Alunos ficam deitados no chão para não serem atingidos

Alunos, professores e pessoal de apoio da Escola Pedro Jerônimo, em Itabuna, foram obrigados a ficar por cerca de 30 minutos deitados no chão, nesta segunda (19), por causa de um tiroteio em frente à unidade de ensino. De acordo com relatos, a situação se repete com frequência, pondo em risco a vida de estudantes e de trabalhadores da escola.

As informações são de que o tiroteio está relacionado à morte de Alessandro Amaral Júnior, “Lequinho, ocorrida no início da manhã desta segunda (19), no Zizo. O tiroteio registrado nesta manhã seria uma ofensiva de criminosos do Zizo contra rivais do Pedro Jerônimo, de acordo com informações obtidas pela polícia.

Atualização às 12h44min – A diretora da escola, professora Célia Miranda, acionou a Polícia Militar (PM/BA) e entrou em contato com a secretária da Educação de Itabuna, Nilmecy Gonçalves, para explicar a suspensão das atividades no dia de hoje, mesmo porque houve o aceno por parte de envolvidos de que o ataque será revidado.

Em contato com a Central 190 da Polícia Militar, a Secretaria de Educação de Itabuna (SME) foi informada de que as rondas foram intensificadas na localidade, mas nenhum dos envolvidos foi identificado. Também não há informações, segundo a Polícia Militar, se está acontecendo algum “toque de recolher” no bairro ou nas imediações.

A orientação da Polícia Militar, diante do ocorrido, é a de que “até que a Polícia Militar esteja segura de que a situação está controlada, moradores, transeuntes e até lojistas evitem situações que podem transformá-los em possíveis alvos”.