Aécio ao lado do prefeito de Salvador (Foto Luiz Fernando Teixeira/Bahia Notícias).

Aécio ao lado do prefeito de Salvador, ACM Neto (Foto Luiz Fernando Teixeira/Bahia Notícias).

Do Bahia Notícias

O presidenciável Aécio Neves falou rapidamente com a imprensa ao chegar com quase uma hora de atraso em Salvador nesta sexta-feira (17), antes da caminhada no centro da cidade. Ao lado do prefeito da capital, ACM Neto (DEM), dos ex-candidatos Paulo Souto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB) e Eliana Calmon (PSB) e de deputados eleitos, o senador de Minas Gerais agradeceu ao apoio que recebeu no município, e o que recebeu após o primeiro turno, como o do PSB.

De acordo com Aécio, sua vinda a Salvador servirá para reiterar o projeto Nordeste Forte, que pretende finalizar todas as obras em andamento na região, melhorar a qualidade da educação e diminuir o número de homicídios em oito anos – o que reafirma a sua intenção de extinguir a reeleição apenas em 2022.

O candidato comentou que ficou “triste” após o debate desta quinta (16), no SBT, porque sua concorrente, Dilma Rousseff (PT), teria insistido em focar no passado e em ofensas pessoais a ele mesmo, “como já havia feito com Eduardo Campos e Marina Silva”, e que ele está pronto para “pronto para debater o futuro”.

PROPINA TUCANA

Aécio desconversou sobre o depoimento do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, de que teria pago propina ao ex-presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, durante a CPI que investigou a empresa em 2009. “Não conhecia esse depoimento, soube dele ontem durante o debate”, disse o ex-governador de Minas Gerais. De acordo com ele, a menção de sua adversária ao fato serve para demonstrar que ela está dando crédito às investigações da CPMI.