Perspectiva da unidade materno-infantil de Ilhéus que funcionará no antigo Regional

Governos estadual e municipal assinam na próxima sexta (6), em Ilhéus, ordem de serviço para início das obras de transformação do Hospital Geral Luiz Viana Filho em unidade materno infantil de alta complexidade.

A ordem será assinada pelo prefeito Mário Alexandre e pelo secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, em horário ainda não divulgado. A ordem de serviço será assinada com quase dois anos de atraso. A transformação do Regional em maternidade foi prometida para 2018, o que não ocorreu.

O investimento anunciado para a obra de reforma e ampliação da estrutura do antigo Regional, transformando-o em maternidade, é de R$ 34 milhões. A verba, conforme o governo estadual, contempla também a aquisição de equipamentos para a unidade de saúde na Conquista. A maternidade terá 90 leitos, UTIs neonatal e pediátrica e centro cirúrgico e obstétrico, segundo o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas.

CRISE NO ATENDIMENTO MATERNO-INFANTIL

Ilhéus e Itabuna, principais municípios do sul da Bahia, vêm enfrentando séria crise no atendimento pediátrico, ginecológico e obstétrico, com registro de mortes de recém-nascidos e crianças. Na semana passada, foram registradas mortes por falta de estrutura de atendimento ou omissão de socorro na Maternidade Ester Gomes e Hospital Manoel Novaes, em Itabuna, e na Maternidade Santa Helena, em Ilhéus.

Familiares do pequeno Levi protestaram em Itabuna neste sábado || Imagem TV Santa Cruz

Ontem (30), familiares de uma das vítimas, Levi Messias Nonato Alves, de 9 meses, fizeram protesto no Centro de Itabuna. No início da semana passada, a criança faleceu após problemas no primeiro atendimento, em Pau Brasil. A via-crúcis continuou na Maternidade Ester Gomes, de onde foi encaminhado para o Hospital Manoel Novaes, falecendo após espera de mais de meia hora no hospital mantido pela Santa Casa de Misericórdia.