WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
alba





fevereiro 2019
D S T Q Q S S
« jan    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
2425262728  

editorias






:: 3/fev/2019 . 15:12

O SENADO E A CASA DE MÃE JOANA

Marco Wense

Presidente do Senado é o quarto da fila na linha sucessória presidencial. Depois do vice Hamilton Mourão e de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, é ele quem ocupa temporariamente o lugar de Jair Messias Bolsonaro nos casos previstos na Carta Magna: morte, incapacidade, suspensão, renúncia, impedimento ou viagem do presidente titular.

Como forma de protesto, vou comentar a disputa pelo cobiçado comando do Senado sem citar nenhum senador ou senadora, sem nominar os “bois”, contrariando o bom jornalismo político.

O processo eleitoral, com o vai e vem e o pega-pega para eleger o presidente da Casa Legislativa, vai ficar na história da República como o mais atrapalhado, digno de uma republiqueta.

Os momentos de tristeza, assentados em uma grande decepção, superaram o de achar tudo engraçado. “Isso é o Senado?” Perguntava para meus próprios botões, como diria o respeitado jornalista Mino Carta, da revista Carta Capital.

Que coisa, hein?! Que palhaçada, que falta de vergonha! A Casa parecia uma casinha bem suja, imunda, como se estivesse muito tempo sem ser limpa, cheia de lixo, baratas, ratos e até cobras venenosas sob os tapetes empoeirados.

Por duas, três ou quatro vezes, em tom alto e carregado de indignação, soltei um PQP. Não estava acreditando que aquilo era o Senado da República Federativa do Brasil.

Teve de tudo: senadora “roubando” pasta de documentos, senador chamando o outro para porrada, regras do Regimento Interno jogadas na sarjeta, muita confusão, bate-boca, renúncias combinadas, interferência do Poder Judiciário (STF) e uma avalanche de comportamentos não adequados ao Parlamento, que terminou virando uma “casa de Noca”.

Vale lembrar que o presidente do Senado é o quarto da fila na linha sucessória presidencial. Depois do vice Hamilton Mourão e de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, é ele quem ocupa temporariamente o lugar de Jair Messias Bolsonaro nos casos previstos na Carta Magna: morte, incapacidade, suspensão, renúncia, impedimento ou viagem do presidente titular.

No frigir dos ovos, restou a boa notícia da desistência do senador que mais tem problemas com a Justiça. Engraçado foi ele dizer, no seu discurso, no maior cinismo do mundo, que “nunca teve projeto de poder”. De repente, o lobo virou carneirinho.

O eleito para comandar o Senado é um bolsonariano do Partido do Democratas, o DEM. O que se espera é que exerça a função com independência e autonomia, sem ficar como marionete e sabujo do Executivo. Que faça do Senado uma instituição de respeito, restaurando a perdida credibilidade perante o eleitor-cidadão-contribuinte.

O espetáculo circense foi salvo pelo aproveitável discurso do “carequinha”, eleito pelo Estado de Santa Catarina.

Até as freiras do convento das Carmelitas ficaram perplexas com a sessão tumultuada do Senado, que tem tudo para ficar como dantes no quartel de Abrantes.

Só Deus na causa, dizem os esperançosos senadores evangélicos, pra lá e pra cá, nos corredores do Congresso Nacional, com o livro sagrado debaixo do braço.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém. Diria o saudoso, polêmico, inquieto e irreverente jornalista Eduardo Anunciação, hoje em um lugar chamado de eternidade.

Marco Wense é articulista político.

CONFIRA 74 VAGAS DE EMPREGO EM ITABUNA E EM JEQUIÉ NESTA SEGUNDA (4)

A primeira segunda-feira de fevereiro, dia 4, tem oferta de 74 vagas de emprego nas unidades do SineBahia nos municípios de Itabuna e de Jequié. Somente em Itabuna são 54 oportunidades, algumas delas não exigem escolaridade. Em Jequié, são 20 vagas.

Os interessados devem procurar as unidades do SineBahia nos dois municípios. Os documentos exigidos para contratação são carteiras de Identidade e de Trabalho, CPF e comprovantes de residência e de escolaridade. Clique no “leia mais” e confira todas as vagas disponíveis para esta segunda (4). :: LEIA MAIS »

BUSCAS POR VÍTIMAS EM BRUMADINHO CHEGAM AO 10º DIA

Buscas em Brumadinho chegam ao 10º dia neste domingo || Foto Corpo de Bombeiros-MG

Os bombeiros iniciaram hoje (3) o décimo dia de buscas por vítimas do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, em Brumadinho (MG), que ocorreu no último dia 25.

De acordo com balanço mais recente divulgado pela Defesa Civil de Minas Gerais, 395 pessoas foram localizadas pelas equipes de buscas, 226 continuam desaparecidas e 121 morreram.

Cerca de 200 bombeiros participam das buscas diariamente. Desde o rompimento da barragem, no dia 25 de janeiro, mais de mil militares se envolveram nos trabalhos, incluindo tropas de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Espírito Santo, Paraná, Maranhão, Santa Catarina, além de uma equipe de 136 militares do exército de Israel. Segundo já adiantou o Corpo de Bombeiros Militar do estado, não há como prever uma data de encerramento das buscas por vítimas.

Ontem (2), a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que vai cobrar da Vale os custos das operações do resgate. Segundo a AGU, todo o gasto que o governo federal tiver por conta do desastre é passível de cobrança judicial. “Toda a mobilização do Exército, da Defesa Civil, dos ministérios da Saúde e do Meio Ambiente, isso vai ser computado e vai ser passível de cobrança judicial por parte da União, das autarquias e fundações em relação à empresa Vale”, garantiu a AGU.

A mineradora Vale, responsável pela barragem, instalou nesse sábado (2) a primeira membrana no Rio Paraopeba. Conforme informações divulgadas pela empresa, a barreira foi colocada próximo à captação de água da cidade de Pará de Minas, a cerca de 40 quilômetros de Brumadinho. O sistema de captação de Pará de Minas será protegido por três barreiras de retenção. As outras duas devem ser instaladas até hoje (3). Da Agência Brasil.






WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia