Junho é o mês das comids tépicas

A nutricionista do Centro de Assistência ao Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), Lorenna Fracalossi, alerta às pessoas com algum problema de saúde para os cuidados com a alimentação neste período em que os baianos consomem bastante comida típica.Produtos como amendoim, milho, laranja, pamonha, bolos e mingaus de diversos sabores, além dos licores, devem ser consumidos com moderação por pessoas que têm problemas de saúde como diabetes.

A especialista recomenda que se deve dar prioridade às comidas in natura, menos processadas como o milho e o amendoim. “Milho cozido ou assado é uma ótima opção para ser consumido no cardápio junino, por ser fonte de energia e fibras que aumenta a saciedade, uma vez que o grão não perde a sua casca no processo de cocção, o que exige uma mastigação adequada”.

A nutricionista explica que o amendoim é fonte de gorduras boas, magnésio, vitaminas do complexo B, ômega3, tem ação antiinflamatória, “contudo, também deve ser consumido com moderação devido ao seu valor calórico”, orienta a nutricionista, que deu uma opção de itens a serem consumidos, sem culpa, na noite de São João: “uma pessoa diabética pode consumir uma espiga de milho, uma fatia de bolo, preparado com adoçante e uma xícara de amendoim, que não comprometerão seu controle glicêmico”.

Ela destaca que é importante ficar atento às quantidades e não exagerar. E dá exemplos para a contagem do carboidrato: uma xícara de amendoim tem 10 gramas de carboidratos, uma espiga de milho, 15 gramas, uma laranja 15 gramas.

MAIS DICAS

Lorenna Fracalossi dá dicas de como minimizar o efeito calórico na preparação de bolos, mingaus, mungunzá, que levam açúcar, mel, melaço ou leite condensado. De acordo com a nutricionista, é interessante substituir o açúcar por um adoçante próprio para forno e fogão e, em relação às gorduras, reduzir o leite de coco das receitas. “Por exemplo, usar 50% de leite desnatado e 50% do leite de coco”.

Já os licores, uma das bebidas mais consumidas nesta época do ano, o cuidado deve ser redobrado, ressalta a nutricionista. “O açúcar presente nessa bebida leva ao aumento de glicemia, porém, mais tardiamente o álcool poderá provocar uma hipoglicemia (baixa de açúcar)”.

Mas não são apenas as pessoas que têm algum problema de saúde que devem se preocupar com a alimentação. Nesta época também estão presentes diversos fatores de risco de intoxicação/envenenamento. “Neste período, são frequentes as intoxicações por alimentos contaminados e bebida alcoólica”, alerta Daniel Rebouças, médico toxicologista e diretor do Centro de Informações Antiveneno (Ciave).

CUIDADO COM INTOXICAÇÃO

Uma das grandes atrações da festa de São João são as comidas típicas. Assim, deve-se estar atento para não sofrer intoxicação causada por alimentos contaminados por bactérias ou fungos que produzem toxinas, principalmente aqueles mal armazenados, manipuladas ou expostos ao ambiente por muito tempo.

Além dos alimentos prontos, deve-se ter cuidado também com os ingredientes como o amendoim e o milho, pois podem representar um grande perigo à saúde quando contaminados por fungos ou bactérias. Portanto, para garantir que as delícias de São João não se transformem em dor de cabeça, é preciso tomar muito cuidado na hora de comprar os ingredientes e manusear os pratos.

Deve-se dar preferência aos alimentos frescos e evitar aqueles que possam ter sido manipulados, principalmente se estiver exposto ao ambiente, pois pode constituir em um meio de cultura fácil para a proliferação de germes patogênicos.