Foto aérea da região central de Itabuna com o Cachoeira em destaque (Foto Pedro Augusto).

Foto aérea da região central de Itabuna com o Cachoeira em destaque (Foto Pedro Augusto).

O juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Itabuna, Ulisses Maynard Salgado, concedeu autorização à prefeitura para combater focos do mosquito Aedes aegypti em imóveis fechados ou desabitados. O magistrado acatou ação do Ministério Público estadual (MP-BA), provocado pela Secretaria de Saúde do município. O Aedes aegypti é o transmissor de chikungunya, vírus zika e dengue.

Os agentes de combate a endemias serão acompanhados por chaveiros e pela Polícia Militar, sempre, quando for executar o serviço em imóveis vazios ou fechados ou até mesmo naqueles em que o dono se negar a permitir o acesso do profissional de saúde. Para isso, também apresentará alvará judicial com a autorização.

– Não haverá prejuízos para os donos de imóveis, pois as fechaduras serão recolocadas após inspeção, limpeza e tratamento de com possíveis focos de larvas – afirmou o secretário da Saúde, Paulo Bicalho

FORÇA-TAREFA

Paulo Bicalho voltou a lembrar da atual gravidade da situação do Aedes aegypti no município com o aumento de casos da zika vírus, chigunkunya e dengue. O secretário destaca que esta é mais uma estratégia na luta para por fim ao mosquito, que se transformou no inimigo da população em geral.

– Estamos programando uma mega campanha de conscientização e mobilização da população, faxinaço visando descobrir e eliminar focos de larvas e o combate propriamente dito do mosquito adulto – disse Bicalho.