Oziel (à esq.) é acusado por Bebeto de agir com “má-fé” para beneficiar irmão de Geddel

Esquentou o clima entre o prefeito de Camacan, Oziel Bastos, o Oziel da Ambulância, e o deputado federal Bebeto Galvão (PSB-BA) por causa de uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil. O dinheiro foi assegurado ao município sul-baiano por meio de emenda do deputado federal ilheense, que acusa o prefeito Oziel da Ambulância de má-fé ao atribuí-la ao deputado federal e irmão de Geddel Vieira Lima, Lúcio Vieira Lima, do MDB.

Os R$ 100 mil, explica Bebeto, foi liberado para aquisição de kit para o Conselho Tutelar de Camacan. “O repasse, registrado no Ministério da Justiça e Cidadania com o número 30280011, foi atribuído ao parlamentar Lucio Vieira Lima, numa atitude de má-fé do prefeito Oziel Bastos, com o intuito de favorecer o deputado que tem seu apoio”, afirma Bebeto.

O kit inclui a aquisição de um veículo zero quilômetro para atender às demandas dos conselheiros tutelares de Camacan, bebedouros, equipamentos de informática e móveis para a sede do órgão, responsável por fiscalizar, coibir e dar assistência a crianças e adolescentes em vulnerabilidade.

De acordo com Bebeto, a destinação de emendas é um dos papéis de relevância desempenhados pelo seu mandato, como forma de beneficiar as cidades e auxiliar os prefeitos, “principalmente nessa quadra de crise em que está o País”. Para o parlamentar do PSB baiano, “é de estranhar a atitude de um gestor público que mente sem pudores para tirar proveito e vender como suas e de seu grupo realizações de terceiros”.