Para advogado, vídeo confirma que cabo agiu em legítima defesa || Reprodução Pimenta

A Região

O advogado Marcelo Pinheiro, que atua na defesa do cabo da Polícia Militar Cleomário de Jesus Figueiredo, suspeito de matar o delegado José Carlos Mastique de Castro Filho, em Itabuna, apresentou um vídeo, na quinta-feira que, segundo ele, comprova que o disparo com uma submetralhadora foi em legítima defesa.

O caso ocorreu em abril deste ano nas proximidades de um posto de combustíveis no bairro Góes Calmon. Segundo a Polícia Militar, o cabo Cleomário de Jesus Figueiredo está proibido de portar armas e cumpre serviço administrativo no 15º Batalhão, onde é lotado.

Marcelo Pinheiro diz que as imagens mostram que o delegado não obedeceu à abordagem feita pelo cabo e fez movimentos bruscos na direção dos policiais. O advogado afirmou que Cleomário já tinha tirado a primeira arma do delegado, que se afastou. Cleomário continuou a dar voz de abordagem, mas ele não obedeceu.

“O delegado sacou uma segunda arma das costas, um revólver 38, e fez movimentos bruscos em direção à guarnição,” afirma o advogado. “O policial ainda deu um intervalo de tempo de 10 segundos mandando ele soltar a arma, ele não soltou, o policial se sentiu ameaçado e não teve outra alternativa sem ser dar aquele disparo”

O caso foi registrado na Corregedoria da Polícia Militar e também era investigado pela Polícia Civil, além de dar origem a Ação Penal do MP-BA contra Cleomário por homicídio qualificado.