WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
beergarden sind sefaz


jamile_yamaha

sintesi17

junho 2017
D S T Q Q S S
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

editorias

itao vog torres do sul ftc

PCdoB PRESSIONA POR UMA DAS VAGAS AO SENADO NA CHAPA DE RUI COSTA

pc do bO PCdoB mandou aviso ao governador Rui Costa, nesta segunda (19): quer uma das duas vagas ao Senado Federal em 2018. E, para isso, apresentou três nomes: os deputados federais Alice Portugal e Daniel Almeida e o ex-prefeito de Juazeiro Isaac Carvalho.

Dirigente estadual do PCdoB, Davidson Magalhães recorre à “expressiva inserção do partido nos movimentos sociais, por ter três mandatos na Assembleia Legislativa e três na Câmara Federal, além do PCdoB estar alinhado com o projeto desde os primeiros enfrentamentos ao carlismo” para pressionar Rui Costa.

Para reforçar a conta para 2018, Davidson lembra as votações obtidas por Alice e Daniel em 2018 e o fato de Isaac ter sido reeleito em 2012 e ter feito o sucessor, ano passado, na Prefeitura de Juazeiro, uma das dez maiores do Estado.

Davidson nem mesmo esqueceu do sempre questionado Instituto Paraná, que, em pesquisa recente, apontou Alice Portugal como a segunda em intenções de voto na corrida ao Senado. Alice aparece com 26% das intenções, enquanto o líder, Jaques Wagner (PT), ex-governador baiano, figura com 36%.

O documento elaborado na reunião do conselho, hoje, também fala em assegurar as três vagas na Câmara Federal e quatro na Assembleia Legislativa. Outra prioridade é a reeleição de Rui Costa. O partido, porém nada fala sobre o cenário nacional. Há dias recuados, como diria o analista Eduardo Anunciação, Davidson disse que era legítimo ao partido ter outro nome que não o de Lula. Gerou polêmica no plano estadual.

1 resposta para “PCdoB PRESSIONA POR UMA DAS VAGAS AO SENADO NA CHAPA DE RUI COSTA”

  • Rodrigo Cardoso dos Santos disse:

    Talvez, por equívoco, no release enviado não tenha constado nada sobre o cenário nacional, mas a resolução aprovada na reunião da Comissão Política Estadual do Partido tem uma análise do Quadro Nacional, disponível no site http://www.pcdobba.org.br/comissao-politica-do-pcdob-ba-debate-conjuntura-e-projeto-eleitoral-de-2018/

    “A delação da JBS, há um mês atrás, ampliou o quadro de crise e instabilidade, minando as condições de governabilidade de Temer.

    A vitória obtida no TSE pela estreita margem de um voto, longe de criar condições mais favoráveis ao ocupante do Planalto e a sua camarilha, acrescentou novos elementos à crise. Estabeleceu-se um confronto direto entre setores do Judiciário (Lava-Jato, PGR) e o Executivo, setores da mídia golpista (Globo, Veja) passam a defender abertamente a saída de Temer e cresce a possibilidade de novas defecções na base governista no Congresso.

    A última declaração de FHC (15/06) – “Se tudo continuar como está, com a desconstrução contínua da autoridade, pior ainda se houver tentativas de embaraçar as investigações em curso, não vejo mais como o PSDB possa continuar no governo” -, dada na mesma semana que os tucanos resolvem continuar no governo, mostra o grau de instabilidade da base.

    Os novos acontecimentos: uso do jatinho da JBS, de helicópteros de empreiteiras, as reformas nas casas da sogra e da filha de Temer, as prisões de Henrique Alves, Rocha Lures, as ameaças de delações de Lúcio Funaro e Eduardo Cunha, e a esperada denúncia do Procurador Geral da República, podendo chegar a quatro acusações penais (corrupção passiva, organização criminosa, obstrução de justiça e lavagem de dinheiro), contra o presidente ilegítimo, podem acelerar o fim do governo.

    A agenda neoliberal dos golpistas – “reformas” trabalhistas e previdenciária, a entrega do patrimônio nacional e o ajuste fiscal com o intuito de elevar a confiança dos investidores e assim estimular o crescimento da economia – ampliou a estagnação e a crise fiscal. A taxa de desemprego no último trimestre de 2017 foi 13,6% e representa 14 milhões de desempregados. A arrecadação federal caiu 3% em maio em relação ao mesmo mês de 2016. A prévia do PIB tem expansão de 0,28% em abril, nos 12 meses encerrados em abril, há retração 2,66% no dado ajustado.

    Neste quadro de crise, cresce a mobilização contra as reformas, pelo Fora Temer e exigindo Diretas Já. Grandes atos ocorrem nos principais centros. Em Salvador, 100 mil foram ao Farol da Barra em um ato unitário que contou com destacada presença e mobilização da militância do Partido.”

    O Partido ainda não tem discutido nomes para a sucessão presidencial, e reforça, de acordo com as palavras da presidenta nacional, deputada Luciana Santos (PE), “a continuidade da luta pela construção de ampla aliança para derrotar o governo Temer e sua agenda ultraliberal e fortalecer a organização popular em defesa de um Brasil soberano, com desenvolvimento e justiça social”.

    Rodrigo Cardoso
    Comitê Estadual do PCdoB

Deixe seu comentário

alba



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia