empregoDo Valor

A taxa de formalização do trabalho cresceu mais entre homens do que entre mulheres no período 2000-2010. A constatação foi feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ao analisar os resultados do Censo Demográfico 2010, divulgado nesta sexta-feira.

O estudo mostrou que a taxa de formalização dos homens subiu de 50% em 2000 para 59,2% em 2010. No mesmo período, a taxa entre as mulheres passou de 51,3% para 57,9%.

Com isso, a formalização média no país subiu de 50,5% 2000 para 58,6% em 2010. A formalização é a proporção, entre os ocupados, das pessoas com carteira de trabalho assinada, militares, funcionários públicos e os trabalhadores por conta própria e empregadores que contribuem para a previdência social.

O IBGE observou que a proporção de carteira de trabalho assinada aumentou em ambos os gêneros, mas o crescimento foi maior entre os homens. Em 2000, 36,5% da população ocupada masculina tinham carteira assinada, proporção que subiu para 46,5% em 2010. Nesses dez anos, a proporção de mulheres com carteira assinada subiu de 32,7% para 39,8%.