Cleber Rocha teria se declarado culpado

Cleber Rocha teria se declarado culpado

Um baiano, cuja prisão levou as autoridades dos Estados Unidos a descobrirem US$ 17 milhões escondidos sob um colchão, declarou-se culpado de ter tentado lavar fundos ligados a um dos maiores esquemas em pirâmide da história.  A confissão teria ocorrido durante interrogatório nesta quinta-feira (19).

Cléber Rene Rizério Rocha, que procuradores disseram ter tentado ajudar a tirar dinheiro dos EUA que um cofundador da TelexFree Inc deixou para trás ao fugir do país, assumiu sua culpa perante um tribunal federal de Boston.  Cléber  Rocha é de uma família de Brumado, no extremo sul da Bahia, e morava no estado do Espírito Santo desde os 18 anos. No final do ano passado, ele embarcou para os Estados Unidos para uma suposta lua de mel, mas acabou preso.

Rocha admitiu as acusações de conspiração e lavagem de dinheiro, cada uma acarretando penas de até 20 anos de prisão. Os procuradores concordaram em recomendar uma sentença de 40 meses com base em sua cooperação. A sentença deverá ser divulgada em 7 de dezembro.

O caso do réu de 28 anos derivou de uma investigação sobre a TelexFree, uma empresa sediada em Massachusetts que vendia serviços de telefonia via internet e foi fundada por James Merrill, um cidadão norte-americano, e o brasileiro Carlos Wanzeler.

Dólares encontrados com baiano

Dólares encontrados com baiano

Os procuradores disseram que a TelexFree era um esquema em pirâmide que fazia pouco ou nenhum dinheiro vendendo seus serviços e recebeu milhões de dólares de milhares de pessoas que pagavam para se cadastrar para ser “promotores” e publicar anúncios online para a companhia.

A TelexFree faliu em 2014, infligindo mais de US$ 3 bilhões de prejuízos a quase 1,89 milhão de pessoas de todo o mundo, segundo os procuradores. Merrill foi preso em 2014, e em março deste ano e condenado a seis anos de prisão depois de se declarar culpado de conspiração e fraude.

Também em 2014 Wanzeler fugiu para o Brasil, de onde não pode ser extraditado, deixando para trás dezenas de milhões de dólares que lavou de contas da TelexFree, informaram os procuradores. As informações são do G1.