Professores das universidades estaduais entram em greve

Professores de três das quatro universidades estaduais na Bahia iniciaram, nesta terça-feira (9), greve por tempo indeterminado. As atividades estão suspensas nas universidades do Estado da Bahia (Uneb), Estadual de Feira de Santana (Uefs) e Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Por enquanto, os docentes da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) não aderiram ao movimento, mas estão em estado de greve.

Os professores reivindicam reajuste salarial, promoções na carreira e aumento dos investimentos nas universidades estaduais. Eles cobram a destinação de 7% da Receita Líquida de Impostos (RLI) para o orçamento anual das universidades estaduais. Hoje, segundo os professores, o índice gira em torno de 5%.

Os docentes querem reposição integral da inflação do período de 2015 a 2017, em uma única parcela, com índice igual ou superior ao Índice de Preço ao Consumidor (IPCA); reajuste de 5,5% ao ano no salário base, progressões e mudança de regime de trabalho.

O governo informou que está negociado com os professores das universidades. Na segunda-feira (8), o governador Rui Costa anunciou a liberação de 36 milhões para investimentos nas quatro instituições estaduais de ensino superior.