WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
cenoe
prefeitura de ilheus





março 2018
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

editorias






:: 8/mar/2018 . 21:50

TE PEÇO DESCULPAS

Valéria Ettinger | lelamettinger@gmail.com

 

Vou lutar do seu lado para que todos possam entender que nós, mulheres, não queremos ser melhores que os homens ou subjugá-los. O que nós queremos é ter direitos, respeito e viver com dignidade.

 

Te peço desculpas por um dia ter me afastado de você.

Te peço desculpas por um dia ter julgado você.

Te peço desculpas por um dia ter competido com você.

Te peço desculpas por um dia não ter acreditado em você.

Te peço desculpas por ter criticado você.

Te peço desculpas por ter falado do seu vestido, do seu batom, da sua dança e da sua gargalhada.

Te peço desculpas por te chamar de “puta”, simplesmente por você ser livre.

Te peço desculpas por não ter te apoiado e de defendido quando você era ignorada, vilipendiada, abusada, explorada e violentada.

Te peço desculpas por ter dito que você era culpada.

Te peço desculpas por não ter aceitado você porque tinha filhos.

Te peço desculpas por um dia ter dito que não gostava de trabalhar com você.

Te peço desculpas por ter dito que você era minha inimiga.

Te peço desculpas por ter rejeitado o seu feminismo por acreditar que era uma luta da mulher contra os homens.

Te peço desculpas por ter me afastado do meu feminino sagrado, por, ingenuamente, achar que só seria vista e respeitada se me apropriasse e me comportasse como o masculino.

São tantas desculpas a te pedir…

Mas nesse dia que tentam te presentear, te dizer o quando você é linda e essencial, eu gostaria mesmo que dissessem a você:

Que você pode ser o que você quiser.

Que você não perderá seu emprego porque você engravida.

Que seu salário não será menor do que o do seu colega homem que desempenha a mesma função.

Que você não precisa ter medo do homem que te segue, porque ele é, apenas, um transeunte passando próximo.

Que você não vai ser estigmatizada pelo jeito que se veste e se comporta.

Que você pode ficar tranquila, pois ao chegar em casa, cansada, o seu homem vai está com o jantar te esperando e já vai ter feito a lição com os seus filhos.

Que tua voz vai ser escutada e a sua ideia será acatada.

Que sua condição será sua felicidade e não a sua dor.

Hoje, eu quero te dizer que jamais te abandonarei e seja o que você escolha fazer ou queira ser, eu, jamais, irei te apontar o dedo, simplesmente, por você ser mulher.

Vou lutar do seu lado para que todos possam entender que nós, mulheres, não queremos ser melhores que os homens ou subjugá-los. O que nós queremos é ter direitos, respeito e viver com dignidade.

Feliz dia Internacional da Mulher que luta por todas.

Por vocês, para vocês e com vocês mulheres. Sororidade!

Valéria Ettinger é mulher, mãe e amiga.

SEC-BA SUSPENDE MUNICIPALIZAÇÃO DE ESCOLAS NO SUL E SUDOESTE

Dirigentes escolares se reúnem com secretário de educação da Bahia

Neste ano não haverá municipalização de mais nenhuma escola nas regiões sul baiano e médio sudoeste.  Foi o que ficou decidido numa reunião entre dirigentes escolares, integrantes do Núcleo Territorial de Educação (NTE-5) e o secretário de Educação da Bahia, Walter Pinheiro.  Realizado na noite de quarta-feira (7), o encontro foi intermediado pelo deputado Rosemberg Pinto (PT). O Colégio Estadual Ceará, em Ilhéus, estava na lista de escolas ameaçadas de fechamento.

Rosemberg destacou que a reunião foi “muito proveitosa”, mas pontuou que faltou comunicação da secretaria de Educação para com o NTE. Para o parlamentar, a pasta precisa permitir uma maior participação dos núcleos de educação em suas decisões.

O deputado afirmou que “é lógico que divergências de opiniões existem e sempre vão existir. Às vezes, quando a gente cobra determinados posicionamentos, nós estamos fazendo pensando na sociedade e no governo, que é o governo que eu ajudei a eleger e quero que ele faça o melhor pela população”.

A atuação do deputado Rosemberg foi aprovada por dirigentes presentes ao encontro.  Para Josefina Castro, diretora do (NTE-5), “a intermediação do deputado foi fundamental porque deu a direção no sentido de como poderá ocorrer esse processo do planejamento, pois percebemos esse lapso da secretaria com o núcleo”.

Robson Pinto de Souza, um dos coordenadores do (NTE-5), resumiu Rosemberg como o melhor parlamentar, defensor das causas envolvendo a educação na Bahia. Agora, o processo de municipalização das escolas ficará apenas na fase do planejamento e só deverá ser retomado em 2019, devendo ser concluído no ano seguinte, quando encerra o prazo imposto pela lei.

STF DECIDE QUE NOVAS ELEIÇÕES PODEM SER CONVOCADAS APÓS CASSAÇÃO DE MANDATO

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (8) que novas eleições podem ser convocadas quando um político eleito tiver o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Após dois dias de julgamento, a Corte entendeu que a regra da reforma eleitoral de 2015 que condicionou a perda do mandato ao trânsito em julgado do processo é inconstitucional.

Votaram pela procedência da ação da PGR os ministros Luís Roberto Barroso (relator), Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Rosa Weber, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Marco Aurélio e Cármen Lúcia.

A norma foi questionada no Supremo pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Caso a regra fosse mantida, permitiria o atraso do cumprimento da decisão que determinou a cassação do político, que poderia permanecer no cargo, até que eventual recurso contra decisão fosse julgado pelo STF, última instância da Justiça.

“NÃO MEXE COMIGO”

Mariana Ferreira

 

Quanto ao médico, fui informada pela ouvidoria do hospital, no período da tarde, de que foi afastado dos plantões e está sendo investigado. Aqui me posicionei e espero que minha voz convide outras mulheres a não se curvarem diante de um assédio, seja ele qual for.

 

 

“… Que eu não ando só”. A frase, entoada na poderosa voz de Maria Bethânia, serve bem como lema da luta feminina. São inúmeras as experiências ruins, deflagradas por invasões masculinas, na vida de qualquer mulher em qualquer etapa de sua existência. Basta nascer com esse sexo. Não é preciso ser representante de nenhum movimento para afirmar em alto e bom som que esse mau é real.

Relatar um assédio sexual ainda é um dilema na atualidade: para muitas mulheres, por medo da reação do agressor, e para outras muitas, pelo medo da exposição e do estigma de uma sociedade que tem a cultura de se voltar contra a vítima. Mas como diz Maria Bethânia, “não ando no breu, nem ando na treva”, e por isso não serei eu que me calarei.

Sempre fui bem tratada na Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, local que sempre considerei um dos mais seguros da cidade para um cidadão buscar atenção à saúde. Não imaginava que seria lá que sofreria desrespeito e teria o meu pior Dia Internacional da Mulher. Justo numa instituição que tem 101 anos de fundação, mais de 70% do seu quadro funcional formado por mulheres e que presta relevantes serviços à sociedade, como o 1º Mutirão da Mulher no próximo dia 10. Em atendimento por causa de uma dificuldade respiratória pela manhã, o médico plantonista Luiz Duarte mostrou sua forma de agir num procedimento de ausculta respiratória, tocando de forma invasora uma paciente.

A primeira reação de uma mulher nessa circunstância infelizmente é tentar fazer a “ficha cair”, porque, apesar de todo o preparo que buscamos ao longo da vida – psicológico, emocional e físico, nunca imaginamos que isso vá acontecer conosco. A atitude foi flagrante, e era o meu dever reagir, pois algumas coisas que vêm à mente são: “eu pertenço a mim, ele não tem esse direito” e “não fui a primeira e não serei a última se eu permitir que continue às escuras”.

É preciso calar o medo da exposição para dar voz a um basta. Acredito que nada seja por acaso, e talvez por isso Deus tenha usado alguém com senso de cidadania e responsabilidade para não permitir que esses fatos se perpetuassem, para zelo das pacientes e da própria instituição.

É importante que prestem atenção que nós não queremos, nem precisamos, de piedade. Nós precisamos de apoio com atitude – de homens, mulheres e instituições competentes, e exigimos respeito de todo indivíduo e de sua representação máxima, a sociedade. O problema é que romantizar uma data como o Dia da Mulher só camufla uma realidade emergente.

Flores são bonitas e muitas mulheres, como eu, gostam, mas precisam ser símbolo de respeito praticado cotidianamente, e não banalizadas como têm sido. Assim como os discursos bonitos que são cheios de panos quentes para disfarçar a violência contra a mulher. Quantos assediadores notórios não vemos passarem mel em suas palavras no Dia da Mulher para se mostrarem de acordo com os bons costumes, mas que agem como predadores, não importando o dia, a hora, o local? É repulsivo, é vergonhoso!

Finalizo esse artigo fazendo alguns pleitos à Secretaria de Segurança Pública e à Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia. Não se pode falar em respeitar as minas sem olhar para suas estruturas de apoio a elas. A Delegacia da Mulher em Itabuna reúne tudo o que não pode acontecer: endereço num local deserto, com várias ocorrências de assaltos no entorno, a necessidade de subir ladeira para chegar à unidade, um sistema de registro de queixas que demora mais de uma hora para concluir o processo (no meu caso foi 1h15min) e em um cômodo abafado e sem um ventilador sequer para esse momento penoso da denúncia, sem falar na falta de privacidade da denunciante. Passou da hora de melhorar!

Quanto ao médico, fui informada pela ouvidoria do hospital, no período da tarde, de que foi afastado dos plantões e está sendo investigado. Aqui me posicionei e espero que minha voz convide outras mulheres a não se curvarem diante de um assédio, seja ele qual for. Já disse Maria, a Bethânia: “O que é teu já tá guardado, não sou eu que vou lhe dar”. É a Justiça quem vai. O tempo é chegado.

Mariana Ferreira é jornalista.

TCM MANDA EX-PREFEITO DE MUCURI DEVOLVER MAIS DE R$ 120 MIL DE DIÁRIAS SUSPEITAS

Ex-prefeito terá que devolver dinheiro aos cofres públicos|| Foto O Povo News

O Tribunal de Contas dos Municípios julgou, na quarta-feira (7), procedente termo de ocorrência lavrado contra o ex-prefeito do Mucuri, Paulo Alexandre Matos Griffo, por irregularidades com diárias pagas por supostas viagens no exercício de 2015. O relator, conselheiro Plínio Carneiro Filho, afirmou que os valores pagos ao ex-prefeito foram excessivos e, por esse motivo, aplicou-lhe multa de R$2 mil e determinou ressarcimento aos cofres municipais de R$123.200,00, com recursos pessoais.

O relator chegou à conclusão de que o ex-prefeito usou as diárias para complementar seus subsídios e de seus secretários, uma vez que “viajou” em praticamente todos os meses de 2015, somando um total de 51 dias longe de seu município.

De acordo com o TCM, somente a título de diárias em um único exercício, o ex-prefeito recebeu R$46.600,00. Essa prática, segundo o conselheiros relator, “já seria comum nos anos anteriores, no qual o gestor também percebeu valores excessivos em diárias, na quantia de R$ 44.300,00 (2013) e R$ 46.300,00 (2014). Também não foi comprovada a real ocorrência das viagens”.

O Ministério Público de Contas, em seu pronunciamento, julgou procedente o processo com aplicação de multa ao gestor municipal e o ressarcimento ao erário do dano causado.

ACM NETO É ELEITO PRESIDENTE NACIONAL DO DEM

ACM Neto é eleito presidente do DEM|| Foto Divulgação

O prefeito de Salvador, ACM Neto, foi eleito presidente nacional do DEM, em convenção realizada em Brasília, nesta quinta-feira (9). Ele substituirá o senador José Agripino Maia (RN), que em dezembro do ano passou se tornou réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em um processo sobre corrupção e lavagem de dinheiro.

Durante o seu discurso, ACM Neto defendeu que é necessário um pacto com o Brasil em defesa do país, baseado em empreendedorismo, livre iniciativa e  “homens e mulheres donos dos próprios destinos, que não admitem mais tutores ou salvadores da pátria”. Ele disse ainda “que transformar o país exigirá coragem”.

Além de escolher Neto como presidente nacional, o DEM lançou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ), como pré-candidato a presidência da República.  O DEM é um dos principais aliados do presidente Michel Temer. Representantes de partidos como PP, PR, PSDB, MDB, PRB e Solidariedade participaram do evento.

AGRIPINO

De acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR), Agripino Maia recebeu mais de R$ 654 mil em sua conta pessoal, entre 2012 e 2014, da construtora OAS.  Ainda, segundo os procuradores, a empreiteira também teria doado R$ 250 mil ao DEM em troca de favores de Agripino.  O senador teria recebido a propina para ajudar na liberação de recursos do BNDES para a construção da arena das Dunas em Natal, no Rio Grande do Norte.

POLVOS DE CROCHÊ AJUDAM NA RECUPERAÇÃO DE BEBÊS PREMATUROS EM PORTO SEGURO

Polvos são usados na recuperação de bebês em hospital público de Porto

Desde o dia 21 de fevereiro deste ano que o Hospital Regional  Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, no extremo-sul do estado, tem usado uma nova terapia na Unidade Neonatal. Batizada de ‘um polvo de amor’, a técnica consiste em usar polvos feitos de crochê na recuperação dos recém-nascidos nas incubadoras. A prática surgiu na Dinamarca, em 2013, e vem sendo bem aceita nos melhores hospitais do Brasil.

A ideia de importar o projeto dinamarquês foi da Associação Brasileira de Pais, Familiares, Amigos e Cuidadores de Bebês Prematuros de Porto Alegre, que identificou melhorias nos sistemas cardíacos e respiratórios, além de um aumento no nível de oxigênio no sangue dos bebês que fizeram amizade com os polvos.

Por questão de segurança, os brinquedos devem ser 100% de algodão, para poderem ser lavados, e com oito tentáculos de no máximo 22 centímetros. A intenção é que, quando abraçado, o polvo transmita calma e proteção ao recém-nascido, já que os tentáculos se remetem ao cordão umbilical e causam a sensação de segurança parecida à do útero materno.

O Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que administra o Hospital Luís Eduardo, apoia a proposta inovadora aplicada pela equipe liderada pela neonatologista Ivone Koyama e pela coordenadora de enfermagem da Unidade neonatal, Sahasla Menezes, que tem tornado o ambiente mais acolhedor e confortável para os bebês.

ANDREZA SE PASSAVA POR HOMEM PARA APLICAR GOLPES EM MULHERES DE VÁRIAS CIDADES DA BAHIA

Caeco realiza operação contra mulher que se passava por homem|| Foto arquivo

O Ministério Público da Bahia deflagrou, nesta quinta-feira (8 de março), a Operação “PERFIL FALSO” para reprimir delitos de estelionato e violação sexual mediante fraude praticados por Andreza Souza Dias Souza contra dezenas de mulheres em diversas cidades da Bahia.

De acordo com o MP-BA, os crimes aconteciam desde 2013, quando ela iniciou sua empreitada criminosa em Salvador. Segundo promotores de justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (GAECO), a investigada abordava mulheres por aplicativos de mensagens ou sites de encontros amorosos e se passava por pessoas do sexo masculino, usando imagens subtraídas de terceiros em redes sociais e até manipulando a sua voz.

Os promotores explicam que, “com atuação convincente, alto poder de persuasão e extrema habilidade, a suspeita, passando-se por homens, ludibriava as vítimas a efetuar pagamentos e transferências em seu favor, que era apresentada como ‘sobrinha’ do personagem fictício por ela inventado”. Além disso, a investigada chegou a manter contatos sexuais fraudulentos com algumas mulheres.

MANDADOS CUMPRIDOS NO INTERIOR

Os promotores de Justiça e agentes do GAECO cumpriram um mandado de prisão preventiva em face de Andreza Souza Dias Souza e três mandados de busca e apreensão nas cidades de Santo Antônio de Jesus e Nazaré, no Recôncavo baiano, em endereços frequentados pela investigada. Foram arrecadados aparelhos celulares, computadores e documentos relacionados ao caso. Os mandados foram expedidos pela 5ª Vara dos Feitos Criminais da Comarca de Salvador.

A ação contou com o apoio da Coordenadoria de Segurança Institucional e Investigação (CSI); do Grupo de Atuação Especial em Defesa da Mulher e da População LGBT (Gedem), que ofereceu suporte emocional às vítimas; de promotores de Justiça do Ministério Público do Estado da Bahia; e da Polícia Militar do Estado da Bahia, por meio da Companhia Independente de Policiamento Especializado – Litoral Norte (CIPE).

INSCRIÇÕES PARA CONCURSO DA POLÍCIA CIVIL DA BAHIA SE ENCERRAM NESTA SEXTA-FEIRA

Concurso da Polícia Civil encerra inscrições nesta sexta-feira

Os candidatos têm até essa sexta-feira (9) para se inscrever no concurso público da Polícia Civil da Bahia, que oferece mil vagas para a corporação. São 880 oportunidades para investigador, 82 de delegado e 38 para escrivães.  Os candidatos terão até segunda-feira (12) para pagar a taxa de inscrição, que deve ser feita exclusivamente pela internet, no endereço https://www.vunesp.com.br/SAEB1704.

A taxa custa R$ 160 para o cargo de delegado e R$ 140, para as funções de investigador de polícia ou de escrivão. Os candidatos que irão concorrer a uma das vagas de delegado precisam possuir diploma de conclusão do curso de bacharelado em Direito, devidamente registrado e reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Já para os interessados em disputar aos cargos de investigador ou de escrivão de polícia é exigido diploma de conclusão de curso superior (qualquer área), devidamente registrado no MEC. Os investigadores necessitam, ainda, possuir Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria B, no mínimo.

A remuneração inicial para os delegados de polícia, regime de trabalho de 40 horas semanais, atingirá o valor de R$ 11.389,96. Já os investigadores e escrivães de polícia terão remuneração inicial de R$ 3.915,85, no regime de 40 horas semanais.

O concurso contará das etapas de provas objetivas, provas discursivas, exames biomédicos, teste de aptidão física, exame psicotécnico, prova de títulos e investigação social e de conduta pessoal.  As provas objetivas e discursivas serão aplicadas no dia 22 de abril.

FAMÍLIA TENTA LOCALIZAR JOVEM LEVADO DE CARAVELAS POR HOMENS ARMADOS

Família procura por jovem levado por homens armados

Um rapaz de 28 anos, morador da cidade de Caravelas, extremo-sul da Bahia, está desaparecido desde o dia 7 de fevereiro, quando foi levado por homens que chegaram em um carro, usavam coletes balísticos e se identificaram como policiais. Desde então, a família de Renan Souza Rocha busca notícias do rapaz.

Ele estava na loja de material de construção onde trabalhava como entregador, localizada no distrito de Juerana, quando foi abordado e depois colocado no porta-malas do veículo.

A Polícia Civil investiga o caso e disse que ainda não tem informação sobre quem foram os homens que levaram Renan. Quem tiver informações sobre o paradeiro dele pode entrar em contato com a Delegacia de Caravelas, pelo número (73) 3297-1010.

A mãe de Renan, Maria José Souza Santana, que mora em Linhares, no Espírito Santo, onde o filho nasceu, disse que a família está preocupada e busca notícias do jovem. “Não tem notícia nenhuma. Continua o desespero, e gente continua procurando”, relata. Maria José conta que o rapaz se mudou de Linhares para Caravelas há quatro meses, para trabalhar na loja de construção. Do G1-BA.

ATLÂNTICO É REBAIXADO NO CAMPEONATO BAIANO SEM VENCER UMA ÚNICA PARTIDA

O time (uniforme azul e preto) conquistou o acesso à primeira divisão no ano passado e neste ano caiu|| Foto Geovan Santos

O Atlântico entrou na disputa do Campeonato Baiano deste ano com esperança de chegar às semifinais, mas foi apenas “saco de pancadas”. O representante de Lauro de Freitas na competição estadual não conseguiu vencer uma única partida e somou apenas dois pontos dos empates contra Jacuípense e Bahia de Feira.

O Atlântico perdeu sete dos nove jogos que disputou. Com uma defesa frágil e sem força no ataque, o time marcou nove e sofreu 18 gols na competição. O rebaixamento para a segunda divisão foi confirmado na rodada de quarta-feira (7), na derrota  por 3×1 para o Juazeirense, no estádio de Pituaçu, em Salvador. Já o Juazeirense soma 19 pontos e é terceiro colocado, atrás de Vitória (22) e Bahia (20).

LUGAR DE MULHER É NA POLÍTICA E ONDE ELA QUISER

Aline Setenta | alinesetenta@gmail.com

 

Em reverência a todas que me
antecederam e que lutaram para que eu
estivesse aqui escrevendo esse texto e as irmãs
que sofrem ainda mais violências do que eu

 

 

A política, assim como os demais sistema sociais ao longo do último século, sempre estiveram ocupados por homens. Assim, não é incomum ouvir “Xaxo” (como fala uma irmã de luta) quando as mulheres decidem ocupar espaços políticos sejam eles institucionais ou não. Loucas, histéricas, vagabundas, mulher-macho, desocupada são alguns dos adjetivos que ouvem as mulheres que “vão pra rua”, candidatam-se a cargo eletivo, ou defendem uma pauta feminista. O discurso feminista tem incomodado conservadores e, por vezes, gerando mais opressão e violência quando as feministas são alvo dos mais diversos ataques como: “isso aí é falta de homem”, “vai lavar louça”, “essa aí vai ficar sozinha”! Apesar da necessidade de combater esses discursos, entendo que são reações esperadas de um sistema social e cultural que agoniza…. são reações daqueles que não querem admitir a mudança que já esta acontecendo.

Sobre isso, gostaria de fazer uma reflexão: ter um companheiro pode não ser o plano de vida mais importante para uma mulher, assim como não é para alguns homens, a felicidade é um estado interior que pode ou não incluir outra pessoa, vamos superar isso de uma vez por todas. E sobre ser ou não “feminina” espero por um dia que cada mulher respeite-se e seja respeitada na sua individualidade, compreendendo que o feminino está dentro, na sua alma, na sua essência, na sua verdade interior. Simone de Beauvoir disse assim: “Que nada nos defina, que nada nos sujeite que a liberdade seja nossa própria substância”!

Segundo o Valor Econômico, o número de lares brasileiros chefiados por mulheres saltou de 23% para 40% entre 1995 e 2015. O volume de homens que se apresentam como chefes de família no Brasil caiu pela primeira vez em 2016, no ano passado, enquanto 2,4 milhões de mulheres passaram a exercer a função de chefe de família no país, 985 mil homens perderam essa função. Tais mudanças refletem as conquistas feministas e a inserção da mulher no mercado de trabalho, mas infelizmente não tem sido acompanhadas, na mesma velocidade, de alterações sociais significativas.

No Brasil, a cada dia 12 mulheres são assassinadas e 135 são estupradas a cada hora, 503 mulheres são agredidas, 61% dos agressores são cometidas por conhecidos, 19% das agressões partem de seus companheiros, 43% das agressões graves ocorrem dentro de casa. Em todo o Brasil, apenas 443 são as delegacias especializadas num universo de 5570 municípios, e destas a maioria funciona de forma precária e por vezes machista consistindo mais um espaço de violência institucional. Por isso posso, apesar de avistar mudanças no horizonte, e algumas já vem acontecendo, ainda há muito a ser feito.

No cenário brasileiro, destacamos iniciativas no campo das políticas públicas, o advento da Lei Maria da Penha Lei 11.340/06, mudanças no âmbito do Direito de Família e recentemente a Lei do Feminicídio Lei 13.104/15. Em 2003, no início do primeiro mandato do presidente Lula, o governo federal transferiu a então Secretaria de Estado dos Direitos da Mulher, vinculada ao Ministério da Justiça, para a Presidência da República, nascia assim a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), hoje com status de ministério.

A Secretaria ampliou o escopo de atuação do Estado na defesa dos direitos da mulheres e passou a trabalhar em três linhas de ação: políticas do trabalho e da autonomia econômica das mulheres; combate à violência contra a mulher; programas para as áreas de saúde, educação, cultura e ações voltadas para maior participação das mulheres nas políticas de igualdade de gênero e diversidade. Na Bahia, a SPM também tem avançado na institucionalização de políticas públicas e combate à violência destacando a atuação da Polícia Militar com a criação da Ronda Maria da Penha, e esperamos que as demais pautas avancem num futuro próximo. Itabuna precisa também avançar nesse campo, temos o Conselho da Mulher, o CRAM, a DEAM, as instituições precisam se fortalecer, dialogar e se aproximarem da realidade das mulheres em situação de vulnerabilidade. :: LEIA MAIS »

AS MULHERES DE ITABUNA RESISTEM: 8 DE MARÇO É PELOS NOSSOS CORPOS E NOSSAS VIDAS!

Frente Brasil Popular

“Se um dia as mulheres abaixassem os braços, o céu cairia”, esse é um provérbio africano, de fato, muito sábio. É uma pena não sabermos qual sua exata origem, o que seria de se admirar numa sociedade que faz questão de tratar, ainda no século XXI, a África como um país e as mulheres trabalhadoras como serviçais.

Itabuna é uma cidade muito cruel com as mulheres: sofremos com a violência constante de um transporte público que não atende as mínimas necessidades, com um saneamento básico que não atende 86% da população, com a falta de creches públicas e com os altos índices de violência doméstica que não conseguem ser combatidos apenas por um CRAM – Centro de Referência de Atendimento a Mulher –,  uma única DEAM – Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher –  (que fica num bairro “nobre”, num local isolado e perigoso e não funciona nos finais de semana e feriados) e um Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres que está desativado.

E, sobretudo, a partir de uma política extremamente coronelista e conservadora que ainda acredita que mulheres são úteros ambulantes responsáveis por reproduzir herdeiros e trabalhadores, que servem como “boas amantes” ou boas trabalhadoras domésticas. Quem nunca ouviu ou viu nenhum tipo de abuso que reforce e naturalize essa realidade, pode dizer que estamos mentindo. Mas infelizmente não estamos.

Ao contrário, quem mente são os meios de comunicação que utilizam do feminicídio e da violência sexual para culpabilizar mulheres por sua situação de vulnerabilidade, reforçando o medo que temos de exercer o nosso direito de ir e vir e acaba nos empurrando para o espaço privado das nossas casas, como se não fôssemos dignas de estar e andar nas ruas sem sermos constrangidas e termos nossos corpos tidos como domínios públicos que podem ser assediados, comprados e humilhados.  :: LEIA MAIS »

unisa






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia