WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
festival chocolate


alba










junho 2017
D S T Q Q S S
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

editorias






:: 24/jun/2017 . 23:07

CASAL É PRESO COM PISTOLAS E 900 MUNIÇÕES EM CONQUISTA

Dupla foi presa com armas e munições em Conquista || Foto Divulgação PRF

Dupla foi presa com armas e munições em Conquista || Foto Divulgação PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um casal, neste sábado (24), com 3 pistolas e 900 munições para pistolas e fuzis, em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia. A prisão ocorreu durante abordagem a um GM Prisma, no quilômetro 830 da BR-116.

A mulher e o homem foram presos, de acordo com patrulheiros da PRF, em uma abordagem de rotina. A munição e as armas e o casal foram levados para a Delegacia da Polícia Civil em Conquista. O casal viajava em um carro com placa de Salvador.

Armas e munições estavam escondidas em carro || Foto Divulgação PRF

Armas e munições estavam escondidas em carro || Foto Divulgação PRF

APROVAÇÃO AO GOVERNO TEMER ATINGE 7%

Temer tem baixa aprovação.

Temer tem baixa aprovação.

Apenas 7% dos brasileiros consideram o governo Temer  ótimo ou bom, segundo o último levantamento Datafolha, feito de quarta (21) a sexta (23). É o segundo pior resultado obtido por um governo desde a redemocratização, sendo superado apenas pelo também peemedebista José Sarney, com 5%, em 1989.

Já a gestão de Temer, é considerada ruim ou péssima por 69% do eleitorado. Outros 23% avaliam como regular. Sarney, em 89, obteve 68% de ruim ou péssimo e 24% de regular.

A pesquisa Datafolha informou ter ouvido 2.771 pessoas. Há dois meses, Temer era reprovado por 61% dos eleitores consultados, enquanto 9% aprovam. Regular atingia 28%.

MARÍLIA MENDONÇA EM IBICUÍ: “ESSE É O MELHOR BREGA QUE VOCÊ RESPEITA”

Marília Mendonça abriu primeiro dia da festa || Alfredo Filho

Marília Mendonça abriu primeiro dia da festa || Alfredo Filho

A edição 2017 do Brega Light, que no primeiro dia combinou forró, sertanejo e música eletrônica, superou todas as expectativas, segundo os organizadores. A festa  em Ibicuí só terminou na madrugada de hoje, mas terá mais neste domingo (25). No palco principal do primeiro dia, Marília Mendonça, Bell Marques, Aviões, Alok e Léo Santana agitaram o público. “Esse é o melhor Brega que você respeita”, brincou Marília ao abrir oficialmente a festa na noite de sábado (23). Canções como Amante não tem lar, Infiel e Como faz com ela levaram o público ao delírio durante sua apresentação.

Aviões veio logo em seguida e mostrou que tem uma relação antiga com o público do evento. Foi a primeira apresentação do grupo com sua nova formação no Brega. “A relação com o público do Brega Light é muito positiva. Fazer show aqui nesta região é sempre um prazer muito grande.”, disse Xand.

Público lotou Brega Light no primeiro dia || Foto Irimar Silva

Público lotou Brega Light no primeiro dia || Foto Ilmar Souza

Considerado o melhor DJ do mundo, Alok foi a grande novidade do evento este ano. O DJ fez a multidão vibrar ao som de diversos hits como Snoop sings, We are underground e Puro êxtase. Léo Santana encerrou o primeiro dia. Santinha e Vai dar PT foram alguns dos sucessos do pagodeiro que encerrou o primeiro dia do Brega Light.

PORQUE PARIS, BERLIM E OUTRAS 265 CIDADES REESTATIZARAM O SANEAMENTO

Emasa deve ser passada à iniciativa privada || Foto Arquivo

Emasa deve ser passada à iniciativa privada || Foto Arquivo

Da BBC Brasil

Enquanto iniciativas para privatizar sistemas de saneamento avançam no Brasil, um estudo indica que esforços para fazer exatamente o inverso – devolver a gestão do tratamento e fornecimento de água às mãos públicas – continua a ser uma tendência global crescente.

De acordo com um mapeamento feito por 11 organizações majoritariamente europeias, da virada do milênio para cá foram registrados 267 casos de “remunicipalização”, ou reestatização, de sistemas de água e esgoto. No ano 2000, de acordo com o estudo, só se conheciam três casos.

Satoko Kishimoto, uma das autoras da pesquisa publicada nesta sexta-feira (23), afirma que a reversão vem sendo impulsionada por um leque de problemas reincidentes, entre eles serviços inflacionados, ineficientes e com investimentos insuficientes. Ela é coordenadora para políticas públicas alternativas no Instituto Transnacional (TNI), centro de pesquisas com sede na Holanda.

“Em geral, observamos que as cidades estão voltando atrás porque constatam que as privatizações ou parcerias público-privadas (PPPs) acarretam tarifas muito altas, não cumprem promessas feitas inicialmente e operam com falta de transparência, entre uma série de problemas que vimos caso a caso”, explica Satoko à BBC Brasil.

O estudo detalha experiências de cidades que recorreram a privatizações de seus sistemas de água e saneamento nas últimas décadas, mas decidiram voltar atrás – uma longa lista que inclui lugares como Berlim, Paris, Budapeste, Bamako (Mali), Buenos Aires, Maputo (Moçambique) e La Paz.

A tendência, vista com força sobretudo na Europa, vai no caminho contrário ao movimento que vem sendo feito no Brasil para promover a concessão de sistemas de esgoto para a iniciativa privada.

O BNDES vem incentivando a atuação do setor privado na área de saneamento, e, no fim do ano passado, lançou um edital visando a privatização de empresas estatais, a concessão de serviços ou a criação de parcerias público-privadas.

À época, o banco anunciou que 18 Estados haviam decidido aderir ao programa de concessão de companhias de água e esgoto – do Acre a Santa Catarina.

O Rio de Janeiro foi o primeiro a se posicionar pela privatização. A venda da Companhia Estadual de Água e Esgoto (Cedae) é uma das condições impostas pelo governo federal para o pacote de socorro à crise financeira do Estado.

A privatização da Cedae foi aprovada em fevereiro deste ano pela Alerj, gerando polêmica e protestos no Estado. De acordo com a lei aprovada, o Rio tem um ano para definir como será feita a privatização. Semana passada, o governador Luiz Fernando Pezão assinou um acordo com o BNDES para realizar estudos de modelagem.

DA ÁGUA À COLETA DE LIXO

Satoko e sua equipe começaram a mapear as ocorrências em 2007, o que levou à criação de um “mapa das remunicipalizações” em parceria com o Observatório Corporativo Europeu.

O site monitora casos de remunicipalização – que podem ocorrer de maneiras variadas, desde privatizações desfeitas com o poder público comprando o controle que detinha “de volta”, a interrupção do contrato de concessão ou o resgate da gestão pública após o fim de um período de concessão.

A análise das informações coletadas ao longo dos anos deu margem ao estudo. De acordo com a primeira edição, entre 2000 e 2015 foram identificados 235 casos de remunicipalização de sistemas de água, abrangendo 37 países e afetando mais de 100 milhões de pessoas. :: LEIA MAIS »

SÃO JOÃO MOVIMENTA A ECONOMIA EM MAIS DE 300 CIDADES BAIANAS

Festa movimenta a economia baiana || Foto Tatiana Azeviche

Festa movimenta a economia baiana || Foto Tatiana Azeviche

Os festejos juninos se espalham por mais de 300 municípios baianos com ingredientes da cultura local que mistura sagrado e profano, com animação de sobra para baianos e turistas. O São João da Bahia é um dos mais relevantes elementos do processo de fortalecimento da atividade turística. Acontece em praticamente todas as zonas turísticas, com o apoio do governo estadual. “Os indicadores revelam a qualidade da festa e o quanto é competitiva”, enfatiza o secretário de Turismo da Bahia, José Alves.

“Os festejos de São João estão profissionalizados, atraem patrocínios público e privado e lotam hotéis, pousadas e restaurantes”, comemorou José Alves. “Os serviços prestados nesse período geram cerca de 140 mil empregos temporários e fortalecem a economia baiana”.

A logística do São João da Bahia demonstra o vigor desta festa. O sistema ferry-boat está preparado para conduzir 120 mil passageiros e mais de 22 mil veículos, neste final de semana. A Rodoviária de Salvador é utilizada por 170 mil pessoas distribuídas em horários convencionais e 1.800 horários extras. A Estrada do Coco (BA-099), em direção ao Litoral Norte, terá tráfego de 60 mil veículos, de acordo com a estimativa da Concessionária Litoral Norte (CLN), enquanto a ViaBahia Concessionária de Rodovias prevê movimento de 550 mil veículos.

O turismo interno e os excursionistas vão somar cerca de 1,5 milhão de pessoas que deixam a capital baiana em direção ao Interior do Estado, gerando receita bruta de aproximadamente R$ 700 milhões em mais de 300 cidades. Os números são indicadores de como a festa fomenta a economia, por meio do turismo, comércio, alimentação, transporte e lazer.

INTERIOR

Em algumas cidades, a população dobra durante os festejos juninos, como em Senhor do Bonfim, Amargosa, Santo Antônio de Jesus, Cachoeira, Piritiba, Euclides da Cunha e Cruz das Almas. Destaca-se também a animação das festas em Mucugê, Irecê, Jequié, Ibicuí, Valença e Porto Seguro, dentre outras.

Com uma das festas de São João mais famosas da Bahia, a cidade de Amargosa (240 quilômetros de Salvador), espera receber em 2017 mais que o dobro da população local, em cada um dos quatro dias de festejos, que serão realizados de 22 a 25 de junho.

Segundo o IBGE (censo de 2016), Amargosa tem população de 38.041 pessoas, enquanto a prefeitura espera receber 100 mil pessoas por dia de festa. Entre as atrações, estão Zé Ramalho e Estakazero. A Pousada do Bosque tem os seus 25 apartamentos reservados para o período da festa. Hóspedes oriundos de Salvador, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Pernambuco. O hotel fazenda Colibri também estará lotado.








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia