Informações dos bastidores políticos soteropolitanos dão conta de que o governador Rui Costa realmente não aceitará a “bigamia” pedetista. Ontem, o PDT divulgou documento no qual confirma a disposição de se manter aliado tanto do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), quanto do governador baiano, que é do PT. A decisão foi referendada pelo presidente nacional da legenda, Carlos Luppi.

Segundo fonte do PIMENTA, houve pressões do próprio PDT, tendo à frente o deputado estadual Marcelo Nilo, contra a simultânea participação pedetista nos governos da Bahia e de Salvador. Na divisão interna do partido, Nilo se opõe ao deputado federal Félix Mendonça Júnior.

A primeira consequência da rejeição de Rui à decisão do PDT deverá ser a exoneração de Fernanda Mendonça (prima de Félix) do cargo de secretária da Agricultura.