciana Santos, prefeita de Olinda por dois mandatos e a primeira comunista a governar uma cidade no País.

Mas Rabelo também se recusou a liberá-la e insistiu na permanência de Orlando Silva na esperança de que mais à frente o ministro fosse indicado para ocupar a presidência da APO. Queria matar dois coelhos com uma cajadada só, com o Orlando na APO e outro apadrinhado no Esporte. E o resultado foi que o PCdoB teve de engolir o nome de Henrique Meirelles. E, se entornar o caldo, pode ficar de mãos abanando.

Embora tenha dado errado, a estratégia de Rabelo revela, com todas as cores, o pragmatismo abraçado pela cúpula comunista nos últimos anos. O mesmo realismo político que fez com que o deputado federal Aldo Rebelo (SP) seja defensor intransigente do novo Código Florestal, defendido pela bancada que representa os grandes latifundiários brasileiros. As bandeiras continuam vermelhas, trazem a foice e o martelo, mas os objetivos dos comunistas ficam bem mais rasos. Quanto mais pragmático é o PCdoB, mais se distancia de suas origens.

Para o sociólogo Anatólio Julião, a adaptação significou a aquisição de vícios tradicionais. “O PCdoB passou a fazer concessões para disputar eleições, a utilizar os mesmos mecanismos para arrecadação de recursos e agora enfrenta os mesmos problemas de outras legendas”, afirma Julião, filho de Francisco Julião, fundador das Ligas Camponesas.

Leia na íntegra

A VIA-CRÚCIS DE UM APOSENTADO

Um cidadão foi à agência do Bradesco da Avenida do Cinquentenário, nesta quarta-feira, 06, para receber pela primeira vez os seus proventos de aposentado e abrir conta para os recebimentos seguintes.

O sujeito pegou uma fila para se informar, outra para efetuar o saque e uma terceira para cadastrar uma nova conta. Já indignado depois de quase duas horas de espera, o aposentado conseguiu falar com um funcionário e lhe informou que não pretendia movimentar conta no Bradesco. Ainda assim, foi recomendado a um quarto atendente, que em tese deveria solicitar um cartão magnético apenas para que o cliente pudesse receber seus proventos todo mês.

Esgotado, o pobre aposentado quis saber se teria que esperar mais duas horas em outra fila para pedir o cartão. Deram-lhe qualquer resposta com desinteresse e ele suportou mais meia hora de castigo, até não aguentar mais.

A vítima do mau-atendimento foi embora sem solicitar o cartão e preocupada com o novo sofrimento que terá de enfrentar no próximo mês.

 

MORTES EM MASSACRE NO RIO CHEGAM A 11

Madrinha de aluna morta chora no massacre no Rio de Janeiro (Foto Wânia Corredo/O Globo).

Dez meninas e um menino foram mortos no massacre ocorrido nesta manhã de quinta-feira (7) na escola municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio de Janeiro, conforme o secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes. Os tiros foram disparados pelo ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, 23, que atirou contra a própria cabeça após ter sido baleado na perna por um sargento da PM.

O atirador entrou na escola e já no primeiro andar da escola, usou duas armas para deflagrar tiros contra 40 alunos da oitava série, que estavam em sala de aula. A maioria das vítimas feridas é do sexo feminino. São dez meninas e três meninos, segundo a polícia.

Uma irmã adotiva do atirador, de prenome Roselane, disse que Wellingont era “muito ligado ao Islamismo” e passava a maior parte do tempo em frente ao computador. A irmã falou à Rádio Band News-RJ. Ainda de acordo com a irmã, Wellington não tinha amigos,  quase não saía de casa e falava “desse negócio de muçulmano”.

A escola Tasso da Silveira ficará fechada por tempo indeterminado, de acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública. A presidenta Dilma Rousseff chorou ao ser informada e ao falar do massacre durante uma solenidade em Brasília do Programa do Empreendedor Individual. Ela decretou luto oficial de três dias por causa da morte e destacou que esse tipo de crime não é, não era característica do Brasil.

NÉO CORREIA – CARTÕES CORPORATIVOS

POLÍCIA PRENDE TRÊS VEREADORES ACUSADOS DO ASSASSINATO DE COLEGA

Ronaldo, Jonas e Louro de Mô: acusados de assassinato (Montagem Pimenta/ Fotos RF Notícias).

A polícia civil prendeu por volta das 5h desta quinta-feira (7), em Caém, três vereadores acusados de mandar matar um colega. O homicídio ocorreu no dia 1º de dezembro do ano passado. João de Souza dos Reis, João de Quinho, foi assassinado dois meses depois de eleito para presidir a Câmara de Vereadores de Caém. O município fica localizado no centro-norte da Bahia.

Os vereadores Jonas Pereira, o Jotapê, “Louro de Mô” e Ronaldo Oliveira são acusados de encomendar a morte do colega de legislatura. O trio acusado do assassinato foi levado para o Complexo Policial de Jacobina. Quatro homens acusados de executar João de Quinho também foram presos pela polícia. Com informações do RF Notícias.

ACIDENTE MATA ESTUDANTE ITABUNENSE

Danilo Cardoso morreu em acidente.

Um acidente ocorrido na noite desta quarta-feira, 6, no quilômetro 934 da BR-101, município de Mucuri, extremo-sul da Bahia, matou o estudante itabunense Danilo Cardoso Teixeira, de 19 anos.

Danilo estava na picape Toyota Hilux, placa JSO-4841, que capotou depois que o motorista perdeu o controle do veículo. No momento, chovia bastante na região, o que pode ter contribuído para o acidente.

Segundo a Polícia Rodoviária, quem estava na direção era Roger Sábrio Soares, de 20 anos, que foi encaminhado para o hospital em estado grave.

ELEIÇÃO NO CONSELHO DE SAÚDE DE ITABUNA

Os 24 membros do Conselho Municipal de Saúde de Itabuna (CMSI) elegem nesta quinta-feira (7), às 17h30min, a nova direção da instância de fiscalização e orientação da área de saúde pública. A eleição do conselho é realizada a cada biênio e sempre no dia 7 de abril, como reza a Lei 1749, de 1997. O pleito ocorre na sala de reuniões do CMSI, no centro de saúde José Maria de Magalhães Neto, antigo Sesp, no centro.

O governo tenta manobrar para jogar o pleito para outra data, pois não teria um nome para fazer frente ao da atual presidenta do Conselho, Maria das Graças Souza, nem indicações suficientes para compor uma chapa.

A tendência é de reeleição da atual presidenta, Maria das Graças, que é indicação do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde de Itabuna (Sintesi) mas teve atuação em que deu espaço e voz a todos os segmentos do conselho.

A dirigente aumentou o seu cacife dentro do conselho após resistir às pressões do governo para que o órgão de fiscalização da saúde quebrasse procedimentos e aprovasse, “na tora”, o retorno da municipalização da saúde (Gestão Plena). Até o final da tarde de ontem, o governo tentava seduzir setores do PCdoB para tentar encontrar um nome para o enfrentamento com a presidenta e candidata à reeleição.

DOAÇÃO DE SANGUE: ITACARÉ CONTINUA EM CAMPANHA

Após coletar cerca de 100 bolsas de sangue no último dia 2, em uma campanha de incentivo às doações que conta com o apoio do Rotary Clube, a Secretaria da Saúde de Itacaré prossegue com a campanha neste sábado, 9, das 8 às 16 horas, dessa vez no distrito de Taboquinhas. Um posto de coleta será instalado no centro administrativo da comunidade.

As bolsas são destinadas à Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus, que atende a população de Itacaré e de outros municípios circunvizinhos.

 

HOMICÍDIO NO BAIRRO PONTALZINHO

 

O desespero da mãe da vítima

O desempregado Jederson Santos Souza, de 29 anos, foi assassinado com vários tiros por volta das 7 horas da manhã. O crime aconteceu nas imediações da rua Bartolomeu Mariano, na entrada do bairro Pontalzinho, em Itabuna.

Neste momento, peritos da Polícia Civil realizam o levantamento cadavérico. Ainda não se sabe os motivos do crime nem há pistas do autor.

O jornalista Daniel Thame registrou o desespero da mãe da vítima, Veridiana Gomes dos Santos, 57.

NAZAL: “PRETENSÃO DE ITABUNA É ILEGÍTIMA”

Nazal: "daqui a pouco vão querer tomar nossas praias"

O chefe de gabinete da Prefeitura de Ilhéus, José Nazal Soub, disse na manhã desta quinta-feira, 07, no programa Alerta Geral, apresentado por Gil Gomes na rádio Santa Cruz, que a pretensão de Itabuna pela área onde funcionam os supermercados Makro e Atacadão, é “ilegítima”.

Nazal participou ontem de uma reunião na Comissão de Emancipação e Territorialidade da Assembleia Legislativa da Bahia, onde a disputa territorial entre Ilhéus e Itabuna foi discutida. Também participou o secretário da Administração de Itabuna, Maurício Athayde.

Na audiência na Assembleia, Athayde teria dito que a área onde estão os supermercados deve ser incorporada a Itabuna, porque é este município que atende moradores da região em disputa com serviços públicos nas áreas de saúde e educação. Além disso, segundo o secretário, “Itabuna precisa crescer”.

Este último argumento, em particular, é considerado indevido pelo chefe de gabinete da Prefeitura de Ilhéus, que ainda assim teme que a Assembleia Legislativa decida pela incorporação da área ao território itabunense. “É a Assembleia que decide, mas se vier uma lei que tire a área de Ilhéus, nós vamos brigar na justiça”, declarou Nazal.

O ilheense disse ainda que “se formos ceder um pedaço de nosso território a cada vez que Itabuna disser que precisa crescer, daqui a pouco eles vão  ser donos de nossas praias”.

Leia mais sobre a polêmica:

A “DUREZA” DA AGERBA

INDIANA JONES E O MARCO PERDIDO

OS TABARÉUS NA BATALHA DE QUIRICÓS

O MARCO DA INTERROGAÇÃO ENTRE ILHÉUS E ITABUNA

ACABOU A POLÊMICA: ENCONTRADO MARCO QUE DEFINE ATACADÃO E MAKRO EM ILHÉUS

PREFEITOS DIALOGAM SOBRE “ZONA DE CONFLITO”

 








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia