O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) barrou 154 candidaturas na Bahia após contestações feitas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE). Os pedidos de indeferimento, segundo o procurador Cláudio Alberto Gusmão Cunha, chefe do MPE, ocorreram devido a irregularidades que vão desde situações de inelegibilidade por conta da Lei da Ficha Limpa até problemas com documentação.

Desse total, apenas um, até agora, teve o registro negado pelo TRE por ser considerado ficha suja. Trata-se de Alfredo Boa Sorte (Psol), que tenta chegar à Assembleia, mas teve contas rejeitadas quando comandava uma superintendência da Secretaria de Saúde do estado. Ele, contudo, ingressou com recurso e já aparece como apto. No total, o MPE apresentou 14 ações de impugnação e 219 pronunciamentos pelo indeferimento. Das 233 contestações, 51% foram aceitas pelo TRE.

Duas ações de impugnação do MPE ainda não foram julgadas, ambas de candidatos a deputado federal: a do postulante à reeleição Luiz Caetano (PT) e a do ex-prefeito de Juazeiro Isaac Carvalho (PCdoB). Confira mais na Satélite, no Correio24h.