Ministério Público denuncia servidores por corrupção

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) denunciou os ex-servidores da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), Everaldo de Oliveira Santana Júnior e Caroline Nunes da Silva, pelo recebimento de R$47.542,98 em vantagens indevidas, em um esquema de fraude que teria funcionado por mais de três anos.

De acordo com a denúncia apresentada à justiça pelo promotor público Tiago de Oliveira Quadros, os valores eram creditados por Everaldo, então assessor administrativo encarregado pela gerência de admissão e acompanhamento de pessoal da Uefs, na folha de pagamento de Caroline Nunes.

Segundo o promotor de Justiça, “os valores indevidos eram, posteriormente, repartidos entre ambos, que eram amigos pessoais”. A denúncia revela que o montante desviado era de cerca de R$2.500 por mês, com algumas interrupções. O promotor afirma que o desvio de recursos aconteceu entre os meses de julho de 2014 e outubro de 2017.

O representante do MP-BA informou que a irregularidade só se tornou conhecida quando outro servidor tentou inserir na folha de Caroline Nunes dados referentes a um adicional noturno, ao qual ela fazia jus, e detectou valores referentes a uma substituição que ela não havia feito, reportando o fato aos seus superiores.

A Uesf abriu um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) e os dois servidores, que ocupavam cargos temporários, foram demitidos.