Aumenta o número de inquéritos com apuração de violência contra a mulher|| Foto Alberto Maraux

As Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deams) da Polícia Civil da Bahia enviaram para justiça, no ano passado,  cerca de 7,5 mil inquéritos que apuraram registro de violência contra a mulher no estado. Comparado com 2016 – 6,2 mil inquéritos encaminhados – houve um aumento de 20%.

Só nos primeiros dias de março, três homens foram presos em Salvador e no interior, por agredirem e matarem as companheiras. Na segunda-feira (5), Anaílton Marques Silva, 33 anos, vai responder por feminicídio, após ser capturado horas depois de assassinar Sandra Silva dos Santos, 43, em Itabuna.

Na sexta-feira (2), em Juazeiro, policiais da Delegacia de Homicídios local cumpriram mandado de prisão de Valdemir Ferreira dos Santos Souza, que matou a mulher Maria Aparecida Oliveira da Hora, depois de asfixiá-la, em julho de 2017.

Um dia antes, equipes da Delegacia Especial de Atendimento a Mulher (Brotas) prendeu, no bairro de Águas Claras, Mário Gabriel dos Santos Queiroz, 45 anos, acusado de invadir a casa da ex-companheira e agredi-la com puxões de cabelo e socos, por não aceitar o fim do relacionamento.

DELEGACIAS NO ESTADO

Dos 7,5 mil casos de violência contra a mulher registrados no ano passado, mais de 1,9 mil se transformaram em inquéritos na Deam de Brotas e foram encaminhados à Justiça. Em segundo lugar ficou a especializada de Vitória da Conquista, com 1,1 mil procedimentos remetidos.

Prestando assistências às vítimas de violência doméstica e sexual, 14 unidades funcionam em Salvador e 12 no interior: Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna, Juazeiro, Porto Seguro, Teixeira de Freitas, Vitória da Conquista, Camaçari, Candeias, Paulo Afonso, Barreiras e Jequié.