Iruman diz que proposta suspenderia repasses não constitucionais para Ilhéus

A audiência de revisão do  acordo de precatórios entre o município de Ilhéus e os credores das ações trabalhistas, mediada pela equipe do TRT-juízo de Conciliação de precatórios, realizada na Sede da OAB Ilhéus, não produziu o resultado desejado pelos representantes do município. Segundo os trabalhadores, a proposta era uma moratória no pagamento do acordo dos precatórios conciliados em março de 2017, na audiência global realizada no Centro de Convenções de Ilhéus.

Neste  cenário, caso concretizado, além de voltar  a pagar o acordo na sua integralidade, cerca de R$ 2,3 milhões por mês (atualmente paga R$ 1 milhão) o município pode perder o direito às certidões de regularidade com dividas trabalhistas em virtude de um novo lote de precatórios vencidos que precisam ser conciliados para evitar sequestro e a inadimplência trabalhista, segundo o advogado Iruman Contreiras, que representa a APPI. Confira a íntegra no Jornal Bahia Online.