Sul da Bahia sofreu mais forte seca dos últimos 70 anos.

Sul da Bahia sofreu mais forte seca dos últimos 70 anos.

Passados 15 meses de encerrada a mais séria seca dos últimos 70 anos no sul da Bahia, o assunto volta a ser tema de debates no Painel do Clima, nesta segunda-feira (5), Dia Mundial do Meio Ambiente. O painel está abrindo a programação científica do III Encontro Baiano de Agrossilvicultura (EBSAGS), no auditório da FTC Itabuna.

Durante todo o dia de hoje, sete conferencistas abordam as alterações climáticas no sul da Bahia e no mundo. A região, maior produtora de cacau do país até o ano passado, enfrentou seca que perdurou por mais de um ano – julho de 2015 a outubro de 2016 -, com grandes perdas nas lavouras de cacau e fruticultura, além da pecuária e do grande impacto no setor industrial.

O Painel do Clima – Simpósio sobre Mudanças Climáticas contará com intervenções de pesquisadores que vão abordar temas como “Mudanças Climáticas na Região Cacaueira da Bahia”, “Públicas em Mudanças Climáticas”, “Políticas Públicas para a Crise Hídrica Regional”. Dentre os pesquisadores, destacam-se o doutor André Franco (Colostate, Estados Unidos) e Haron Xaud, da Embrapa.

Na parte da tarde, o tema continua com abordagens do doutor José Geraldo dos Reis, da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia, enquanto o jornalista e especialista em meio ambiente Rogério Ruschel – R&A fala de Marketing Territorial. Toda a programação pode ser conferida no site www.ebsags.com.br.

A terceira edição do EBSAGS também vai discutir questões relativas à Mata Atlântica por ser a lavoura cacaueira responsável por sua manutenção nos cerca de 250 anos, desde que a implantação do cacau em 1746, na Fazenda Cubículo, em Canavieiras. O III Encontro Baiano de Sistemas Agrossilviculturais é uma realização da Ceplac, Fundação Pau Brasil, Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais (SBAF), Grupo de Pesquisas em Conservação Produtiva, Instituto Biofábrica de Cacau e Sebrae.

Contando com o apoio da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), Governo da Bahia, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), Prefeitura de Itabuna, Biosementes – Plantando Soluções, CAPES, Módulo Rural, Professional Clean, Instituto Chocolatte, CDAC- Centro de Desenvolvimento Agroambiental e Cidadania, ECOM Interágricola, Instituto das Águas – Espaço Cidadão, AMURC, Secretaria da Agricultura, Irrigação, Pesca e Aquicultura da Bahia (Seagri) – Plano ABC e Gráfica Mesquita.