Messias Aguiar ao ser preso em outubro do ano passado (Polícia Militar).

Messias Aguiar ao ser preso em outubro passado (Polícia Militar).

A primeira sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Ubaitaba chamou a atenção da mídia estadual. Nada a ver com projetos. As atenções estavam voltadas para um vereador em especial: Messias Aguiar (PMDB).

Até a última sexta-feira (10), Aguiar era hóspede do Presídio de Valença. Dia 3 de outubro do ano passado, menos de 24 horas após ser confirmado como segundo mais votado e vereador eleito, Aguiar foi preso com 272 quilos de drogas.

Ontem, Aguiar não quis comentar sobre a prisão. O advogado do vereador, Rogério Andrade, diz que o cliente nega ser o dono da droga. Caso não consiga provar sua inocência e seja condenado, Messias Aguiar pode perder o mandato. Na semana passada, ao obter a liberdade, Aguiar foi recebido com festa em Ubaitaba.