Inscrições no Mais Futuro começam na terça-feira

A Secretaria da Educação da Bahia publicou, neste sábado (30), um novo edital para inscrições para mais uma etapa do Mais Futuro. O programa de assistência estudantil oferece auxílio financeiro para alunos das universidades Estaduais de Feira de Santana (Uefs), de Santa Cruz (Uesc), do Sudoeste da Bahia (Uesb) e da Universidade do Estado da Bahia, (Uneb). Os beneficiados são estudantes em condições de vulnerabilidade socioeconômica, inscritos no CadÚnico.

Neste edital, as inscrições podem ser feitas por alunos novos, ainda não contemplados nas etapas anteriores, através do site maisfuturo.educacao.ba.gov.br, obedecendo ao seguinte cronograma: estudantes da Uesb e Uneb podem se inscrever de 3 a 13 de julho; e os alunos da Uefs e Uesc podem se inscrever de 7 a 17 de agosto.

Os interessados em participar desta etapa devem estar atentos para ter o registro atualizado no cadastro centralizado de programas sociais do Governo Federal (CadÚnico). Para fazer essa atualização é preciso ir até o setor responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família na cidade em que mora.

O valor da bolsa é de R$ 300 para quem estuda a até 100 quilômetros de onde mora, ou de R$ 600 para os que vivem a uma distância maior, pois para estes há a necessidade de moradia temporária na cidade onde estuda. O estudante poderá receber o auxílio até completar dois terços do curso. No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado.

Até o fim de 2018, cerca de R$ 50 milhões serão investidos pelo governo de estado no programa. O pagamento das bolsas é feito diretamente ao próprio estudante, através de cartão, em conta bancária criada exclusivamente com essa finalidade.

O secretário da Educação, Walter Pinheiro, destaca que o programa contribui para a permanência daqueles estudantes que mais precisam de apoio para continuar estudando. “Com o Mais Futuro, o Governo da Bahia contribui de forma decisiva para que os estudantes concluintes do Ensino Médio tenham a garantia de que, ao ingressar em uma das universidades estaduais, possam cursar e finalizar o Ensino Superior, principalmente para os de baixa renda, que por muitos motivos acabam abandonando a universidade”.