WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





dezembro 2016
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: 11/dez/2016 . 19:48

VAI TER BA-VI NA ELITE

Bahia e Vitória se enfrentarão na elite do Nacional em 2017 (Foto Gabriela Simões-Esporte em Rede).

Bahia e Vitória se enfrentarão na elite do Nacional em 2017 (Foto Gabriela Simões-Esporte em Rede).

A rodada deste final de semana da Série A deu fim à agonia que rondava o futebol baiano. Após o Bahia subir para a elite do Nacional, hoje o Vitória se manteve na Série A, mesmo perdendo para o Palmeiras, por 1 a 2, no Barradão. A ameaça era o Inter, que acabou caindo para a Série B pela primeira vez em sua história. Empatou com o Fluminense (1 a 1).

APONTADO COMO “POLO” POR EXECUTIVO DA ODEBRECHT, WAGNER DIZ QUE DELAÇÃO É “REPLETA DE INVERDADES”

Wagner diz que delação é repleta de inverdades (Foto Antonio Cruz/A.Brasil-Arquivo).

Wagner diz que delação é repleta de inverdades (Foto Antonio Cruz/A.Brasil-Arquivo).

Após ser apontado como recebedor de presente caro e mais de R$ 7 milhões em doações eleitorais da Odebrecht, o ex-governador Jaques Wagner rompeu o silêncio. Sem entrar em detalhes, o também membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social  da Bahia (Codes), classificou a delação de Cláudio Mello Filho como “repleta de inverdades”

Ainda por meio de sua assessoria, Wagner disse ter estranhado “o conteúdo e a divulgação de uma delação que nem homologada foi pela autoridade competente, que é o Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Jaques Wagner afirmou ter mantido relacionamento com Claudio Mello e com qualquer representante de outras empresas “sempre norteados na defesa dos interesses” do estado da Bahia. “Estou absolutamente tranquilo porque não houve qualquer ato ilícito. Vou  defender de forma intransigente o completo esclarecimento dos fatos porque a sociedade tem o direito de conhecer a verdade”, concluiu o ex-governador, que atualmente é coordenador executivo do Codes.

BANDEIRA BRANCA NA ARENA

marianaferreiraMariana Ferreira | [email protected]

Seguimos observadores da banalização e espetacularização da violência dentro daquilo que deveria ser o seu antídoto, o esporte. A educação talvez um dia mude esse padrão e modifique o leque de palavras e comportamentos.

Há cinco anos escrevi um artigo acadêmico que analisava a banalização da violência nos esportes de massa pela imprensa esportiva. Hoje, no período de luto pela equipe da Chapecoense, a solidariedade, que moveu dezenas de clubes no apoio ao time catarinense e milhões de pessoas pelo mundo se declarando suas torcedoras, parecia estabelecer-se, enfim, nesse universo esportivo. As torcidas organizadas poderiam, agora, ser menos gladiadoras? A imprensa passaria a ser mais zelosa na linguagem? Os clubes seriam menos beligerantes?

Somente as dez maiores torcidas de futebol do Brasil possuem juntas mais de 120,8 milhões de torcedores – a população nacional é de aproximadamente 206,8 milhões de habitantes. As agremiações como um todo possuem torcidas organizadas com verdadeiros espíritos de guerra, que transformam estádios e ruas em arenas medievais para agredir os oponentes até o limite da vida. O país é campeão no número de mortes de torcedores por conflitos entre torcidas organizadas. Foram nove mortes esse ano e outras seis estão sendo investigadas por possível elo com o futebol.

O futebol, em particular, como é o assunto que mais mobiliza a massa brasileira, é tratado com alta prioridade pelos veículos de diferentes plataformas. É importante que cada um reavalie seu papel nesse cenário; afinal, vale a pena oferecer a emoção de um combate ao torcedor/espectador, utilizando de linguagem bélica, com forte influência e banalização da violência? O esporte não deveria ser uma fuga da violência? Por vezes, quando escrevia para a editoria de esportes do Jornal Agora, essa reflexão se fazia presente.

:: LEIA MAIS »

QUATRO PESSOAS MORREM EM BATIDA DE CARRO E CAMINHÃO

Acidente provocou quatro mortes.

Acidente provocou quatro mortes.

Quatro pessoas morreram durante um acidente na manhã deste domingo (11) na BR-101, próximo ao município de Gandu. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as vítimas estavam em um carro de passeio que por volta das 5h50 da manhã bateu em um caminhão que transportava combustível e vinha na direção contrária, no quilômetro 366 da rodovia.

Ainda de acordo com a PRF, os passageiros do veículo não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Já o motorista do caminhão não sofreu ferimentos. Ele seguia da cidade de Itabuna para Candeias e foi levado para a delegacia de Gandu para prestar depoimento. A pista precisou ser interditada, mas o fluxo de veículos foi normalizado no final da manhã. Do Correio.

DELATADO, TEMER CONVOCA REUNIÃO DE ÚLTIMA HORA

Temer é um dos delatados por ex-executivo da Odebrecht.

Temer é um dos delatados por ex-executivo da Odebrecht.

O presidente Michel Temer vai se reunir hoje (11) com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, no Palácio do Jaburu, em Brasília. A reunião, que não estava prevista na agenda, foi marcada depois da divulgação do conteúdo da delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho pela mídia. O presidente Michel Temer retornou de São Paulo para Brasília nesta tarde.

A reunião foi confirmada pela assessoria do ministro Padilha, que não soube precisar se outros outros ministros e líderes da base do governo no Congresso também participarão.

Veículos de comunicação noticiaram neste fim de semana que a delação de Melo Filho teria citado o presidente Temer,  Padilha, o ex-ministro do Planejamento, senador Romero Jucá, e o ex-secretário de Governo, Geddel Vieira Lima como receptores de propina. Todos negam as acusações. De acordo com as reportagens, ao todo 51 políticos de 11 partidos teriam recebido propina da Odebrecht.

O encontro também se dá num período que antecede votações importantes no Congresso. Entre elas está a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que estabelece um teto de gastos públicos e está em discussão no plenário do Senado;  a reforma da previdência (PEC 247), que foi enviada ao Congresso na semana passada, e a aprovação do orçamento de 2017. A expectativa é que todos esses debates avancem no Congresso antes do recesso parlamentar, com início em 23 de dezembro. Da Agência Brasil.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia