Câmara concede maior suplementação ao Executivo

A contragosto do relator Enderson Guinho (PDT), que defendia até 5% de suplementação, o Plenário autorizou, por maioria, que o Orçamento de Itabuna receba até 15% de reforço. O crédito suplementar, justificou o Executivo itabunense, deve-se a insuficiências de dotações para cobrir despesas como folha de pessoal. Guinho considera que houve “falha de planejamento” da gestão Fernando Gomes. A bancada governista retrucou com o quadro econômico “desfavorável do país”.

Para promover os ajustes orçamentários, a Prefeitura vai utilizar recursos provenientes de excesso de arrecadação – detectado durante a execução orçamentária deste ano – e da anulação de despesas. Com o novo crédito autorizado na última quinta (26), Itabuna poderá reforçar em 25% seu Orçamento Anual. Dentro da Lei Orçamentária Anual (LOA), a Casa já havia concedido créditos iniciais de 10% ao Governo ante os 90% pedidos à época.