Teatro Popular estreia novo espetáculo no dia 6

Um novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus estreia no primeiro fim de semana de outubro, na Tenda TPI, na Avenida Soares Lopes. A peça “A espera acabou! Uma Certa Mãe Coragem” será apresentada ao público no dia 6, às 19 horas. Estão previstas ainda sessões nos dias 19 e 27 de outubro, além de 8 de novembro e 8 de dezembro.

Com texto de Paulo Atto e direção de Romualdo Lisboa, a peça inspirada na obra Mãe Coragem e seus filhos, de B. Brecht, está sendo preparada há mais de um ano. No elenco Ely Izidro, Tânia Barbosa, Takaro Victor, Franklin Costa, Pedro Albuquerque, Aldenor Garcia, Maria Cândida, Pablo Lisboa, Genícia Barbosa e Laiane Vitória dão vida aos personagens desta história passada na guerra dos trinta anos, na Europa. A direção musical é de Antônio Melo e a iluminação de José Carlos N’gão.

TRILOGIA DA GUERRA

A montagem conta a trajetória de Anna Fierling, uma vivandeira, apelidada de Mãe Coragem, que acompanha o exército sueco com sua carroça e vive os horrores da guerra que a faz lucrar. O novo trabalho é a segunda parte da Trilogia da Guerra, iniciada em 2017 com “Os fuzis da Senhora Carrar”.

Romualdo explica que “o grupo segue a pesquisa em torno do Teatro Épico do poeta e dramaturgo alemão Bertold Brecht. Isso faz com que a gente tenha mergulhado no universo de três obras com temáticas semelhantes envolvendo a guerra: Os fuzis da Senhora Carrar, Mãe Coragem e seus filhos e A Santa Joana dos Matadouros. Estamos trabalhando muito para trazer uma nova montagem com a marca do Teatro Popular de Ilhéus”.

O espetáculo conta com cenário, figurinos e adereços produzidos por Shicó do Mamulengo. A confecção das roupas ficou por conta das alunas e alunos do Curso de Figurino e Adereços do Teatro Popular de Ilhéus.

Romualdo Lisboa explica que, com esta montagem, “o TPI quer, a partir de suas ferramentas, analisar o Brasil. Um país de grandes possibilidades, mas que está sujeito a todo instante aos fantasmas do fascismo, da ignorância, do machismo, preconceito, discriminação. E quer, para além de tudo, mostrar que uma nova sociedade é possível, mais justa, libertária e humana”. Mais informações pelo telefone (73) 4102-0580 (das 14h às 18h).