black friday buriti
novembro 2014
D S T Q Q S S
« out    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  




:: ‘Cultura’

CENTENÁRIO DE JORGE AMADO TERÁ HOMENAGENS NO BRASIL E NA EUROPA

Centenário de nascimento de Jorge terá homenagens Brasil afora.

O centenário de nascimento de Jorge Amado está sendo alvo de muitas homenagens no Brasil e na Europa. Neste domingo, 29, reportagens e textos no caderno 2 d´O Globo tratam da vida e obra do escritor itabunense, traduzido em 55 países e cujo legado é destacado pelas adaptações para TV, cinema e teatro. Se vivo estivesse, Jorge completaria 100 anos no próximo dia 10 de agosto.

Jorge Amado faleceu há 11 anos, vítima de parada cardiorrespiratória, aos 88 anos de idade.  “Sua popularidade é tamanha que, apenas desde 2008, quando a Companhia das Letras começou a relançar seus livros, Capitães da areia vendeu 556 mil exemplares — fora as 142 mil da edição de bolso. Sua obra já foi traduzida para 49 idiomas, em 55 países. Ele era o melhor exemplo de como ser universal falando de sua própria aldeia”, publicou o jornal carioca.

“AMAR AMADO”

Nesta semana, Ilhéus também vai homenagear o escritor Jorge Amado, promovendo o Festival Amar Amado. O evento do município, em parceria com a Maná Produções, consta de mostra de cinema, feiras de gastronomia e de arte, exposições, apresentações teatrais, musicais, de dança e fotográfica.

Os locais escolhidos são o Teatro Municipal, o Centro de Convenções Luís Eduardo Magalhães, que abrigará a feira literária, e a Praça Dom Eduardo, situada no centro histórico de Ilhéus.  O Festival Amar Amado será aberto no dia 4, a partir das 19 horas, no Teatro Municipal, com a apresentação da Orquestra Afro Sinfônica da Bahia.

Já os shows musicais, serão apresentados em um palco ao lado da catedral de São Sebastião. Embora anunciadas atrações como Caetano Veloso, as atrações musicais serão apenas do sul da Bahia.

Na Avenida Soares Lopes, 24 barracas funcionarão como praça de alimentação. O festival gastronômico acontecerá em oito restaurantes. A área externa do Centro de Convenções abrigará a feira literária. O encerramento dos eventos será sempre à meia-noite.

DÁ-LHE, JAQUE!

A obra de arte acima é da repórter fotográfica Jaqueline Cerqueira, ex-Agora e TV Cabrália. Clicada na Ilha de Boipeba, no baixo-sul baiano, a foto foi selecionada entre as 15 mais belas imagens do Brasil, de acordo com júri da Nikon. Esta imagem e outras 14 serão expostas pela Nikon na maior feira de fotografia e imagem da América Latina, a PhotoImagem Brazil. A feira será realizada de 14 a 16 de agosto, em São Paulo.

Parabéns, Jaque!

O CINQUENTENÁRIO ABC DA NOITE!

Caboclo e o ABC da Noite (Foto Daniel Thame).

Nesta sexta-feira, dia 27, será realizada uma merecida homenagem aos 50 anos do ABC da Noite, no Beco do Fuxico, ícone da boemia itabunense, comandado pelo Caboclo Alencar e suas batidas de antologia.

A festança começa às 18 horas, com direito à inauguração de uma  placa comemorativa. A bebemoração vai reunir os amigos de Alencar, o que garante lotação completa no Beco e se discurso houver, só do Caboclo, com sua gloriosa sabedoria de botequim.

Durante o ágape, a Via Litterarum vai comercializar, a preço camarada, exemplares do livro O ABC do Caboco, do professor e escritor Adylson Machado.

Ah, o Ministério da Alambique adverte: se beber, não aporrinhe.

Do Blog do Thame

JOEL SANTANA É DEMITIDO DO FLA

Depois do Bahia trocar Falcão por Caio Júnior, na sexta, hoje foi a vez do Flamengo mandar Joel Santana pras cucuias.

A demissão ocorreu ao final de uma reunião na Gávea. Dorival Júnior, ex-Inter (RS), é o cotado para assumir o comando rubro-negro.

Nesta passagem pelo Fla, Joel acumulou 17 vitórias, cinco empates e nove derrotas. A queda tornou-se inevitável, ontem, após a derrota para o Cruzeiro por 1 a 0, no Estádio Independência, e os 3 a 0 sofridos em casa para o Corinthians.

EXPOSIÇÃO EM HOMENAGEM A JORGE AMADO

A artista plástica e ceramista grapiúna Conceição Portela abre, às 19 horas desta sexta-feira, 20, no Foyer do Teatro Municipal de Ilhéus, a exposição “Kakau”. As cerâmicas e telas foram inspiradas no livro Cacau, de Jorge Amado, editado em 1933.

A exposição também integra as homenagens ao centenário do escritor grapiúna e ficará aberta ao público até o dia 30. “Cacau” relata as questões sociais existentes nas fazendas de cacau: trabalho duro, escravo e as humilhações pelas quais passavam os trabalhadores nas plantações de cacau no sul da Bahia.

Neste cenário há também rico folclore. As telas de Conceição Portela trazem esse imaginário popular, retratando alegorias como Mula-sem-cabeça, o Lobisomem, Caipora e os Duendes do cacau. Na abertura, haverá apresentação musical de Jean Costa.

YOUTUBE: FENÔMENOS DE “ÁREA DO CONE” AGORA TRAZEM “VIDA DE VESTIBULETE”

Vida de Vestibulete traz dicas sobre hidrocarbonetos para quem vai disputar vestibular e Enem.

O primeiro vídeo alcançou mais de 230 mil visualizações em apenas seis dias no Youtube. A aula-paródia Área do Cone transformou os estudantes itabunenses Spartakus Santiago, Mariana Rosas e Paula Lavinsky em fenômenos da internet e alçou o trio à condição de celebridade.

Depois de aula de geometria espacial, agora a turma de alunas e ex-aluno do Colégio Sistema, de Itabuna, envereda pelos mistérios da Química.  Traz dicas dos hidrocarbonetos (confira o vídeo logo abaixo).

Spartakus e Mariana têm agora as companhias de Andreza Santana e Laís Xavier em Vida de Vestibulete, paródia para Vida de Empreguete, trilha das personagens Penha, Cida e Rosário, da novela global Cheias de charme.

O vídeo foi criado para uma gincana da escola. Andreza interpreta Penha, Mariana é Rosário e Laís faz o papel de Cida. Paula, que interpretou Pauloncé em Área do Cone, desta vez não pôde participar porque estava doente no período das gravações.

SUCESSO NACIONAL

Spartakus dirige, filma, edita e compõe.

Spartakus rememora o sucesso alcançado pelo primeiro vídeo. Além de grandes publicações brasileiras, ele, Paula e Mariana apareceram em programas de grandes redes de televisão. “Aparecemos no Hoje em Dia (Record), Eliana (SBT), Jornal da Globo (Globo) e Leitura Dinâmica (RedeTV!)”, afirmou ao PIMENTA.

Rolou também convite para participar do Pânico, na RedeTV, mas a data disponível já estava agendada para gravações no programa de Eliana. O trio também apareceu em programas regionais.

Spartakus mudou-se de cidade após aprovação para cursar publicidade no Rio de Janeiro. As gravações de Vida de Vestibulete ocorreram no período de greve nas universidades federais.

– Com a greve, vim pra Bahia e aproveitei pra participar de mais um vídeo – disse ao PIMENTA. Spartakus é o responsável pela direção, filmagem, letra e edição de Vida...

Confira o novo vídeo-aula sobre os hidrocarbonetos:

GABRIELA EXISTIU MESMO? FILHA DE LOURDES MARON FALA PELA PRIMEIRA VEZ SOBRE O ASSUNTO

Amélia Maron, filha de Lourdes, e a repórter Marta Almeida.

Desde o final da década de 50, quando foi lançado o livro Gabriela Cravo e Canela, do escritor baiano Jorge Amado, persiste um grande mistério: Afinal a personagem Gabriela existiu mesmo em Ilhéus no Sul da Bahia?

Uma revista da época, a extinta Manchete, divulgou um artigo associando moradores da cidade aos personagens do livro. Foi quando começou a ganhar força a versão de que Gabriela seria Dona Maria de Lourdes Maron, que era casada com o dono do Bar Vesúvio, o libanês Emílio Maron, na década de 40.

Historiadores como Maria Luiza Heiner contam que não é bem assim. Jorge Amado em entrevista em 1992, feita no próprio Vesúvio, declarou que o casal não era Nacib e Gabriela. Mas mesmo assim a história acabou virando um “mito” com a mistura entre ficção e realidade.

Hoje, do livro, podemos observar em Ilhéus um rico patrimônio histórico: O bar Vesúvio, que ainda funciona como restaurante, o Bataclan, que agora é uma casa de shows e também restaurante, o Cine Teatro de Ilhéus, a Catedral de São Sebastião e ainda tem o sobrado onde Jorge Amado passou a infância, a Casa de Jorge Amado.

Pelas ruas da cidade, os turistas chegam em busca dos locais descritos no romance e são recebidos por artistas locais como Janete Lainha, que interpreta Gabriela, no Centro Histórico de Ilhéus. O atual dono do Vesúvio, Guido Paternostro, brinca com a confusão entre realidade e ficção que as pessoas ainda fazem.

REPÓRTERES AJUDAM A PÔR FIM NO MISTÉRIO

A repórter Marta Almeida e o cinegrafista Marcelino Silva, da TV Santa Cruz, conseguiram entrevistar a filha de Loudes Maron, pondo fim às histórias e boatos que cercam o assunto. A reportagem foi ao ar ontem e marca o retorno de Almeida às telinhas.

Na cidade onde moram parentes de Dona Maria de Lourdes, o neto Júnior Maron não se incomoda com a associação que foi feita entre seus avós e os personagens do livro e brinca com a comparação, pois é chamado de “Nacibinho”.

Mas os filhos do casal que ainda estão vivos e moram na Bahia nunca quiseram falar do assunto. A artista plástica Amélia Maron, no entanto, falou com exclusividade para a TV Santa Cruz, em entrevista para a jornalista Marta Almeida. Quebrou o silêncio de anos, depois de muita insistência e contou como era sua mãe, uma exímia cozinheira.

O assunto sempre foi muito delicado na família Maron, mas Dona Amélia decidiu falar para esclarecer de uma vez por todas a confusão feita com sua mãe, que, segundo ela, não tinha as características físicas da personagem.

Segundo Amélia, Lourdes era apenas uma criança na década de 20, quando se passa o romance e, por causa da associação feita, sofreu muito. As pessoas não entendiam que a personagem, diz, era fruto da imaginação do escritor que declarou ter na verdade se inspirado em várias pessoas para construir sua Gabriela.

EX-PREFEITO LANÇARÁ LIVRO EM ILHÉUS

Pescador, ex-prefeito de Ilhéus, presidente da Fundação Maramata e contador de histórias, Antônio Olímpio lançará o livro Os peixes e os frutos do mar à mesa, na próxima sexta, 13, às 19h, no Teatro Municipal de Ilhéus.

Na obra editada pela Mondrongo Livros, de Ilhéus, o amante de pesca esportiva se apresenta como “cozinheiro” desde os 18 anos, no período em que residiu no Rio de Janeiro e sentia saudade da comida de casa.

O que aprendeu com a mãe e com o tempo de pescador e cozinheiro é compartilhado no livro de 308 páginas que traz “receitas originais” e de “outros autores”, todas elas “testadas e aprovas por amigos e familiares”.

HOMENAGEM A GONZAGÃO NA CASA DOS ARTISTAS

Casa dos Artistas traz homenagem ao Rei do Baião.

A programação cultural diversificada da Casa dos Artistas, em Ilhéus, traz nesta terça, 10, mais uma homenagem ao Rei do Baião, Luiz Gonzaga. No Cineclube Équio Reis, será exibido o filme O comprador de fazendas, de 1951, com trilha sonora de Gonzagão.

Segundo a direção da Casa dos Artistas, todas as terças deste mês de julho serão dedicadas a filmes que guardem relação com a vida e a obra de Luiz Gonzaga.

A programação celebra o centenário de nascimento de um dos maiores nomes da música brasileira. O projeto conta com o apoio do Memorial Luiz Gonzaga da Fundação de Cultura Cidade do Recife.

A entrada é franca.

DIRETOR DIZ QUE CIA DE PATIFARIA FAZ TEATRO DE REFLEXÃO

Jarbas Oliver e Lelo Filho contracenam em A Bofetada (Foto Leto Carvalho).

“Não fazemos teatro de puro entretenimento, mas de reflexão”, afirma o ator, produtor e diretor da peça A Bofetada, Lelo Filho, da Cia Baiana de Patifaria. Ele teve um dedinho de prosa com o PIMENTA na quinta, 5, um dia antes de iniciar a série de três apresentações da peça no Centro de Cultura Adonias Filho, em Itabuna.

A Bofetada tem 24 anos de apresentações contínuas pelo País e interior baiano com o texto sempre renovado de ingredientes a partir de pesquisas de situações locais.

Lelo disse que na curta temporada em Itabuna não faltarão críticas bem-humoradas. “Fizemos pesquisa para ver o que está acontecendo [na cidade] e sobre coisas que se pode mencionar no texto. É um espetáculo renovável”, resumiu.  A seguir, os principais trechos da prosa.

PIMENTA – Como tem sido a experiência de levar ao público um espetáculo como este por tanto tempo?

LELO FILHO – A Bofetada é um espetáculo que se renova o tempo inteiro. A cada nova temporada, a cada cidade visitada, a gente sempre insere alguma coisa. A Bofetada comemora 24 anos. É um trabalho de ator, bacana. Para quem fez ou está fazendo, é um trabalho de memorizar coisas novas. A gente monta o espetáculo como se tivesse sido feito em cada lugar que a gente visita.

Nesses 25 anos, dá para sentir renovação de público no interior da Bahia, onde há carência de produção, espetáculos e espaços teatrais?

Com A Bofetada, a gente percorreu 50 cidades do Brasil. O interior da Bahia sempre. Foram longas temporadas no Rio, São Paulo, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Belo Horizonte. Só não fizemos a região Norte. Acredito que o espetáculo também seja responsável pelo bom momento do teatro baiano, que começou na virada dos anos 80 e 90, quando se chamou o público de volta para ver espetáculos produzidos na Bahia. Quando a gente volta, a plateia se renova com gerações que não viram o espetáculo. Há cinco anos que a gente não vem a Itabuna.

 

Basta você ligar a TV e assistir ao noticiário político da cidade e do país para ter grande arsenal de piadas.

 

Você se recorda de algum fato pitoresco envolvendo o espetáculo em cena e a plateia nas apresentações feitas aqui na região?

Quando você fala de coisas locais, como a Ilha do Jegue, o Bairro Maria Pinheiro e a divisa com o Daniel Gomes, ou inserindo locais, coisas que o público entende, gera humor, risos. Meu personagem mora na divisa dos dois bairros. Há certa ironia. A gente faz com o intuito de aproximar, o que acaba ficando até mais engraçado.                                                                      

Muitas mudanças no elenco durante esse longo período?

Sou o único ator da formação original. Pelo espetáculo, já passaram 14 atores. O atual núcleo tem Alexandre Moreira, Jarbas Oliver, Nilson Rocha e eu. Em paralelo, estamos com o espetáculo Siricotico, que já esteve em Itabuna, uma das poucas cidades baianas a recebê-lo.

Deve ser prazeroso fazer A Bofetada com o texto renovado. Ainda há muito a oferecer ao espectador?

O Brasil é país rico em fornecer material. Basta você ligar a TV e assistir ao noticiário político da cidade e do país para ter grande arsenal de piadas. Não que seja uma coisa boa, mas, na verdade, a gente ironiza essas mazelas todas para que a plateia reflita. Não fazemos teatro de puro entretenimento, mas de reflexão.

Serviço
Peça A Bofetada (Cia Baiana de Patifaria)
Quando: 7 e 8 de Julho / 20h
Onde: Centro de Cultura Adonias Filho (Itabuna)
Ingresso: R$ 40,00 (R$ 20,00 meia)

HOJE TEM “A BOFETADA” EM ITABUNA

Hoje começou a campanha eleitoral em todas as cidades brasileiras, mas o itabunense pode ver comédia besteirol de verdade – e das melhores – com a peça A Bofetada. O bando de Fanta Maria se apresenta hoje, amanhã e domingo (dias 6, 7 e 8), sempre às 20h, no Centro de Cultura Adonias Filho.

A peça da Companhia Baiana de Patifaria entra no 24º ano e já foi assistida por mais de um milhão de pessoas em palcos de todo o País. Ingressos podem ser adquiridos na Central do Ingresso, Bicho Festeiro e na portaria do Centro de Cultura. O ingresso custa R$ 40,00 (R$ 20,00 a meia).

LIVRO TRAZ O MELHOR DA MPB EM 100 ANOS

As origens da MPB, os principais compositores e intérpretes de 1890 a 1990, década a década, de Chiquinha Gonzaga a Marisa Monte, de Catulo da Paixão Cearense a Zezé Di Camargo e Luciano. Relançado semana passada, MPB – A História de Um Século (Editora Funarte, R$ 70,00) é um livrão de 528 páginas que serve de referência a quem quer entender os rumos dessa trajetória, e acompanhá-la em fotos.

São 400 imagens de artistas de “importância decisiva”, entre amarelados registros de Patápio Silva, Ernesto Nazareth, Heitor dos Prazeres e Pixinguinha, imagens icônicas das gerações bossa nova (Tom, Vinicius, Menescal, Bôscoli, Carlos Lyra e companhia, Sérgio Mendes e o Brasil-66 posando com Nixon em Washington), da música de protesto, festivais, jovem guarda, até chegar aos anos 90 do pagode e do sertanejo pop.

A publicação culmina na “nova MPB” que também estourou ali: Marisa, Cássia Eller, Chico César, Zélia Duncan, alguns “modismos” passageiros e fenômenos femininos que se perpetuaram (Ivete, Ana Carolina).

Já a novíssima MPB não entrou. “O espírito do livro foi se ater ao século 20, que foi o consolidador e definidor da MPB. O século 21 está começando ainda, não dá para se ter uma apreciação crítico-histórica”, diz Ricardo Cravo Albin, pesquisador aplicado e diretor do Museu da Imagem e do Som entre 1965 e 1971. Seus textos aparecem no livro também em inglês, francês e espanhol. Do Estadão.

SHOW LANÇA CD DA BANDA OQUADRO EM ILHÉUS

OQuadro faz show de lançamento de CD na quarta-feira, no TMI.

Capa do primeiro CD d´OQuadro.

Os 15 anos de experiências da banda de hip-hop OQuadro estão condensados em um CD com 11 músicas e que será lançado na próxima quarta, 4, às 20h, no Teatro Municipal de Ilhéus. O trabalho recebeu elogios de feras das artes e tem participações especiais de Guilherme Arantes, da rapper Lurdez da Luz e do Mc Dimak.

Os meninos do OQuadro se esmeraram para produzir o primeiro CD oficial. Gravado nos estúdios da Coaxo do Sapo, o disco foi mixado e produzido por Buguinha Dub e tem capa assinada pelos artistas plásticos Izolag e Ananda Nahu.

Na quarta, Rans, Jef, Freeza, Rodrigo Dalua, Jahgga, Victor e Ricardo Santana dão novo show em lançamento especial de uma banda ilheense que se destaca pela sonoridade e preocupação com a qualidade do que produz.

Os ingressos para o show-lançamento estão à venda na Terral Surf Wear e custam R$ 20,00 (com CD) ou R$ 10,00 sem CD.

FESTIVAL EM ILHÉUS: ARENA SHOWCOLATE TERÁ VANESSA DA MATA E O TEATRO MÁGICO

Teatro Mágico é atração da véspera do Dia da Independência da Bahia, dia 1º.

O Festival Internacional do Chocolate da Bahia começa na próxima quinta, 28, e traz agenda científica com os maiores especialistas mundiais em chocolate (confira programação completa) e terá grandes atrações na Arena Showcolate, no centro de convenções de Ilhéus.

Vanessa da Mata abre a programação de shows em noite que ainda terá a banda Mammeto, no sábado 30. Na sequência, véspera do feriadão da Independência da Bahia, dia 1º, o festival trará um dos shows mais comentados do Brasil: a trupe d´O Teatro Mágico, ao lado da revelação da MPB, Tiê. O Teatro Mágico é doce mistura de música, teatro e dança.

Os ingressos com preços promocionais estão à venda na Encantur, Stand do Karioka, Bicho Festeiro e Central do Ingresso. O ingresso para pista custa R$ 40,00 (com meia para estudante e idoso). A área Vip fica por R$ 80,00. Já o passaporte para os dois dias de shows custará R$ 60,00 a pista e R$ 120,00 área Vip. A expectativa da organização é atrair 30 mil pessoas nos cinco dias do evento.

COM JULIANA PAES, “GABRIELA” ESTREIA HOJE

Do Estadão

Antes de treinar o trejeito sexy de Gabriela, cujo remake estreia nesta segunda-feira, 18, às 22h15min, na Globo, Juliana Paes reclamou da vida e fez muita careta ao sofrer sob o sol escaldante da caatinga. “No sertão, a gente tinha falas um pouco mais secas mesmo. Não dá para você ficar batendo papo, você está com sede, com fome. Você se poupa. Eu nunca tinha estado ali. Isso reverbera no olhar”, explica a atriz.

A adaptação de Walcyr Carrasco manterá a mesma estrutura da obra de Jorge Amado. Na trama, Gabriela sofre com a miséria do sertão e migra em busca de melhores condições. Ao chegar a Ilhéus, no litoral baiano, a jovem conhece Nacib (Humberto Martins), dono do bar Vesúvio, que a contrata como cozinheira, e acaba se envolvendo com o patrão. Juntos, os dois serão responsáveis pelas cenas mais calientes da novela.

Segundo o ator, as sequências de sexo serão mais poéticas do que explícitas, apesar do horário da atração. “As cenas quentes são coreografias que, em nenhum momento, determinam uma situação que não seja a do amor”, filosofa. Para Humberto Martins, o entrosamento para contracenar à vontade com Juliana se deu rápido. “A gente se gosta muito”, diz.

Leia Mais

A ÚLTIMA CHANCE DE ILHÉUS

Nazal fala da nova (e última) chance de Ilhéus.

José Nazal, fotógrafo, memorialista e autor do livro Minha Ilhéus, fotografias do século XX e um pouco de nossa história, cedeu 300 fotos para o cenógrafo Mário Monteiro, da produção da novela Gabriela em 1975 e da nova versão que começa a ser exibida na próxima segunda-feira na Rede Globo.

A partir do acervo de Nazal, Mário Monteiro pôde passar ao papel a Ilhéus cenográfica (a do Projac) que o telespectador verá/assistirá no remake com Juliana Paes e Humberto Martins.

Para o município, a novela das 23h é oportunidade de ouro. Via Facebook, Nazal opina com a propriedade de quem bem conhece a Terra de Gabriela:

– Acho que essa é a última chance que Ilhéus terá como epicentro de uma novela global. Mais uma dentre as tantas que já foram feitas.

HOJE TEM “CAPITÃES DO MORRO” EM ILHÉUS

Com a promessa de três finais diferentes, a peça Capitães do Morro estreia hoje e fica em cartaz até domingo, 17, no Teatro Municipal de Ilhéus, sempre a partir das 20h.

A peça baseada na obra homônima de Jorge Amado reúne 14 atores em história que tem como personagens principais Binho e o traficante Cabeção.  Binho perde a mãe, assassinada, e vive numa região sob o comando do traficante.

Esta é a trigésima montagem do autor teatral Pawlo Cidade. A entrada custará R$ 20,00 (R$ 10,00). O espetáculo foi selecionado pelas secretarias estaduais de Cultura e da Fazenda com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia.

MARIELLE ANTUNES NO CALDEIRÃO DO HUCK

Marielle e Luciano Huck na gravação de programa que vai ao ar sábado.

A nova vocalista da banda Babado Novo, Marielle Antunes, participará do programa Caldeirão do Huck (Rede Globo) do próximo sábado, 16. Será a estreia nacional da vocalista da banda que revelou Cláudia Leitte.

Marielle usou a rede social Facebook para resumir o momento:

– Feliz demais.

Marielle é natural de Itapetinga, no sudoeste baiano, e tem grande ligação com Itabuna, onde morou, cursou faculdade e fez sucesso no vocal da banda Lordão. Agora, espera deslanchar carreira nacional. Marielle estreou como vocalista da Babado Novo em maio.

JEQUITIBÁ ANUNCIA NOVO CINEMA

Manoel Chaves Neto anunciará nesta terça, 12, a data de inauguração das prometidas – e esperadas – salas de cinema do Shopping Jequitibá. Será durante entrevista coletiva, às 10h30min, na sala de reuniões do Jequitibá.

O shopping ganhará seis salas de cinema com aproximadamente 70 lugares cada. Durante a coletiva, também será anunciada a empresa vencedora da disputa pela administração do cinema.

GLOBO ANTECIPA ESTREIA DE “GABRIELA”

Juliana Paes interpreta a sensual Gabriela.

A direção da Rede Globo decidiu promover a estreia da novela Gabriela, protagonizada por Juliana Paes, um dia antes do previsto inicialmente.

A produção terá o seu primeiro capítulo exibido no dia 18 de junho, uma segunda-feira, depois de Avenida Brasil, e não mais no dia 19, uma terça. Com isso, o capitulo inicial começa por volta das 22h30min e não às 23h30min como os demais capítulos.

A novela faz parte das comemorações do Centenário de Jorge Amado e terá a presença de parte do elenco para o lançamento em Ilhéus. Leia mais no Blog do Thame

EM JULHO, TEM “A BOFETADA” EM ITABUNA

Peça assistida por mais de 800 mil espectadores volta a Itabuna.

Prepara-se para morrer de rir. Depois de cinco anos, a Cia Baiana de Patifaria volta a Itabuna com a encenação da peça A Bofetada. Fanta Maria, Vânia, Dirce, Pandora Luzia e bando retornam ao palco do Centro de Cultura Adonias Filho em apresentações programadas para os dias 6, 7 e 8 de julho.

A peça já foi assistida por cerca de 800 mil espectadores em 24 anos de apresentações. “É um dos maiores sucessos do teatro baiano”, afirma Célio Gomes, da produtora Descanso do Guerreiro, que trará A Bofetada novamente a Itabuna.

A peça tem mais de duas décadas de estrada e acrescenta às esquetes fatos do cotidiano em interpretações fantásticas de Jarbas Oliver, Nilson Rocha, Alexandre Moreira e Lelo Filho, diretor da montagem.

A apresentação no Centro de Cultura Adonias Filho ainda comemora os 25 anos da Cia Baiana de Patifaria, segundo Daniel Gomes, da produtora Descanso do Guerreiro.

Serviço
Peça A Bofetada (Cia Baiana de Patifaria)
Quando: 6, 7 e 8 de Julho
Onde: Centro de Cultura Adonias Filho (Itabuna)
Ingresso: R$ 40,00 (Inteira)

“TOCAIA”

Capa-cartaz do lançamento de "Tocaia".

A literatura e as artes grapiúnas ganharam neste sábado, 2, uma publicação especializada, a Tocaia – Revista Grapiúna de Letras e Artes, tocada pelos escritores George Pellegrini e Gustavo Felicíssimo.

A primeira edição traz escritores e artistas como Rita Santana, Daniela Galdino, Milena Gantois Palladino, Piligra, e Heitor Brasileiro. George e Gustavo afirma que o objetivo da revista é valorizar as produções literárias e artísticas do sul da Bahia.

A primeira edição da revista já está à venda e pode ser adquirida nas bancas a R$ 2,00.