WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia





dezembro 2018
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

editorias





itao

ACM NETO E O DESAFIO DE 2022

Marco Wense

Não acredito no surgimento de outro nome como protagonista de uma terceira via, capaz de atrapalhar essa disputa entre ACM Neto versus Otto Alencar, um ex-seguidor do carlismo.

Salvo algum acidente de percurso, a candidatura de ACM Neto, presidente nacional do Partido do Democratas (DEM), ao comando do Palácio de Ondina, na sucessão de 2022, é irreversível.

Não tem como o alcaide soteropolitano fugir da disputa, como fez na eleição de 2018, deixando o oposicionismo a ver navios, desorientado e macambúzio.

O candidato da oposição foi José Ronaldo, ex-prefeito de Feira de Santana, o que terminou levando o governador Rui Costa a conquistar o segundo mandato com uma vitória acachapante.

Seria imperdoável um recuo de Neto na disputa pelo governo da Bahia daqui a quatro anos. Politicamente, um suicídio. Uma tomada de posição que significaria o fim da carreira política.

Nenhuma dúvida: o demista ACM Neto é candidatíssimo. Passa a ser a única opção com viabilidade eleitoral para evitar que o PT faça o sucessor de Rui Costa.

Para os netistas, dois pontos são favoráveis ao líder da oposição: 1) a fadiga do eleitorado com o PT, completando 16 anos de governo com o segundo mandato de Rui Costa. 2) o apoio, dado como favas contadas, do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Sobre o natural cansaço do eleitor, é bom dizer que o próprio governador, em conversas reservadas, já admite que o candidato da situação não pode ser do PT. Opinião compartilhada pelo senador eleito Jaques Wagner.

Vale lembrar que tanto Rui como Wagner, já demonstraram, na sucessão presidencial, que o PT precisa apoiar nomes de outras legendas, amenizando o unânime comentário de que o Partido dos Trabalhadores adora ser apoiado e detesta apoiar.

Rui Costa e Jaques Wagner fizeram de tudo para que Ciro Gomes, do PDT do saudoso Leonel Brizola, fosse o candidato da frente de esquerda em uma aliança com o PSB e o PCdoB. Deu no que deu: Fernando Haddad, o “poste” de Lula, foi derrotado por Bolsonaro.

Em relação ao ponto 2, ACM Neto, ao nomear Alberto Pimentel para a secretaria do Trabalho e Esportes, marido de Dayane Pimentel, eleita deputada federal pela Bahia, procura um canal de comunicação com o governo Bolsonaro.

Dayane, que obteve 136 mil votos, usando a bandeira do combate à corrupção, é presidente estadual do PSL, representante-mor de Bolsonaro na boa terra e do mesmo partido do militar que virou a maior autoridade do Poder Executivo.

Como o PT tende a não ter candidatura própria, ACM Neto terá o senador Otto Alencar, do PSD de Gilberto Kassab, como provável adversário mais difícil de ser encarado.

Não acredito no surgimento de outro nome como protagonista de uma terceira via, capaz de atrapalhar essa disputa entre ACM Neto versus Otto Alencar, um ex-seguidor do carlismo.

Marco Wense é articulista político.

2 respostas para “ACM NETO E O DESAFIO DE 2022”

  • Ninguém dava um centavo que Bolsonaro se quer fosse 3º ou 4º lugar, se quer ganhar a eleição,este comentarista nenhum centavo furado dava.

    A surpresa pode vir na próxima eleição de governador da Bahia,Sargento Isidoro,só vai depender dele,primeiro se afastar de PT já! E continuar seu feijão com arroz até a eleição de governador.

    Uma certa vez li algo que ele disse: “ser viado não é nenhuma desonra,mas ser ladrão é grande desonra,ser sapatão não é nenhuma desonra,mas ser ladra é uma grande desonra” e outras coisas sobre a dedada do enxame de próstata,bem como
    outras frases deste sábio!

    Entretanto,nesta eleição só deu comandante,capitão cabo,general,juiz,major,então
    pode na próxima um sargento governador da Bahia,diante mão,o voto deste comentarista vai ser Governador,Sargento Isidoro a grande surpresa e ninguém vai
    dar um centavo.

  • antonio sousa says:

    Prezado,

    “…naquela época os adversários eram inimigos, o respeito era maior entre os poderes e também de colegas para colegas, não era comum o que a população presencia hoje….” João França Santana 26.Julho.2003

    Depende do mapa político, a ser desenhado em 2020;
    Depende desses próximos 22 meses;
    Depende das notícias falsas(fake news);
    Depende das investigações das denuncias de caixa dois;
    Depende … – “para os amigos tudo. Para os inimigos a Lei”;
    Depende da imprensa;
    Depende da sociedade organizada;
    Depende da ausência de poder;
    Depende dos sucessos e fracassos; e
    Depende do povo, se ele vai continuar pusilânime ou elevará a sua sublime voz; ocupar as ruas e praças…

    A única certeza é que a social democracia implantada depois de 21 anos de ditadura, em 1985, que construiu um Estado de direito, livre e democrático, com todas as garantias individuais a cidadão; acabou.

    Hoje, o que temos é só um presente de grego e uma caixa de pandora, que será aberta em 01 de janeiro de 2019.

    grato

Deixe seu comentário






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia