Marido é acusado de assassinar mulher||Foto Itapetinga Repórter

A mãe da jovem de 20 anos, que caiu do carro em movimento e foi atropelada em Itapetinga, no sudoeste da Bahia, informou ao G1 que a situação foi tramada pelo companheiro da filha.”Foi uma armação. Ele inventou que o pai dela tinha passado mal. Eles pegaram o carro e, em vez dele seguir para a casa do pai dela, ele pegou a pista no sentido Macarani. Foi lá que ele fez isso”, disse Elma Rocha na manhã desta quarta-feira (21).

A suspeita da polícia é de que a vítima tenha pulado do veículo após uma discussão com o companheiro e que, após a queda, ele tenha passado o carro sobre Kaleane Prates. Identificado como Carlos Alexandre Rocha, de 24 anos, o suspeito se apresentou à polícia acompanhado de um advogado 48 horas após o caso, que ocorreu no dia 13 de março, o que evitou o registro do flagrante.

Segundo o delegado Irineu Alves, que investiga a situação, ele confirmou que a vítima pulou do veículo e alegou que o atropelamento posterior foi acidental.Devido à ausência do flagrante, ele foi liberado, mas o delegado afirmou que irá fazer o indiciamento por tentativa de feminicídio e pedir a prisão do suspeito. Não foi informado um prazo.

DESACORDADA

O G1 não conseguiu contato com o companheiro da vítima até a publicação desta reportagem. Oito dias após o caso, Elma diz que o estado de saúde da filha é gravíssimo. Ela detalha que Kaleane segue desacordada e que tem respiração mantida com auxílio de oxigênio.

Internada na UTI do Hospital Geral de Vitória da Conquista, também na região sudoeste, a vítima sofreu traumatismo craniano, precisou retirar o baço, suturar o fígado e ainda teve perfurações nos dois pulmões.

A mãe da vítima diz que Kaleane começou a namorar com o suspeito aos 13 anos e que, desde então, eles moram juntos. Elma acrescenta que a filha estava querendo se separar e que o companheiro dela era ciumento e agressivo.

O caso ocorreu no dia 13 de março, a cerca de 30 quilômetros do centro da cidade de Itapetinga. Em entrevista ao G1, o delegado Ireneu Alves Andrade disse que “todas as evidências apontam que se trata de uma tentativa de feminicídio”. O namorado desconfiava que estava sendo traído.

Segundo o delegado, informações colhidas no local do atropelamento apontam que o rapaz chamou a vítima para sair e que, quando o veículo passava pelo Km 3 da BA-130, após uma discussão, a namorada teria pulado do carro em movimento. As investigações da perícia ainda apontam que o condutor seguiu no veículo, fez o retorno metros à frente, entrou na pista da contramão, onde a vítima tinha caído, e atropelou a companheira. Do G1.