Manuela Berbert || manuelaberbert@yahoo.com.br

 

 

Uma mente criativa e de visão muito além das dezenas de empresários das grandes gravadoras brasileiras. Pegou seu funk de fundo de quintal e está transformando em um pop ESTRATÉGICO mundial.

 

Estou atrasada, eu sei, mas só no último final de semana parei para assistir à série documental Vai Anitta, exibida na Netflix desde o último 16 de novembro. Acompanhava a sua trajetória artística? Não. Conhecia suas músicas? Somente as brasileiras e mais tocadas. Conhecia seus clipes? Somente os exibidos no Fantástico. Mas o que teria me levado a assistir um documentário sobre a sua vida? O quanto ela e sua empresa têm sido citada nos sites e redes sobre Empreendedorismo e Marketing Pessoal. “Tem alguma coisa aí”, pensei. E tem muito mais do que imaginei!

Como bem disse o escritor Fábio Chap, em um texto ainda em 2017, Anitta foi uma das artistas mais desrespeitadas pela mídia e pelos haters da Internet no começo de uma carreira. Ironizada por Faustão, Willian Waack, Pitty e por inúmeras outras pessoas públicas. Tudo ao vivo. E tudo isso quando tinha menos de 20 anos.

Acontece que a menina Larissa de Macedo Machado hoje é empresária da própria carreira, nacional e internacional, e já tem no currículo inúmeras músicas mais tocadas mundialmente. Vocês têm noção do que é ter UMA música, UMA vez, por sorte ou destino, como A MAIS TOCADA no mundo? Ela já tem VÁRIAS! Como nenhum outro brasileiro! (Muitas eu conhecia e jurava que eram de Mariah Carey, Beyoncé, dentre outras). Tudo isso e muito mais porque estudou inglês e espanhol, gestão, marketing e cultura. Tudo isso, também, cumprindo uma agenda de shows nacional e gerenciando, pessoalmente, há mais de 3 anos, uma grande equipe.

Inovadora, dinâmica e extremamente inteligente, é conhecida nos bastidores como alguém que cobra e até grita e xinga, mas faz acontecer. Uma das cenas que prova isso acontece na gravação do clipe Vai Malandra, na Favela do Vidigal. Enquanto o país discutiu a sua decisão de mostrar ou não as celulites, a gravação dos bastidores mostra que a equipe contratada não deu conta do recado e que, cansada, ela mesma teria retirado os fones do ouvido de todos, colocado em pessoas da sua família e estrutura profissional, e feito a direção do clipe. Cantou, dançou, encenou e dirigiu um dos vídeos mais polêmicos do universo nacional, ponto fundamental para tamanha visibilidade lá fora. “Única, e por isso o universo artístico mundial despertou para ela!”, diz um dos investidores internacionais.

Mulher, de origem periférica e funkeira, com uma voz boa, mas não excelente, e inúmeras plásticas. Tem entendimento sobre uma depressão no meio da carreira, porque lê e estuda sobre tudo. Pacientemente, se permitiu entristecer, para depois reagir. Uma mente criativa e de visão muito além das dezenas de empresários das grandes gravadoras brasileiras. Pegou seu funk de fundo de quintal e está transformando em um pop ESTRATÉGICO mundial. Prestem melhor atenção na menina Larissa de Macedo Machado! Ela está conquistando o mundo!

Manuela Berbert é publicitária e escreve no blog www.manuelaberbert.com.br.