Rosemberg diz que decisão de Prisco surpreendeu até a oposição

O líder do Governo na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Rosemberg Pinto (PT), voltou a condenar, nesta quarta-feira (9), a decisão isolada do deputado estadual Marcos Prisco (PSC) de deflagrar greve da Polícia Militar.

De acordo com o líder governista na Alba, o parlamentar nunca buscou uma interlocução junto ao governo. “Sou um deputado que transita em ambos os lados. Em momento algum o deputado Prisco sentou para manifestar algum tipo de insatisfação”, criticou.

Para Rosemberg, a decisão tomada por um grupo de cerca de 300 PMs, em boa parte policiais da reserva, pegou a todos de surpresa. “Inclusive seus colegas da bancada de Oposição”, acrescentou. Está para ser votado na Alba, o Projeto de Lei que altera o Artigo 178 da Lei n° 7.990, de 27 de dezembro de 2001. Conforme a proposta, a idade limite para permanência na reserva remunerada dos Praças passará de 56 anos para 60 anos de idade.

“Fui dirigente sindical e sempre antes de tomar qualquer decisão procurava negociar, apresentar as reivindicações. Sem sentar e apresentar a pauta de reivindicações, como se negocia? Isso está mais para uma ação de cunho político do que de busca por melhores condições para a categoria”, condenou Rosemberg.