WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba










maio 2018
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

editorias






:: 20/maio/2018 . 17:55

EMPRESÁRIO MATOU CASAL EM ILHÉUS PARA NÃO PAGAR EMPRÉSTIMO, DIZ DELEGADA

Magno Rodrigues em dois momentos diferentes

A Polícia Civil está cada vez mais convencida de que o empresário Magno Rodrigues está envolvido no duplo assassinato do casal de colombianos Andres Aluan Rey e Diana Paola Zuluaga, enterrado numa cova rasa em Aritaguá, em Ilhéus, às margens da BA-001, trecho Ilhéus-Itacaré, na noite de sexta-feira (18). A moto do casal foi encontrada escondida no Lava Jato Lavacar Gold, na Avenida Ubaitaba, no Malhado, segundo a delegada Andrea Oliveira.

Magno treinando tiro, possivelmente em 2017.

De acordo com a polícia, o estabelecimento comercial, localizado nas proximidades da Central de Abastecimento do Malhado, zona norte de Ilhéus, pertence ao empresário Magno Rodrigues. A moto CG vermelha, placa OKR 1186, que as vítimas usaram para encontrar o suspeito do crime, foi levada para a sede da 7ª Coordenadoria da Polícia Civil.

Além da moto escondida no imóvel que seria de Magno Rodrigues, policiais militares encontraram o carro do empresário no local onde homens enterravam os corpos das vítimas e que fugiram. Trata-se do veículo MMC/ASX, Mitsubishi, placa OZM-5151, que será periciado, assim como a moto.

Magno Rodrigues exibindo lancha de passeio

Segundo a coordenadora do Núcleo de Homicídios de Ilhéus, delegada Andrea Oliveira, o duplo homicídio está relacionado a uma dívida contraída pelo empresário com o casal de colombianos, que estava em Ilhéus há seis meses. Ela disse que o empresário tinha feito um empréstimo de R$ 50 mil com ciganos, e estava com dificuldades para pagar. Por isso, fez outro empréstimo, desta vez com Andres Rey e Diana Paola. A policial não informou o valor da segunda negociação.

Casal de comlobiano morto em Ilhéus na noite de sexta-feira

A delegada já pediu a prisão de Magno Rodrigues e tenta identificar outros dois homens que teriam o ajudado no crime. Em uma das fotos postadas em sua conta na rede social, o comerciante aparece fazendo aula de tiros, com uma arma em punho e uma imagem de Bolsonaro no primeiro plano. A legenda é a seguinte: “Selfie do nosso futuro presidente # somos todos patriota # Bolsonaro 2018”. A imagem foi postada no ano passado.

Magno Rodrigues tem outras postagens como um simpatizante do presidenciável. Além disso, publica imagens em frente a lanchas, no interior de hotel de luxo; ao lado de jet-ski, ao lado de candidatos na campanha municipal de 2016, e também em pescaria em alto mar, com peixes que teria fisgado.  Nessa última, com a legenda: “vontade de muitos, privilégio para poucos!!!# pescaéumaarte e #Emboaembarcaçãoamigosfazparte”.

ATLÉTICO FICA A UM EMPATE DA PRIMEIRA DIVISÃO DO CAMPEONATO BAIANO

Atlético fica muito perto da primeira divisão do Baiano|| Foto Francisco Galvão

O Atlético precisa apenas de um empate com o PFC-Cajazeiras para conquistar o título e garantir o acesso à Série A do Campeonato Baiano de 2019. Na tarde de sábado (19), no Estádio de Pituaçu, as duas equipes ficaram no zero a zero na  primeira partida da decisão do Campeonato Baiano da Série B. O segundo confronto será no próximo sábado (26), às 16h, no Estádio Antônio Carneiro, em Alagoinhas.

Mesmo jogando jogar em seu mando de campo, o PFC-Cajazeiras não criou muitas oportunidades de gol no primeiro tempo. Seu lance mais perigoso foi provocado pelo zagueiro adversário Alysson, que cabeceou para trás e a bola bateu na trave. Antes, Vitinho chutou com perigo à direita do gol de Jair, da equipe atleticana.

O Atlético foi mais incisivo e, aos 22 minutos, após cruzamento da direita de Gustavo, o goleiro João Paulo tirou errado a bola e, na confusão feita na área, Michael quase abre o placar. Depois, aos 44, na sobra dentro da grande área, novamente Michael chutou a bola sobre o travessão.

PERDEU PÊNALTI

No segundo tempo, o PFC-Cajazeiras poderia ter aberto o placar aos 7 minutos, quando o zagueiro Alysson derrubou Vitinho na área. Roberto cobrou no canto esquerdo de Jair, que fez a defesa parcial. O próprio Robert pegou o rebote e bateu para nova intervenção salvadora do goleiro do Carcará.

O Atlético incomodou a zaga do PFC-Cajazeiras em lances do atacante Helton, que entrou no lugar de Michael. No primeiro, ele cabeceou e João Paulo tocou para escanteio. Depois, a bola foi cruzada da esquerda por Vicente e o camisa 19 quase marca na dividida com o goleiro adversário. E, aos 32, Helton cabeceou forte e João Paulo defendeu em dois tempos.

JEQUIÉ: OBRAS DE AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL PRADO VALADARES SERÃO INAUGURADAS NESTA 2ª

Ampliação do Prado Valadares será inaugurada nesta segunda

As obras de ampliação do Hospital Geral Prado Valadares, em Jequié, serão inauguradas nesta segunda-feira (21) pelo governador Rui Costa. De acordo com o governo, o investimento de R$ 38 milhões permitirá ao hospital do sudoeste baiano dobrar o atendimento médico à população. A inauguração das novas alas começa às 8 horas, com uma visita guiada à imprensa pelo governador Rui Costa.

Construído anexo ao hospital, na rua São Cristóvão, centro da cidade, o novo prédio de 6 mil metros quadrados dobrou também o tamanho da área construída para o HGPV. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, agora serão 276 leitos, 6 consultórios, 4 enfermarias e 6 salas de cirurgias para atender toda a região formada por 600 mil habitantes de 27 municípios. Passará de 780 para 1.230 funcionários.

FACEBOOK CONDENA ATAQUES A AGÊNCIAS BRASILEIRAS DE CHECAGEM DE DADOS

Facebook condenou ataques a agências de checagem de dados || Foto Agência Brasil

Uma semana após iniciar uma parceria com agências brasileiras de checagem de dados, o Facebook divulgou uma nota criticando os “ataques” que as organizações têm sofrido de movimentos autointitulados de direita. Segundo a rede social, as agências Aos Fatos e Lupa, verificadoras das chamadas fake news, são certificadas e auditadas por uma instituição internacional apartidária. Nos últimos dias, após entrar em vigor a parceria, grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL) criticaram a iniciativa, classificada por eles como “censura”.

O acordo foi assinado no último dia 10 de maio entre o Facebook e as agências Lupa e Aos Fatos. Se uma notícia compartilhada no perfil de um usuário é denunciada por internautas e confirmada como falsa pelas agências, o Facebook automaticamente reduz sua distribuição no Feed de Notícias e impede o impulsionamento dela.

Em vídeo divulgado na última quarta-feira (16), o coordenador do MBL, Kim Kataguiri, disse que as agências são de esquerda e fazem a checagem de dados com “viés ideológico”. “Quando você vai ver quais são esses checadores, você vai ver que são pessoas absolutamente esquerdistas. Na verdade, todas as publicações com viés mais liberal, conservador e de direita, vão ser censuradas e ter seu alcance cortado e ninguém vai poder falar absolutamente nada”, afirmou.

No vídeo, Kataguiri chegou a criticar nominalmente um ex-integrante da Agência Pública. A organização, no entanto, não faz parte da parceria com o Facebook. Sátiras foram publicadas também em outros perfis como o Carta Capitalista com ironias à Agência Lupa, na qual o mascote aparece alterado, portando um boné do MST, e a organização é denominada Agência Lula, em referência ao ex-presidente.

Publicado nesta sexta-feira (18), o comunicado do Facebook diz que a rede social está comprometida em combater a desinformação, motivo pelo qual lançou a ferramenta. Segundo a nota, as agências de checagem de dados fazem parte da International Fact-Checking Network (IFCN), organização que atesta o compromisso dos checadores com a “imparcialidade” e “transparência” de suas metodologias.

“O Facebook é um espaço para todas as ideias, mas não para a disseminação de notícias falsas. Nos últimos dias, nossos parceiros no Brasil têm sido alvo de ataques pelo trabalho que estamos fazendo para ajudar a construir uma comunidade melhor informada. O trabalho deles é checar fatos, não ideias. Condenamos essas ações e seguimos comprometidos em trabalhar com organizações reconhecidas pela IFCN no nosso programa de verificação de notícias. Porque as pessoas não querem a disseminação de notícias falsas no Facebook. E nós também não”, disse o Facebook.

Durante a semana, a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) também repudiou as reações à checagem dos fatos. Segundo a organização, os colaboradores das agências de fact-checking têm tido seus perfis “vasculhados e expostos em montagens” com o objetivo de vinculá-los a uma ideologia.

“Os conteúdos e falas incitam o público a ‘reagir’. Em alguns casos, fotos de cônjuges e pessoas próximas aos profissionais também foram disseminadas junto a afirmações falsas e ofensivas. Para a Abraji, a crítica ao trabalho da imprensa é válida e necessária. Ao incitar, endossar ou praticar discurso de ódio contra jornalistas, porém, aqueles que reprovam as iniciativas de checagem promovem exatamente o que dizem combater: o impedimento à livre circulação de informações”, criticou a associação.

PARCERIA

Ao aderir à iniciativa, a agência Aos Fatos explicou aos internautas como eles podem reportar o conteúdo supostamente falso que, se confirmado, teria o seu alcance diminuído. Segundo a organização, a ferramenta já funciona nos Estados Unidos, onde foi possível cortar em 80% a distribuição de informações consideradas falsas por agências de verificação.

As agências esclarecerem que não haverá censura dos conteúdos, já que os usuários que quiserem compartilhar as notícias falsas receberão apenas um alerta de que a veracidade da informação foi questionada. “Notícias consideradas falsas pelas plataformas de checagem não poderão ser impulsionadas no Facebook. E as páginas que publicarem com frequência tais conteúdos não terão mais a opção de usar anúncios para construir suas audiências”, informou a Aos Fatos.

De acordo com o Facebook, a ferramenta já alcançou “resultados encorajadores” nos primeiros dias de lançamento e que a parceria tem contribuído para melhorar a “qualidade das notícias da plataforma”.

“Em sua primeira checagem de conteúdo no Facebook, nossos parceiros na Agência Lupa atestaram que era falsa uma notícia de que uma vacina contra gripe estaria causando um ‘surto mortal’ nos Estados Unidos. No momento da verificação, o conteúdo já tinha milhares de interações na nossa plataforma. O exemplo acima é uma demonstração da importância do trabalho feito pelos verificadores de fatos. Eles funcionam muitas vezes como um serviço de utilidade pública”. Da Agência Brasil.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia