Tarcísio manteve dois assessores, um deles ouvidor-geral.

Tarcísio manteve dois assessores, um deles ouvidor-geral.

Os dois intérpretes de línguas contratados pela Câmara de Vereadores de Ilhéus foram exonerados na segunda (1º). Antonio Carlos Oliveira de Aquino e Cristiane de Almeida Silva não eram vistos trabalhando em sessões do legislativo.

As exonerações foram publicadas no Diário Oficial da Câmara ontem (3), uma semana depois de matéria no Pimenta revelar que quatro servidores ganhavam sem trabalhar. As razões iam de falta de espaço para exercer a função a não comparecimento regular à sede da Câmara.

Outros dois servidores, no entanto, não foram exonerados pelo presidente da Câmara, Tarcísio Paixão. Hernani Figueiredo Oliveira Santos, nomeado como assessor da Ouvidoria Geral com salário de R$ 3.024,00, nunca foi visto na Casa. A ouvidoria não dispõe nem de telefone.

Nomeada como chefe da telefonia, Kleide Ribeiro Figueiredo é desconhecida dos servidores do legislativo. O blog apurou que ela reside no Salobrinho, base eleitoral do vereador Tarcísio Paixão. Kleide passou a frequentar a Câmrara nesta semana, após a denúncia. “Ela fica lá, das 9h às 12h. Não tem sala nem telefone para ela”, explicou dois dos funcionários ouvidos.