GVT pode ser adquirida pela Telefônica/Vivo (Foto Luciano da Mata/A Tarde).

GVT pode ser adquirida pela Telefônica/Vivo (Foto Luciano da Mata/A Tarde).

O presidente da Telefônica/Vivo, Antônio Carlos Valente, disse nesta terça-feira (2), estar otimista com relação à possibilidade da compra da GVT ser aprovada, sem maiores questionamentos, pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Segundo ele, a GVT tem uma forte operação fora do Estado de São Paulo, onde haveria sobreposição de licenças com a Telefônica.

“Já em São Paulo, a GVT não está em muitas cidades e, nos municípios onde a empresa atua, existem muitos concorrentes. Esse conjunto nos dá certo otimismo de que a operação é boa e não teria grandes constrangimentos concorrenciais”, avaliou Valente.

Quando a operação foi anunciada, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, chegou a dizer que as empresas não poderiam fundir suas operações no Estado de São Paulo, justamente pelo fato da Telefônica ser concessionária do serviço de telefonia fixa no Estado.

Valente lembrou que o negócio só será protocolado junto aos órgãos reguladores após o prazo que a francesa Vivendi tem para avaliar a proposta da Telefônica, que é de 90 dias.

Leia mais n´A Tarde