Uma mensagem espalhada pelo Whatsapp assustou itabunenses nos últimos dias. Ela informa que um grupo de falsos profissionais de saúde estaria oferecendo exames rápidos de sangue na região central da cidade. Os testes (baratinhos) seriam pretexto para contaminar as vítimas com o vírus da Aids, o HIV, por meio de agulhadas “inocentes”.

Verdade ou não, fica uma pergunta: quem é que se arrisca a fazer exames de saúde de qualquer tipo na rua?