Vítima foi espancada pelo homem à direita

A Polícia Civil de Ilhéus tenta prender Masuquielves Menezes dos Santos, o “Masulque”, que é acusado de espancar Adriana Oliveira Santos, de 18 anos, que morreu na quarta-feira (20), enquanto esperava no Departamento de Polícia Técnica (DPT), em Ilhéus, para ser submetida ao exame de copo de delito. Era era namorada do acusado.

Adriana Oliveira morreu dois dias depois de ser espancada pelo homem, que é considerado foragido pela polícia. As agressões ocorreram na casa do suspeito, no bairro Teotônio Vilela. A polícia informou que Adriana Oliveira não foi a primeira mulher espancada por “Masulque”. Ele já foi indiciado em 2013.

A jovem chegou a ser internada na segunda-feira (18), no Hospital Costa do Cacau (HRCC), mas recebeu alta médica na terça-feira (19). A família reclama que não foi feito uma tomografia na cabeça da vítima para identificar as graves lesões no local.

VERSÃO DO HOSPITAL

Já HRCC informou, por meio de nota que “todos os procedimentos compatíveis ao quadro foram cumpridos, inclusive todos os exames necessários para a avaliação do seu quadro clínico, exames radiológicos da face e do tórax, não sendo identificado nenhum dano de gravidade. A paciente encontrava-se lúcida e orientada”.

Disse também que ”seguindo os procedimentos técnicos recomendáveis, a paciente foi medicada e, mesmo com o diagnóstico comprovado pelos exames de que o seu quadro clínico não apresentava gravidade, permaneceu em observação até às 16h30min do dia seguinte (terça-feira, 19). Estável do ponto de vista hemodinâmico e respiratório foi liberada com melhora do estado geral”.