Teatro foi reformado e abriga programação da Felita (Foto Ricardo Mascarenhas).

Teatro foi reformado e abriga programação da Felita (Foto Ricardo Mascarenhas).

roberto jose
Itabuna não possui teatro e ficou ainda pior com a reforma interminável (e paralisada há mais de um ano!) do Centro de Cultura Adonias Filho, no Jardim do Ó. A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc) tentou assumir o espaço cultural, mas recebeu negativa do governo baiano.

Agora, parece surgir uma luz.

O presidente da fundação, Roberto José da Silva, negocia com a Ação Fraternal de Itabuna (AFI) para que o Teatro Amélia Amado seja reaberto para eventos culturais. A proposta inicial tem à frente a própria Ficc. As conversas estão avançadas com a direção do colégio.

Até o próximo domingo, o teatro recebe programação da Feira Literária de Itabuna (Felita). O evento é realizado na AFI e foi aberto ontem à noite com bate-papo com grandes nomes da literatura regional. Hoje, os escritores Jorge Araujo, Paloma Amado e Aleilton Fonseca falam da feira e de literatura às 9h30min, numa coletiva à imprensa.