WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










novembro 2011
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

editorias






:: 8/nov/2011 . 23:48

MALAS PRONTAS

Zunzum no governo aponta para a saída do secretário de Saúde de Itabuna, Geraldo Magela, ainda nesta semana. O substituto já estaria escolhido há mais de uma semana. A avaliação dentro do governo é que Magela comprou brigas desnecessárias (e perdeu todas) e pouco ou nada acrescentou à Pasta.

O prazo de validade vence nesta quinta, 10.

POR FORA

A presidente da Fundação Itabunense Cultura e Cidadania (Ficc) ainda não conseguiu estabelecer uma agenda de trabalho nem consolidar um diálogo com a turma da cena cultural. Sandra Ramalho, a presidente, aparenta estar pouco à vontade no cargo e era esse o comentário que mais se ouvia nesta segunda-feira, 7, durante a apresentação do filme Capitães da Areia para imprensa e convidados no Centro de Cultura Adonias Filho. Estava lá a neta do escritor Jorge Amado, Cecília.

Quando o evento já ia longe, a titular da Ficc chegou atrasada. Por infelicidade, tropeçou e por pouco não desabou em cima da jornalista Maria Antonieta, a Tonet, que se livrou do “atropelamento” com um rápido e providencial jogo de corpo.

Desde a posse no cargo, em agosto, esta foi a primeira vez que a presidente de fato conseguiu chamar atenção.

EMPATE DEIXA VITÓRIA FORA DO G-4

O Vitória empatou com o Americana, em São Paulo, e ficou fora do G-4 da Série B. Viu o Bragantino ultrapassá-lo em número de pontos (55 a 54). O rubro-negro baiano agora é quinto colocado e terá que suar para fazer o máximo de pontos nas últimas três rodadas do campeonato, além de torcer por tropeços do quarto colocado e da Ponte Preta, que tem 59.

O Vitória jogará contra o Criciúma, às 16h20min, sábado (12). Os dois últimos jogos do rubro-negro na Série B 2011 serão contra o São Caetano (dia 19, no Barradão) e ASA-AL (dia 26, em Maceió (AL).

CANDIDATURA HOMOLOGADA

Valter Silva disputará a eleição na chapa 2, com o título "Renovação com Mudança"

A comissão que coordena a eleição para a reitoria da Uesc acatou por maioria o recurso interposto pelo professor Valter Silva, candidato ao cargo de reitor. Nesta segunda-feira, 7, Silva teve o registro de candidatura impugnado por não ter cumprido um dos requisitos previstos no regulamento interno (leia aqui).

De acordo com edital de julgamento publicado nesta terça pela universidade, o candidato regularizou “o defeito verificado” no pedido de registro da candidatura. Foi voto vencido na decisão o membro Tiago Pascoal dos Santos, que votou pela rejeição do recurso.

O mesmo edital informa que o número da chapa formada pelos professores Adélia Pinheiro e Evandro Sena Freire participará da eleição com o número 1 e o nome “Universidade com Excelência”. A chapa de Valter Silva e Mayana Brandão terá o número 2 e o nome “Renovação com Mudança”

CAE APROVA AUTONOMIA ORÇAMENTÁRIA PARA DEFENSORIAS

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou nesta terça-feira, 8, por unanimidade, o projeto de lei que assegura autonomia às defensorias públicas estaduais. A proposta separa, do orçamento do poder executivo estadual,  destinado ao pagamento de pessoal das defensorias, as receitas destinadas ao pagamento do pessoal das defensorias.

A defensora geral da Bahia, Célia Padilha, articulou com senadores a aprovação do projeto na CAE.

“VASSOURA-DE-BRUXA”: JUSTIÇA BLOQUEIA BENS DE PREFEITO DE IBIRATAIA

Jorge Abdon: bens bloqueados.

A Justiça Federal bloqueou bens do prefeito de Ibirataia, Jorge Abdon (DEM), um dos indiciados na Vassoura-de-bruxa, operação deflagrada pela Polícia Federal em dezembro de 2008.  Abdon foi processado por improbidade administrativa e desvio de R$ 1,2 milhão do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) em 2006 e 2007.

A decisão também atinge a esposa do prefeito, Leila Rodrigues Fair, a ex-secretária de Educação, Maria Emília Brito, e o ex-secretário de Finanças, Joaquim Rodrigues Filho. O ex-tesoureiro Izac Brito Santos e o chefe do setor de Recursos Humanos, Evaldo dos Reis Batista, também tiveram bens bloqueados. A ação foi movida pela Procuradoria da República em Jequié.

Os desvios foram constatados pela Controladoria-Geral da União (CGU). Apurou-se que o grupo utilizava diversos mecanismos para roubar os cofres públicos, como “simulação de pagamentos a professores e empresas, mediante a interposição de recibos e notas fiscais falsas”. O dinheiro, segundo a investigação, ia para o bolso do prefeito e de terceiros.

A ação do MPF foi proposta em junho deste ano e verificou, também, a realização de despesas “sem qualquer comprovação do seu destino, movimentação de recursos do Fundeb para contas diferentes da vinculada ao fundo” e descumprimento da norma que obriga o gestor a aplicar 60% dos recursos do Fundeb no pagamento de salário do profissional do magistério.

A POLÍCIA E A AGILIDADE DO TRÁFICO

Reportagem de Lauro Moraes, da TV Santa Cruz, exibida nesta segunda, contabiliza os mortos em dois meses de uma guerra desenfreada do tráfico e da escalada da violência: 26 mortos em dois meses. Corte na matéria, retorno para entrevista com a delegada Katiana Amorim, da 2ª DP, que revela: existem apenas cinco agentes de investigação para dar conta de toda a região situada à margem direita do Rio Cachoeira (onde estão localizados cerca de 20 bairros e aproximadamente 80 mil habitantes).

Na mesma entrevista, a delegada revelou que o combate ao tráfico adotou tática que dificulta a apreensão de armas e drogas: alugam casas por cinco, sete dias, apenas para guardar os “bagulhos”. A saída é reforçar as equipes de inteligência. Mas, como já dito, faltam investigadores. É dose!

O DESTINO DE EVA CHIAVON

Sócrates Santana | soulsocrates@gmail.com

O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano.

O governador Jaques Wagner não costuma dar nó em pingo de água à toa. O ingresso da ex-secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, ao Ministério do Planejamento, desencadeia uma espiral no tabuleiro político baiano, mas, principalmente, brasileiro. No primeiro plano, o prelúdio de uma reforma administrativa na Bahia. No segundo, o uso de uma cortina de fumaça para esconder as reais intenções do PT paulista para disputar a prefeitura de Santo André.

Por um ano, convivi com o governador dos baianos e pude notar que Wagner, às vezes, como no jogo de xadrez, expõe a rainha para criar mais alternativas, mas, principalmente, preservar o rei. Se por um lado, a pequena Eva Chiavon vira uma subalterna da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, por outro, assume a coordenação do PAC, mas, especialmente, é a primeira da lista para comandar o ministério, caso Belchior, concorra às eleições de 2012 para a prefeitura de Santo André.

Com a proximidade das eleições municipais, nenhuma alternativa é descartada. No caso de São Paulo, a possibilidade de manter acesa às chances da viúva do ex-prefeito Celso Daniel, a ministra Miriam Belchior, de disputar uma das três cabeças do ABC paulista. No caso da Bahia, o senso de oportunidade de quem abre mão da sua principal secretária para participar do núcleo central do governo Dilma Rousseff.

É um olho na missa, outro no padre. Afinal de contas, ninguém é insubstituível. Saiu José Dirceu assumiu a mulher que seria sucessora do presidente Lula. O exemplo, hoje, serve para ambos os lados: Wagner e Dilma. O governador possui muitas obras federais de impacto estrutural no governo baiano. A Ferrovia Oeste-Leste, Porto Sul, Copa 2014, metrô de Salvador, a duplicação da BR 101 e dezenas de obras de saneamento básico ancoradas no PAC.

É verdade que o deputado estadual e pré-candidato à prefeitura de Santo André, Carlos Grana (PT/SP), anunciou a desistência da ministra do Planejamento. Mas, também é verdade de que ninguém ouviu nada de Miriam Belchior. A política é dinâmica para quem acompanha a dinâmica dela. Até por que, esconder o jogo também faz parte.

Sócrates Santana é jornalista.

DIRETORA DE “CAPITÃES DA AREIA”, NETA DE JORGE AMADO LAMENTA FALTA DE CINEMA EM ITABUNA

Cecília ladeada pelos jovens que fazem o papel de Professor, Dora e Pedro Bala (Foto Pimenta).

A cineasta Cecília Amado lamentou ontem (7) o fato da centenária Itabuna, do escritor Jorge Amado, seu avô, não contar com sequer uma sala de projeção. A diretora de Capitães da Areia veio ao município participar de uma sessão especial do filme, para convidados no Centro de Cultura Adonias Filho, numa promoção da patrocinadora Bahiagás.

“Não há sala de cinema aqui [em Itabuna], mas no que eu puder, vou estar junto com o poder público para que isso se reverta”, disse, diante do presidente da Bahiagás, o itabunense Davidson Magalhães. O último cinema de Itabuna, o Starplex, fechou em 2010 com as obras de expansão do Shopping Jequitibá. A promessa do centro de compras é que novas salas serão inauguradas ao final do primeiro semestre de 2012.

“Deixar a cultura viva e ativa é a minha missão como herdeira de Jorge Amado”. E foi nessa linha que a diretora e a Bahiagás – principal patrocinadora do filme no estado – definiram pela sessão especial em Itabuna. “Vamos, mesmo improvisando [um espaço de exibição de Capitães…], levar o filme que é um novo olhar sobre Jorge e sua obra e, mais que tudo, estimular jovens artistas em qualquer área e em qualquer lugar da Bahia, principalmente aqui em Itabuna, terra de Jorge, a criar e a olhar o povo da sua terra com o olhar que ele tinha”.

Cecília diz que a diferença não está nas histórias, mas na forma como ela é contada pelo escritor itabunense. “Ele tinha um olhar generoso com o seu povo. Que esse filme e os projetos que virão para homenagear Jorge Amado sirvam para mexer e estimular os jovens a criar e religar as suas origens”.

Foi a primeira vez que Cecília esteve em Itabuna. Emocionada, falou das origens da família Amado, do centenário do escritor itabunense e avô e do processo de seleção dos atores de Capitães da Areia. O elenco foi escolhido entre 1.200 jovens de 22 projetos sociais tocados na região metropolitana de Salvador.

MOTORISTAS EM LUTO

Ônibus circulam em Ilhéus com fitas pretas desde ontem. No domingo, 6, faleceu em serviço o motorista Domingos Rodrigues, de 42 anos, possivelmente vítima de infarto.

O repórter Luk Rei, que divulgou primeiro a notícia na rádio Santa Cruz,  afirmou que a falta de primeiros-socorros contribuiu para a morte do trabalhador.

OPÇÃO PELA MENTIRA

Publicado no Sarrafo:

A oposição ao Porto Sul transpira arrogância e falta com a verdade em grande parte de seus argumentos contra o projeto do Governo Baiano. Para completar, preenche lacunas com achismos travestidos de verdades absolutas, palpites fantasiados de postulados científicos. É a aposta na ignorância que justifica a expectativa de encontrar terreno fértil para tanta baboseira.

Para o mestre-sala dessa escola de samba sem enredo, a construção do porto é incompatível com a indústria do turismo e o soerguimento da cacauicultura. Incompatível por que, cara pálida? Se portos semelhantes convivem com o turismo em outras cidades turísticas, como em Recife-PE e Mangaratiba-RJ, por que não pode ocorrer o mesmo em São Jorge dos Ilhéus? Falta explicar também porque um complexo portuário circunscrito numa área de 2.200 hectares dizimará a secular cultura do cacau? Vai forçar a barra assim lá no raio que o parta!

Os profetas do apocalipse fazem o jogo do quanto pior melhor. “Ignoram” a redução da poligonal do porto, de 4.800 para 2.200 hectares, somente para manter o discurso de que uma área maior será utilizada pelo empreendimento. Fingem não saber que, conforme compromisso protocolado junto ao Ibama, o Governo do Estado retirou da poligonal comunidades como as do Valão e Itariri, que passam a ser entorno do projeto. O melhor, para os arautos do terror, é dizer que o porto acabará com Ilhéus, com o cacau, com o turismo, quiçá com o mundo todo.

Se o Governo da Bahia, juntamente com o Incra e de forma negociada, busca uma nova área para os pequenos agricultores, inclusive já havendo 12 fazendas em análise, não importa. As medidas mitigadoras para os impactos na linha costa também são insignificantes para essa turma, que faz opção por ignorar o que atenua, beneficia, favorece, para não comprometer seu projeto de filme arrasa-quarteirão.

Falar que o Porto Sul servirá apenas para o escoamento de minério é outra opção dos opositores, desconsiderando a dimensão do empreendimento e sua importância para a economia baiana como um todo. Combina mais com o roteiro da história de terror idealizada por quem nunca produziu nada para Ilhéus e agora quer posar de dono da verdade. Isto quando não tem nada a oferecer, além de mentira.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia