Itabuna e Ilhéus perdem mais de 900 vagas em seis meses

Itabuna é um dos três municípios baianos que mais perderam postos de trabalho com carteira assinada neste ano, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. De janeiro a junho foram 4.231 contratações e 4.902 demissões, o que resultou na eliminação de 671 vagas, das quais 317 somente no mês passado, conforme levantamento feito pelo PIMENTA.

No primeiro semestre, Itabuna só perdeu menos empregos que Camaçari, na região Metropolitana, que registrou 13.098 contratações e 14.396 desligamentos, o que representou saldo negativo de 1.298 vagas; e Salvador, que abriu 92.086 postos de trabalho e fechou outros 92.983. Com isso, o saldo de empregos na capital baiana ficou negativo em 897 vagas.

No sul da Bahia, o resultado foi ruim também em Ilhéus. Foram 2.899 contratações e 3.175 demissões, resultando na perda de 276 postos de trabalho. Outros municípios baianos com desempenho ruim no primeiro semestre foram Lauro de Freitas (-625), Mata de São João (-587) e Porto Seguro (-635).

RESULTADOS POSITIVOS

Os melhores resultados foram registrados em Alagoinhas (351), Barreiras (543), Brumado (349), Campo Formoso (559), Casa Nova (413), Conceição do Jacuípe (560), Correntina (303), Cruz das Almas (415) e Dias d’Ávila (1.307), Esplanada (313),  Eunápolis (1.952), Feira de Santana (945).

A lista de municípios com bons resultados na geração de empregos inclui também Itamaraju (222), Jequié (215), Juazeiro (2.462), Luís Eduardo Magalhães (1.154), Mucuri (482), Muritiba (280), Santo Antônio de Jesus (374), Simões Filho (1.117), Teixeira de Freitas (591) e Vitória da Conquista (1.126).No acumulado do ano, o saldo de empregos formais na Bahia é de 13.819.