WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






maio 2016
D S T Q Q S S
« abr   jun »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias

itao




O QUE FIZEMOS COM O CACHOEIRA…

Situação do Rio Cachoeira numa área onde a Emasa consegue captar água a cada 12 horas, em Nova Ferradas.

Situação do Rio Cachoeira em trecho a 300 metros da estação de captação de Nova Ferradas.

Tristeza é o sentimento de quem vê a situação do Rio Cachoeira, em Itabuna, nas imediações da unidade de captação de Nova Ferradas. Onde antes se captava, em média, 250 litros por segundo, hoje é possível retirar não mais que 60 litros por segundo, por 12 horas, e com igual intervalo.

O trecho está praticamente seco, com pequenos poços de onde a Emasa ainda retira água (por meio de transposição) para abastecer bairros da zona oeste do município. Não se sabe até quando vai dar…

Com a seca de mais de nove meses, a região perdeu 80% de sua reserva de água. Além de Itabuna, outros municípios, como Itajuípe, Camacan e Ilhéus também enfrentam racionamento. No curto prazo, não há muito o que fazer, além de esperar a chuva.

Infelizmente, em vários trechos o velho Cachoeira vai ficando cada vez menos parecido com um rio. Para quem o conheceu em outros tempos, é realmente de chorar.

6 respostas para “O QUE FIZEMOS COM O CACHOEIRA…”

  • JORGE says:

    …E no trecho na zona urbana de Itabuna o Cachoeiro é esgoto à céu aberto.

  • Poço de João Alves ou Poço da Canoa,lá na Fazenda Maravilha, banhada pelo Rio do Almada,carinhosamente apelidado de Rio da Maravilha ou Rio do Braça,outrora poço
    caudaloso,torrencial na minha infância.

    Décadas de 6O e 7O a largura do poço era de 8OO metros de água e no meio encobria 3 homens um em cima do outro, bons tempos de infância e adolescências-se tomava banho,pescava e lavava roupa era dias de festas e pra atravessar o Rio ou o Poço de João Alves,só de Canoa,a mesma sempre imponente, poderosa negra sobre o flúmen do mesmo.

    Além de ser uma fonte inesgotável de peixe,pitu,camarão,até robalo se pescava neste santuário natural que ao imaginário seria impossível um dia este belíssimo
    cenário indelével ser transformado.

    Há uns 6 messes estive lá,o que vi é esta fotografia acima, filete de água,cuja
    largura 2O metros e cumprimento do Rio e em toda extensão um deserto que retrata
    que um dia este local foi um Rio e em outro local nem isso lembra.

    A Negra imponente já não estava lá,o gramado ao redor do poço já não estava lá,
    nem o próprio poço já não estava lá,porém,lá estava,crianças e suas mamães pescando e se banhando nos filetes de água que um dia foi torrencial.

    O que vi,lembrando dos meus tempos de criança e adolescência,mim deu vontade de chorar de não encontrar o que deixei do meu passado no lugar que vivi os meus dias mais felizes da minha vida. Doce Fazenda Maravilha.

  • Walter Sousa says:

    Prezados. Realmente é uma tristeza ver nosso rio Cachoeira desse jeito.Meu pai que ja é falecido, sempre me contava que ali nas proximidades da Mangabinha, próximo a ponte de acesso ao são Caetano, ele quando rapaz não só tomava banho como pescava muito, segundo ele conseguia pescar o peixe piau e o robalo, além de outras espécies existente que até pouco tempo ainda era fonte de renda de muitas famílias. Mas, infelizmente com o crescimento não só de Itabuna mas das cidades vizinhas o nível de degradação do Cachoeira foi de tal forma que hoje estamos vivendo essa situação. O desmatamento é um dos grande vilões desse desastre, pois destrói seus afluentes, provoca assoreamento, diminui a capacidade de retenção da água no solo, pois as árvores e suas raízes tem esse papel fundamental de liberar a água aos poucos e dessa forma o rio é alimentado constantemente, ficando mais tempo com seu nível estável, diferente do que acontece agora, o rio enche muito rápido e da mesma forma seca também muito rápido, devido justamente a falta desse filtro que as matas ciliares fazem. Além dessa degradação ambiental o cachoeira ainda serve de “vaso sanitário” para as dezenas de municípios que estão acima de Itabuna, onde todo esgoto sanitário é despejado sem nenhum tratamento. Será que as prefeituras nunca tiveram condições de tratarem seus efluentes? será que profissionais competentes nunca fizeram planos de proteção aos mananciais? ou foi simplesmente falta de vontade política, pois esgotamento sanitário são “obras enterradas”e o povo não “enxerga”. Tenho uma certeza, não foi por falta de dinheiro porque o nosso país é muito rico.. Fica a reflexão
    Abraço.

  • wilson says:

    a destruição dos mananciais é uma conseguencia da atitude natural do bicho homem: se autodestruir.

  • Dailton Gomes says:

    Isso ai nada mais é dos anos e anos de descaso do poder público,só enganando a população,

  • Marcus Habib says:

    A PERGUNTA É:O QUE DEIXAMOS DE FAZER PELO CACHOEIRA ?

Deixe seu comentário



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia