Atraso no seguro defeso afeta mais de mil pescadores em Ilhéus || Foto Jonildo Glória

Atraso no seguro defeso afeta mais de mil pescadores em Ilhéus || Foto Jonildo Glória

Mais de mil pescadores e marisqueiras de Ilhéus estão passando por sérias dificuldades financeiras porque não conseguem receber o Seguro Defeso, que é pago pelo Governo Federal. O benefício é para compensar os períodos em que os trabalhadores são proibidos de pescar por causa da reprodução peixes e camarões.

Há relatos de trabalhadores que não conseguem receber o benefício desde o ano passado. Entre os prejudicados com a falta de pagamento do salário mínimo está o pescador Alberto Teixeira, que é pai de cinco filhos e não tem outra fonte de renda. Ele deveria ter recebido o seguro defeso desde o segundo semestre do ano passado, mas o dinheiro até hoje não foi liberado.

Quem também sofre com o atraso no pagamento do seguro defeso é a marisqueira Simone Oliveira, que é filha de pescador ainda não recebeu o benefício. O presidente da Colônia de Pescadores Z-34 de Ilhéus, Reynaldo Oliveira dos Santos, o Zé Neguinho, afirma que toda a vez que questiona a agência do INSS ouve informações desencontradas.

Segundo ele, mais de 1.500 pescadores e marisqueiras estão cadastrados para receber o benefício, mas somente 20 conseguiram sacar o valor equivalente a um salário mínimo. O dinheiro é pago somente para quem está com a documentação regular no Ministério da Agricultura.