Marco Wense

 

Maia insinuou que Neto não seria doido de tomar uma posição de não se candidatar na sucessão estadual: “As coisas com ACM Neto têm começo, meio e fim”, disse o parlamentar.

 

Só faltam três longos dias para que o prefeito ACM Neto decida se vai ou não disputar o Palácio de Ondina, enfrentando o governador Rui Costa (PT-reeleição).

Várias opiniões, entrevistas e comentários, nos diversos meios de comunicação, incluindo aí as redes sociais, vieram à tona em todo o mês de março.

Ontem, pela manhã, foi a vez do deputado federal Arthur Maia expressar, via twitter, sua opinião sobre o vai-não-vai do alcaide soteropolitano.

Maia insinuou que Neto não seria doido de tomar uma posição de não se candidatar na sucessão estadual: “As coisas com ACM Neto têm começo, meio e fim”, disse o parlamentar.

Nesta quinta-feira, Arthur Maia, aproveitando a tal da janela partidária, vai se filiar ao Partido do Democratas, o DEM de ACM Neto.

Ora, Maia não iria assinar sua ficha de filiação sem antes ter a garantia de que Neto sairá candidato a governador, colocando essa condição para sair do PPS.

Foi essa “garantia” que provocou a insinuação de que o prefeito de Salvador não seria doido de recuar na disputa pelo governo da Bahia.

Pois é. O “doido” do ACM Neto vive um dilema que vai ficar marcado na sua carreira política. Aliás, o próprio Neto reconhece que essa é a decisão mais difícil da sua vida.