Marão diz que Porto Sul cria expectativa na geração de empregos || Foto Clodoaldo Ribeiro

Classificando o Ilhéus como a “Cereja do Bolo” do Complexo Intermodal Porto Sul, o prefeito Mário Alexandre, Marão (PSD), disse que o projeto tornará a Bahia o 3º maior produtor de minério do país. A fala é baseada em números da Bahia Mineração (Bamin) e do governo baiano. Ilhéus será o ponto final da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que escoará a produção de minérios da região de Caetité, na Bahia, e de grãos e cereais da região oeste do estado.

Marão classifica a obra como “viável e promissora”, principalmente na geração de emprego e renda. “São quase R$ 10 bilhões em investimentos, e isso gera uma expectativa na cidade. Ainda no primeiro semestre de 2020, acompanharemos o início dessa obra”, afirmou. Ilhéus será a parada final da Ferrovia Oeste-Leste e onde será construído o Porto Sul, ao norte do município.

Em maio, o governador Rui Costa e representantes da Bamin assinaram o termo de unificação dos terminais do Porto Sul e a constituição da Sociedade de Propósito Específico (SPE), para a construção do empreendimento. A assinatura do termo permite o início do processo de desapropriações necessário à implantação do Porto.

TERMINAIS UNIFICADOS

Projeto prevê construção de porto na zona norte de Ilhéus

A unificação dos terminais deve assegurar o aumento da eficiência operacional do Porto Sul, a partir do uso compartilhado, pelo Estado e a companhia, das estruturas marítimas e terrestres do equipamento. O projeto Pedra de Ferro inclui mina, com previsão de implantação da Mina Pedra de Ferro é para o segundo semestre de 2020 e das operações em 2024.

A obra do Porto Sul é considerada fundamental para a exportação do minério de ferro, proveniente da mina Pedra de Ferro, que fica no município de Caetité. Os empreendimentos devem gerar 1.500 empregos diretos e 9 mil indiretos na operação. Pelo menos, 60% da mão de obra deverá ser local.