WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba



policlinica





julho 2018
D S T Q Q S S
« jun   ago »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

editorias






:: 29/jul/2018 . 21:44

APÓS VITÓRIA SER GOLEADO NO PARANÁ, VAGNER MANCINI É DEMITIDO

Vagner Mancini é demitido após nova goleada

Vagner Mancini não é mais técnico do Vitória. O treinador não suportou mais um vexame, desta vez goleada (4×0), contra o Atlético Paranaense, e foi demitido ainda nos vestiários da Arena da Baixada, em Curitiba.

Mancini foi anunciado como técnico do Vitória no dia 25 de julho do ano passado. Ele chegou ao clube para tentar salvar o Vitória do rebaixamento e conseguiu. Na época, a equipe tinha 12 pontos em 16 partidas e era vice-lanterna do Brasileirão. Após cumprir sua missão, ele permaneceu no clube para a temporada de 2018.

Em sua quarta passagem pelo Vitória (as anteriores foram em 2008, 2009 e entre 2015 e 2016), Mancini acumulou 67 partidas no currículo, com 29 triunfos, 15 empates e 23 derrotas – o aproveitamento é de 50,7%.

O Vitória anunciou o desligamento oficialmente: “O Esporte Clube Vitória comunica que Vagner Mancini não é mais o técnico da equipe principal do Clube. A saída do treinador foi definida na noite deste domingo (29). O Vitória agradece os serviços prestados e deseja boa sorte ao profissional, que esteve à frente do comando técnico do Leão em 216 partidas”, diz o comunicado. Mancini é o treinador que mais comandou o rubro-negro na história do clube.

Após o comunicado, o presidente Ricardo David fez um breve pronunciamento e agradeceu ao treinador pelos serviços prestados. “Estávamos reunidos e decidimos que o treinador Vagner Mancini não segue no nosso comando técnico. Nós queremos agradecer ao treinador pelo ano de trabalho no Vitória e, já de imediato, estamos tomando todas as providências para buscar um novo comando técnico para a equipe”, disse. Leia mais aqui.

COLISÃO ENTRE CARRO E MOTO DEIXA UM MORTO NA RODOVIA ILHÉUS-ITACARÉ

Colisão entre carro e moto deixa um morto|| Foto PRE

Um acidente envolvendo um carro de passeio e uma moto, na tarde deste domingo (29), na BA-001, no trecho que liga Ilhéus a Itacaré, deixou uma pessoa morta. Uma equipe do Samu de Ilhéus foi acionada, mas quando chegou ao local não tinha mais nada que pudesse fazer para salvar a vida do motociclista Marivaldo da Silva Teles. De acordo com testemunhas, os dois veículos chocaram-se de frente.

Carro ficou destruído em acidente na Ilhéus/Itacaré|| Foto PRE

Com impacto, o piloto da moto foi jogado a dez metros de distância da colisão. O capô do carro ficou destruído, mas a pessoa que estava ao volante nada sofreu. A polícia está apurando o que provocou o acidente. Não chovia na hora da colisão. Há indício de imprudência de um dos envolvidos no acidente.

UNEB ABRE NESTA SEGUNDA SELEÇÃO PARA DOUTORADO E MESTRADO

Uneb abre inscrições para mestrado e doutorado

Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) abre, nesta segunda-feira (30), inscrições para a seleção de alunos regulares dos cursos de mestrado e doutorado para as turmas de 2019.

Serão ofertadas 65 vagas, sendo 37 para o mestrado e 28 para o doutorado, distribuídas nas seguintes linhas de pesquisa: Processos civilizatórios: educação, memória e pluralidade cultural; Educação, práxis pedagógica e formação do educador; Educação, gestão e desenvolvimento local sustentável; e Educação, currículo e processos tecnológicos.

Para concorrer às vagas do mestrado, o candidato deve preencher e assinar ficha de inscrição on-line e enviar todos os documentos especificados no edital da seleção exclusivamente pelos Correios (Sedex). A taxa é de R$ 120 e o candidato tem até 31 de agosto para se inscrever.

As inscrições para a seleção do doutorado do PPGEduC estarão disponíveis até o dia 21 de setembro. Os interessados também devem preencher ficha de inscrição on-line e encaminhar toda a documentação requerida no edital exclusivamente pelos Correios (Sedex). O valor da taxa é de R$ 170.

O resultado da seleção para o mestrado e o doutorado está previsto para o dia 21 de dezembro. Informações sobre as etapas do processos seletivos e matrícula podem ser consultadas no site do programa e no edital da seleção. Mais informações no endereço www.ppgeduc.uneb.br.

QUEM DISSE QUE NÃO ÉRAMOS COSMOPOLITAS?

Walmir Rosário

 

 

Não nego que preferia a vida noturna de antes, quando íamos às festas com a única intenção de ouvir uma boa música, beber cerveja e cuba libre e jogar conversa fora, dentre outras coisas.

As leis foram feitas para serem descumpridas, diz os mais céticos sobre a mania do brasileiro com o famoso jeitinho deixado pelos portugueses como uma célebre herança para nós. E têm uma certa razão (se é que ela existe pela metade), basta atentarmos para a profusão da nossa legislação atual. Ir e vir está lá consagrada na nossa Constituição Cidadã, mas sempre escamoteada.

Me lembro de tempos passados em que qualquer um poderia andar – bater pernas, como se dizia – à vontade, seja em que horário fosse, sem ser incomodado. Mesmos às madrugadas da velha Itabuna, retornando das farras, andando pelas ruas da cidade. Naqueles tempos, incômodos nenhum, ou pouquíssimos, quando encontrávamos algum boêmio como nós e nos pedia: “Tem um cigarrinho aí, turma?”.

Morador do bairro da Conceição, que os moradores do centro e outros bairros chamavam pejorativamente de Abissínia (por causa da guerra com a Itália do Benito Mussolini, 1935/36), andávamos sem qualquer sobressalto. Um ou outro amigo do alheio até que se escondiam nos guarda-corpos da ponte Góes Calmon (a ponte velha), deixávamos passar com tranquilidade, pois sabia que na volta da farra não se carregava dinheiro.

Pois é, naquela época reclamávamos de outras coisas, é certo, mais o direito de ir e vir estava assegurado pela nossa coragem em frequentar os muitos clubes e bares da cidade, sem qualquer restrição. Longe de mim traçar qualquer comparação entre as vantagens e desvantagens da vida em Itabuna em épocas diferentes, mas como o homem é um ser que se adapta bem no seu ambiente, os modos e costumes são de fácil adaptação.

Não nego que preferia a vida noturna de antes, quando íamos às festas com a única intenção de ouvir uma boa música, beber cerveja e cuba libre e jogar conversa fora, dentre outras coisas. E tínhamos todos esses locais disponíveis, que começava com uma preliminar nos bares da moda: Primavera, Santa Rita, ABC da Noite, Avenida, Vagão (posteriormente, Balcão) e por aí afora.

Após o esquenta, era chegada a hora de boates e clubes, a depender da programação. E esses locais eram o que não faltavam, dos mais modestos aos mais luxuosos, como São Caetano, Fátima, Conceição, Mangabinha (chegou a abrigar dois), sem falar no Pontalzinho (alto da colina) ou os vetustos Itabuna e Grapiúna. Cada qual com uma programação diferente e de chamar a atenção.

Festávamos muito, bebíamos muito, vivíamos com intensidade, até no trabalho e nos estudos. Assim era a vida naquela Itabuna em desenvolvimento e cosmopolita por natureza. Na volta pra casa, coçávamos os bolsos para dividir o dinheiro do táxi, mas se a vaquinha não dava, íamos a pé, felizes e contentes pelas ruas da cidade. Volta e meia encontrávamos uma ou outra figura folclórica mexíamos com eles e ouvíamos os impropérios. Nada demais, não precisaríamos ser politicamente corretos.

Também encontrávamos os inimigos (melhor definindo: adversários) de outros bairros, dizíamos e ouvíamos algumas lorotas e, a depender da conveniência, partíamos para a briga. Nada de armas, apenas socos pontapés alguns golpes de defesa pessoal com a recém-chegada capoeira, e pronto. Tanto fazia bater como apanhar, uma nova refrega já ficava marcada para o futuro.

No dia seguinte, nos encontrávamos na escola, no trabalho, na praça Olinto Leone (jardim da prefeitura velha), sem ressentimentos, apreciávamos o incansável desfile das moças, conversávamos amenidades, até certo ponto. Ouvíamos música, os mais recentes lançamentos do Rio e São Paulo, em nossas vitrolas que funcionavam com quatro ou seis pilhas Rayovac ou Eveready.

Contando hoje a quem não viveu em Itabuna daquela época (anos 50, 60 e início dos 70), poderemos ser olhados de soslaio por alguém acostumados com as novas tecnologias e tentar nos ridicularizar com a vida pachorrenta. Mesmo falando do número de cinemas que tínhamos disponíveis, a exemplo do Itabuna, Marabá, Catalunha, Oásis e Plaza, os que não viveram aquela época não conseguem comparar com as facilidades dos canais de TV e a Netflix, Primevideo, etc.

Ainda não víamos televisão por essas bandas, mas dispúnhamos das rádios Clube (hoje Nacional), Difusora e Jornal, que nos informavam as notícias mais recentes do momento e o que tinha de mais novo nas paradas de sucesso. Não satisfeitas, ainda promoviam os programas musicais ao vivo, diretamente das praças, ou nas matinês de domingo no Cine Catalunha.

Mas, para arrematar nossa conversa, nesses 108 anos de Itabuna não descarto épocas, nem mesmo a que vivemos agora, com esse viés de violência, mas ainda prefiro nos meus tempos de infância e juventude. Para encerrar com o mesmo assunto que iniciei, prefiro andar à vontade, despreocupado, sem o compromisso de chegar cedo, pois o meu relógio só marca o horário da saída. A volta é uma questão de gosto e conveniência.

Quem disse que não éramos cosmopolitas?

Homenagem aos 108 anos de Itabuna.

Walmir Rosário é advogado, radialista e jornalista., além de editor do Cia da Notícia.

SEGUNDA DE EXPECTATIVA

Marco Wense

 

O deputado federal Bebeto (PSB) já declarou que sua indicação para a suplência de Jaques Wagner, candidato a senador já considerado eleito, não apaga a ingratidão do PT com Lídice.

 

É grande a expectativa do PDT e do PT com a reunião da executiva nacional do PSB programada para amanhã, segunda-feira (30).

Os socialistas vão decidir qual a posição da legenda na sucessão presidencial, se formaliza uma aliança com o PDT, PT ou se toma o caminho da neutralidade, liberando os diretórios estaduais para decidirem de acordo com suas conveniências políticas locais.

O PSB do Rio de Janeiro saiu na frente. Por unanimidade, o voto é para uma aliança com o PDT, que tem Ciro Gomes como pré-candidato ao Palácio do Planalto.

Ainda sem tomar uma posição oficial, mas já tornada pública a preferência, temos o PSB de Brasília, com o PDT, e o de Pernambuco, com o PT.

O apoio do PSB é importante, não só devido ao partido, suas lideranças e ao tempo no horário eleitoral. A decisão da legenda puxa o PCdoB, deixando o PT isolado com seu plano B, seja com Jaques Wagner ou Fernando Haddad.

E o PSB da Bahia? Essa é a pergunta que mais se ouve nos batidores, não só no staff petista como no socialista. O fato do PT ter deixado a senadora Lídice da Mata fora da chapa encabeçada pelo governador Rui Costa (reeleição) vai influenciar na decisão do partido?

É bom lembrar que Lídice é a presidente estadual do PSB e, salvo engano, vice-presidente nacional. A parlamentar foi defenestrada sem dó e piedade.

O deputado federal Bebeto (PSB) já declarou que sua indicação para a suplência de Jaques Wagner, candidato a senador já considerado eleito, não apaga a ingratidão do PT com Lídice. Como o segundo mandato de Rui é dado como favas contadas, Wagner assumiria uma secretaria e Bebeto o seu lugar no Senado da República.

Com efeito, fizeram a mesma coisa com o também deputado Davidson Magalhães, dirigente-mor do PCdoB da Bahia. O comunista é suplente de Ângelo Coronel (PSD), cujo partido apoia o presidenciável tucano Geraldo Alckmin.

Lídice não demonstra sua decepção de público, mas desabafou seus sentimentos com Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, cuja inclinação por Ciro Gomes é notória.

Segunda é o dia, se a decisão não for transferida para 5 de agosto, prazo limite para decidir o rumo dos partidos na eleição que vai indicar o substituto do presidente mais impopular da história da República: o emedebista Michel Temer.

Marco Wense é articulista político.

PARA CORONEL, RESISTÊNCIA NO PSB É PASSADO; ROSEMBERG COBRA ALINHAMENTO NO PT

Coronel, ao centro, e Rosemberg falam de estratégia eleitoral

Presidente da Assembleia Legislativa, Angelo Coronel (PSD) vê a resistência ao seu nome dentro do PSB e do campo progressista como coisa do passado. “Já foi superado, tanto é que o PSB indicou Bebeto para primeiro suplente ao Senado”, disse ele, para quem vencer a resistência no eleitorado do mesmo campo é um processo a ser construído. “Estamos na pré-campanha”, pontuou.

Coronel respondeu e chamou o deputado estadual Rosemberg Pinto para responder sobre a resistência dentro do PT. O parlamentar disse que apenas 5% do eleitorado tem “voto de opinião”. Para Rosemberg, a estratégia a ser adotada por Angelo Coronel e a chapa governista é a de convencimento das principais lideranças nos municípios – prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e outros líderes locais.

Rosemberg e Coronel participaram de evento em Itabuna, neste sábado (28). “O que eu vejo não é resistência do ponto de vista ideológico”, disse o parlamentar, observando que toda a base governista baiana não votou a favor do impeachment da presidente Dilma. A resistência, na visão de Rosemberg, é natural a partir do momento que se tinha uma mulher, senadora, que tentava reeleição. “Mas o PSD aglutinou uma composição eleitoral e, na discussão, isso valeu bastante para que não fosse ela e, sim, Angelo Coronel”. Ainda segundo o petista, há compromisso da base de fazer de Lídice deputada federal”.

RESISTÊNCIAS NO PT

Ainda ao falar de estratégia eleitoral, Rosemberg fez uma espécie de mea culpa petista. Citou o caso de pré-candidatos a deputado que fizeram material para o encontro em Itabuna sem citação ao nome de Coronel, apenas ao de Wagner. “Acho, inclusive, que nós temos que sair com posição pública de composição da chapa, para não gerar dúvidas na chapa majoritária”, afirmou. “Até, porque ninguém do PT vai votar nos outros candidatos. Todos os outros candidatos ao Senado votaram pelo impeachment da presidente Dilma”.

MEC ALTERA DATA PARA COMPLEMENTAÇÃO DE INFORMAÇÕES NO FIES

MEC altera datas para complementar informações no Fies

Os pré-selecionados para participarem do Fundo de Financiamento Estudantil do primeiro semestre terão entre os dias 30 de julho e 3 de agosto para a complementação da inscrição. Cerca de 12 mil pré-selecionados no processo seletivo do Fies do primeiro semestre tiveram suas vagas postergadas.

Para fazer a complementação da inscrição, o estudante precisa acessar a página do Fies na internet e fornecer as informações complementares, por exemplo, a porcentagem a ser financiada e dados da agência bancária para receber o benefício.

A contratação do financiamento só pode ocorrer após a complementação das informações e a aprovação delas pela Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de educação superior para o qual o candidato foi pré-selecionado.Pode concorrer quem tenha feito uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos e nota acima de zero na redação.

Podem ser financiados os cursos de graduação com conceito maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) ofertados pelas instituições de educação superior participantes do Fies. Também podem participar do programa os cursos ainda não avaliados pelo Sinaes, mas que estejam autorizados para funcionamento pelo cadastro do MEC.

PARTIDOS TÊM SÓ ESTA SEMANA PARA CONVENÇÕES

Após mais uma rodada de convenções partidárias, foram homologados seis candidatos a presidente da República: Ciro Gomes (PDT), Guilherme Boulos (PSol), Jair Bolsonaro (PSL), José Maria Eymael (DC), Paulo Rabello de Castro (PSC) e Vera Lúcia (PSTU).

Desses, Boulos, Eymael e Vera Lúcia saíram das convenções nacionais com as chapas completas. Os outros três ainda não escolheram os candidatos a vice-presidente.

Os partidos têm a até o próximo domingo (5) para realizar convenção nacional e decidir como vão se posicionar na corrida presidencial. Dezesseis partidos, entre eles MDB, PT, PSDB, Rede, DEM e PSB, vão se reunir na próxima semana, entre quarta-feira e domingo. O prazo para pedir registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se encerra dia 15 de agosto.

Alckmin

Cinco legendas – PTB, PSD, SD, PV e DC – realizaram convenções hoje. Desses, somente o DC lançou candidatura própria a presidente. PTB, PSD e SD vão apoiar o tucano Geraldo Alckmin, que ainda não foi confirmado na convenção.

O PV não terá candidato à Presidência, mas recebeu convite do Rede Sustentabilidade para indicar o vice na chapa que deverá ser liderada por Marina Silva. O PSDB se reunirá no próximo sábado (4), em Brasília.

Campanhas

A partir das convenções, os partidos podem adotar medidas práticas para desencadear a campanha eleitoral. Por exemplo, podem assinar contratos para instalação física e virtual dos comitês dos candidatos e dos partidos. Mas o pagamento de despesas só é permitido após a obtenção do CNPJ do candidato e a abertura de conta bancária específica para a movimentação financeira de campanha e emissão de recibos eleitorais.

O CNPJ é solicitado à Secretaria da Receita Federal depois da apresentação das candidaturas à Justiça Eleitoral. Emitido o CNPJ os partidos políticos e os candidatos devem enviar à Justiça Eleitoral, para divulgação na internet, os dados de arrecadação para financiamento da campanha eleitoral, observado o prazo de 72 horas após o recebimento dos recursos. Da Agência Brasil.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia