Duplicação da Rodovia deverá ser tema de audiência em Brasília || Foto Pimenta/Arquivo

GESTOR BAIANO ATRIBUI AO TCU E AO DNIT ATRASO NA OBRA

O governador Rui Costa deverá ter audiência, nesta quarta (16), com o novo ministro dos Transportes, Valter Casimiro, para tratar das obras de duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415). A previsão era de início da duplicação ainda em março, o que não se concretizou. Rui atribui o atraso à dependência de entendimento entre Tribunal de Contas da União (TCU) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit).

– A obra está licitada, contratada e com projeto pronto e o TCU e o DNIT precisam superar os entraves burocráticos, porque se trata de uma obra federal – disse, observando o impacto da obra para cerca de 511 mil baianos e para setores como o turismo, a agricultura e a indústria, além de melhorar a mobilidade entre os dois principais municípios do sul da Bahia.

A obra está orçada em R$ 105 milhões e deverá ser executada pela OAS, num prazo de dois anos. Pelo projeto, a nova pista será construída à margem direita do Rio Cachoeira, sendo interligada à pista atual por quatro pontes.

Rui Costa com a ordem de serviço assinada, em outubro passado

– Reafirmo aqui o meu compromisso com Ilhéus, com Itabuna e com toda região. Vamos realizar a duplicação da rodovia, porque quando dou minha palavra é pra fazer, mesmo que seja necessário colocar recursos no Estado, como temos feito em outras obras importantes na Bahia – afirmou.

ORDEM DE SERVIÇO ASSINADA

O governador assinou, em 9 de outubro do ano passado, a ordem de serviço para a construção da nova pista. A ordem determinava o início da formulação do projeto executivo e, na sequência, autorização para início das obras, o que ocorreu há mais de dois meses. TCU e Dnit ainda não concluíram a análise do projeto. Já na semana passada, Rui Costa responsabilizava os dois órgãos pelo atraso no cronograma.

Em vídeo, Rui diz que Dnit e TCU batem cabeça e atrasam o início da obra. Confira.