Wagner: falta jogador à oposição || Foto Pimenta/Arquivo

Ex-governador da Bahia e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner desconversou sobre a disputa por vagas ao Senado na chapa majoritária do governador Rui Costa em 2018.

“[A chapa] tem dois nomes carimbados, o do governador e o do vice-governador, [João Leão]. Eu não sou o técnico. Eu sou o auxiliar técnico. Dou opinião, mas o técnico é ele”, afirmou em entrevista ao PIMENTA.

Wagner disse que o governador tem o que ele mesmo chamou de “bom problema”: nós temos mais jogadores que vagas no time, enquanto no outro time [de ACM Neto], está sobrando vaga, não tem jogador”, disse, sorridente, o ex-governador baiano.

A base aliada de Rui Costa tem cinco nomes disputando as duas vagas ao Senado. “Tem meu nome, tem o de Lídice [da Mata], o PSD reivindica, [Ronaldo] Carletto (PP) reivindica, o PCdoB reivindica… Agora, nós saberemos ter maturidade, até porque acho que o grupo está muito unido e todos cresceram. Eu não acredito em racha”.

Para Wagner, se for encontrado um critério objetivo para a definição dos nomes para o Senado, “as pessoas [não escolhidas] vão se conformar”. Porém reconhece ser difícil “que todo mundo vá ficar satisfeito”.