unime

al-ba
julho 2015
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  



:: ‘Cultura’

OFICINAS DE DANÇA E TEATRO NO CCAF

O projeto de extensão “Teatro Popular e Interculturalidade”, da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), realiza nos próximos dias 5 e 7 de fevereiro as oficinas de Dança Afro Contemporânea e Improvisação Teatral e Técnicas de Voz. A primeira será ministrada pelo ator e coreógrafo Egnaldo França, enquanto a segunda terá à frente a atriz Malena Dórea.

As inscrições para as oficinas são gratuitas e já estão abertas no Centro de Cultura Adonias Filho

CURSOS E OFICINAS DO TEATRO POPULAR

Quem tiver interesse em aprender a tocar um instrumento musical, dançar ou ainda conhecer técnicas para aperfeiçoar o canto tem na Casa dos Artistas de Ilhéus um lugar ideal. Os cursos e oficinas oferecidos pelo Teatro Popular estão com inscrições abertas para pessoas de todas as idades, com atendimento das 14 às 18 horas.

Entre os cursos está o de bateria e percussão, ministrado pelo mestre Sabará sempre às sextas-feiras, em dois horários: 9h às 11h e 14h às 16h. Há ainda a oficina de canto popular, com Eloah Monteiro, e o curso de dança criativa (este para crianças e adolescentes), sob a condução da professora Érica Ocké. Pessoas de qualquer faixa etária podem se matricualr no curso de dança afrobrasileira, ministrado pela professora Neide Rodrigues.

Mais informações pelo telefone 73.4102-0580.

A ÁGUA DE CHEIRO AGUOU

ariel (1)Ariel Figueroa | colunadeturismo@gmail.com

 

Senti a falta dos turistas fotografando, tentando dançar, se esforçando por participar. Senti a falta de Ilhéus.

 

Dois capoeiristas, três estivadores, algumas baianas e muita raça. Este é o balanço de uma festa que já foi grande. Participei mais uma vez da lavagem da Catedral, do início ao fim. No final da festa ficou um sabor amargo na boca, o retro gosto não foi legal. Faltou muito, faltou tudo.

À margem de Ilhéus passou o cortejo de baianas festejando São Sebastião ou Oxossi. A Cultura de Ilhéus foi dizimada, vulgarizada, marginalizada, deu tristeza ver o cortejo passar e o olhar das pessoas mostrar o desconhecimento do que estava acontecendo. Ilhéus esqueceu suas tradições. A Ilhéus ariana esqueceu sua cultura.

Estive no Mercado de Artesanato, cheio de turistas e estes sem saber que nesse preciso momento estava acontecendo uma das mais belas festas populares de Ilhéus; parece que as pousadas e os hotéis não informaram a respeito da lavagem da catedral. A Atil – Associação de turismo de Ilhéus – precisa incorporar seu papel de pelo menos divulgar o que está acontecendo aqui, pelo menos. Senti a falta dos turistas fotografando, tentando dançar, se esforçando por participar. Senti a falta de Ilhéus.

Não se trata de ser ou não povo dos terreiros, é uma coisa nossa coisa de ilheense participar da lavagem da Catedral. Pelo menos isso eu aprendi na década de 90, era assim. Os terreiros estão a cada ano pensando se descem para a festa ou não, isso tá claro. Enquanto a lavagem continuar a ser uma festa organizada por políticos, está fadada a acabar. Acredito que uma reunião entre os envolvidos seja necessária, de forma urgente.

Ano passado, na hora do caminhão pipa, a água faltou. Este ano tinha um caminhão pipa reluzente de novo, mas faltou uma coisa: Axé.

Lavagem da Catedral sem Axé não faz sentido.

Ariel Figueroa é turismólogo. Editor do site Coluna de Turismo

WALMOR CHAGAS E O SUL DA BAHIA

O ator Walmor Chagas, 82, morto ontem em Guaratinguetá (SP), teve como um dos últimos trabalhos profissionais a interpretação do personagem Samir Luedy no filme A coleção invisível, de Bernard Attal. Parte do filme foi gravada em Itajuípe, no sul da Bahia.

Walmor intepretava o colecionador de gravuras e desenhos em filme que tem a participação do ator global Vladimir Brichta e revelou para as artes o talento do itajuipense Wesley Macêdo, de 14 anos. A história é baseada na obra homônima de Stefan Zweig .

Em um dos trechos, o personagem interpretado por Walmor diz : “eu pensava que estava morto para o mundo”.

AOS 82 ANOS, MORRE ATOR WALMOR CHAGAS

Ator Walmor Chagas ....

Ator Walmor Chagas atuou em mais de 40 peças, 20 filmes e 30 novelas (Reprodução G1).

O ator Walmor Chagas, de 82 anos, foi encontrado morto na chácara onde vivia na cidade de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, na tarde desta sexta-feira (18). As circunstâncias da morte ainda serão investigadas.

Com mais de 60 anos de carreira, o gaúcho Walmor de Souza Chagas atuou em mais de 40 peças, cerca de 20 filmes e mais de 30 novelas. Era considerado um dos grandes atores do teatro brasileiro.

Segundo o relato de um funcionário, o caseiro José Arteiro de Almeida, o corpo do artista foi achado caído na cozinha com um tiro na cabeça por volta das 16h30. Almeida disse ainda ao G1, por telefone, que, no momento da morte, Walmor estava sozinho dentro da casa. Ele diz também que uma empregada e uma cozinheira haviam acabado de deixar o local.

Leia a íntegra

LAVAGEM DE SÃO SEBASTIÃO NESTE SÁBADO

Festa  é uma das mais tradicionais de Ilhéus (foto Clodoaldo Ribeiro)

Festa é uma das mais tradicionais de Ilhéus (foto Clodoaldo Ribeiro)

Um dos eventos mais importantes e que enfatiza o sincretismo religioso em Ilhéus será realizado neste sábado, 19. É a Lavagem das Escadarias da Catedral de São Sebastião, programada para começar às 10 horas.

A festa é uma iniciativa do Sindicato dos Estivadores de Ilhéus e conta com o apoio da Prefeitura e da iniciativa privada. O cortejo que abre as celebrações sai às 10 horas da Avenida Dois de Julho e segue pelo centro da cidade, passando pela Rua da Linha e Avenida Soares Lopes, até chegar à catedral.

Baianas e blocos afros são o destaque dos festejos, que deve reunir cerca de 2 mil pessoas, conforme previsão da Secretaria Municipal do Turismo.

TRADIÇÃO DE 400 ANOS

Este domingo, 13, foi dia de Puxada do Mastro em Olivença. O tradicional evento, que mistura tradição indígena e ritos católicos, é realizado há cerca de 400 anos no sul da Bahia pelo povo Tupinambá

Este domingo, 13, foi dia de Puxada do Mastro em Olivença. O tradicional evento, que mistura tradição indígena e ritos católicos, é realizado há cerca de 400 anos no sul da Bahia pelo povo Tupinambá (foto Gidelzo Silva / Secom Ilhéus)

MONDRONGO: 1 ANO, 22 LIVROS

CAPAS_MONDRONGO

A Mondrongo, mais nova editora do sul da Bahia, comemora seu primeiro aniversário em evento que acontece neste sábado, dia 12, às 18 horas, na Casa dos Artistas. E não haveria melhor maneira de marcar a data do que realizando um novo lançamento de obras literárias. Serão cinco, com autores consagrados e novos nomes, a exemplo de Rodrigo Melo, autor do livro de contos O sangue que corre nas veias.

Os outros novos títulos da editora do Teatro Popular de Ilhéus são: Essa esquiva e dilacerada fauna, também de contos, escritos por Jorge Araújo; Um rio nos olhos (poesia), de Aleilton Fonseca; O chão & a nuvem (poesia), de Heitor Brasileiro; e O túmulo agonizante, obra de Ramon de Freitas Ribeiro que traz duas novelas de terror.

A Mondrongo estreou com a produção dos textos das peças Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito O Inspetor Geral, de Romualdo Lisboa. Desde o nascimento, já são 22 títulos publicados.

PEDRAS DE AMOLAR

GUSTAVO HAUNGustavo Haun | g_a_haun@hotmail.com

 

Durante as duas semanas seguintes, o conhecido cacauicultor mandava alguns dos seus mais de trezentos funcionários irem ao comerciante, um ou dois por dia, para perguntar se tinha pedra de amolar para vender.

 

Sêo Oscar era um dos homens mais ricos da Bahia, com certeza o maior cacauicultor individual do mundo à sua época.

A fama dele corria léguas e mais léguas: homem previdente, astuto e trabalhador. Ninguém lhe passava a perna. Corria a estória de que até seu genro tinha tentado assassiná-lo (de olho na gorda fortuna!), porém não havia logrado êxito, pois Sêo Oscar fora mais esperto…

Havia migrado de Sergipe para o sul da Bahia em busca de terras e riquezas. E as conseguiu, com muito suor e dedicação.

O tempo passava e Sêo Oscar só prosperava ainda mais.

Certa feita ele se dirigiu ao antigo Banco Nacional – era um dos maiores correntistas da instituição – e pediu para reaver sua aplicação.

Era muito dinheiro. O Banco consultou o saldo: mais de milhões! Trabalheira danada. Contaram, recontaram. Colocaram em várias maletas o seu valioso vintém. No fim do dia, quando lhe entregaram o montante, ele disse ao gerente:

– Ô, seu menino, sabe de uma, não vou levar o dinheiro, não… Só queria saber se vocês tinham guardado ele bem, aí…

As más línguas criaram inúmeras lendas sobre Sêo Oscar, como a de que ele amarrava um comprimido de melhoral e tomava para passar a dor de cabeça constante. Quando estava bom da dor, puxava de volta o cordão, guardando o remédio para uma próxima vez…

Como disse, muitas, muitas lendas! E o homem era famoso por elas.

:: LEIA MAIS »

LUIZ GONZAGA: O REI NORDESTINO E NEGRO (OU PARDO) QUE O POVO DO BRASIL ELEGEU

chuckEm sua conversa semanal com os leitores, Ousarme Citoaian (que assina a coluna UNIVERSO PARALELO aqui no Pimenta) diz que, na questão do preconceito, “o Brasil esteve bem à frente dos EUA”, pois “elegeu um Rei do Baião, negro (ou pardo) e nordestino chamado Luiz Gonzaga”. O colunista se referia às relações históricas entre Elvis Presley e Chuck Berry – para muitos críticos, o verdadeiro “pai” do rock. Só que o mercado fez o gênero “fugir das mãos de Chuck Berry e ir parar no colo de Elvis Presley, feito Rei do Rock”.

Especialistas apostam que Berry perdeu a parada por ser negro, enquanto Elvis,“bem apessoado”, tinha o perfil “adequado” para subir os degraus da glória. Entre nós, para felicidade geral da Nação, Luiz Gonzaga – apesar de muita gente torcer o nariz para pardos e nordestinos, foi em frente e construiu fama.

Para ver os comentários e a coluna mais recente, clique aqui.

DONA CANÔ: ENTERRO SERÁ NESTA QUARTA

Em 2010, Dona Canô e Lula conversam acompanhados do governador Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto Manu Dias).

Em julho de2011, Dona Canô e Lula conversam acompanhados do governador Wagner e a primeira-dama, Fátima Mendonça (Foto Manu Dias).

Dona Canô, matriarca da família Velloso, morreu aos 105 anos nesta terça-feira, 25, em sua residência na cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano. Dona Canô passou a noite de Natal ao lado dos filhos, netos e bisnetos. Segundo informações iniciais, ela teria passado mal na madrugada desta terça. Logo depois, teria morrido cercada pela família.

Canô será velada primeiro em uma cerimônia apenas para a família, em sua casa em Santo Amaro, e depois em cerimônia aberta ao público, às 18 horas, no memorial Caetano Veloso, também na cidade. Segundo informações da assessoria de imprensa de Caetano Velloso, a matriarca será enterrada às 10 horas desta quarta-feira, 26.

Dona Canô teve oito filhos, entre eles os cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia. Em outubro de 2011, ela perdeu a filha adotiva Eunice Veloso, aos 83 anos, que morreu com insuficiência respiratória.

Leia mais n´A Tarde

PORTUGUESES AINDA CRITICAM ACORDO ORTOGRÁFICO

Da Agência Brasil

A despeito de Portugal ter aceito formalmente o acordo ortográfico antes do Brasil, a mudança de algumas regras na escrita ainda gera polêmica e divide opiniões no país de origem da língua portuguesa. Alguns lusitanos sentem que a reforma os força a escrever (e até a falar) como os brasileiros.

A reforma foi ratificada pelo Parlamento de Portugal em maio de 2008 e promulgada pelo presidente Cavaco Silva em julho seguinte, dois meses antes de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionar a lei do acordo ortográfico em solenidade na Academia Brasileira de Letras.

Em Portugal, o acordo está em vigor desde 13 de maio de 2009. A resolução de adotá-lo prevê um prazo transitório de até seis anos para implementação definitiva da nova grafia.

Além de Portugal e do Brasil, o acordo já foi ratificado em Cabo Verde (2006), em São Tomé e Príncipe (2006), na Guiné-Bissau (2009) e no Timor Leste (2009). Falta a ratificação dos parlamentos de Moçambique (o Conselho de Ministros em junho deste ano aprovou a reforma ortográfica) e de Angola.

Leia mais

JORGE E ZÉLIA NO RIO VERMELHO

jorge e zélia 2

O casal mais famoso da Bahia está eternizado no Rio Vermelho, reduto da boemia soteropolitana. Jorge Amado e Zélia Gattai, que construíram uma história de amor entre si e com o povo baiano, receberam mais uma homenagem neste ano de 2012, quando Jorge completaria seu centenário.

A celebração ao casal se materializa em uma escultura concebida por Tati Moreno, inaugurada nesta quarta-feira, 19, pelo governador Jaques Wagner, acompanhado por secretários estaduais e por João Jorge e Paloma Amado, filhos de Jorge e Zélia.

“A homenagem é mais do que merecida e se torna mais um ponto de atração turística para Salvador”, afirmou Wagner. A iniciativa contou com apoio do governo baiano, por meio da Bahiatursa e Bahiagás.

SELO FAZ REFERÊNCIA AO CENTENÁRIO DE GONZAGÃO

O velho Lua, Rei do Baião, será festejado neste domingo, na tradicional Exposição Agropecuária de Entre Rios, onde ele tantas vezes se apresentou.

As homenagens a Luiz Gonzaga irão incluir a inauguração de um museu com o nome do artista, que se estivesse vivo teria completado cem anos nesta quinta-feira, 13.  A festa, no Parque Manoelito Argolo, começa às 9 horas com a Missa do Vaqueiro, seguida do lançamento nacional, pelos Correios, do Selo Comemorativo ao Centenário de Luiz Gonzaga.

Entre os que estarão presentes, destaque para Dominguinhos, discípulo e parceiro de Gonzagão. Durante a festa, a Assembleia Legislativa entregará ao sanfoneiro o título de Cidadão Baiano.

CEM ANOS DE GONZAGÃO

Conhecido como o Rei do Baião, Luiz Gonzaga foi um dos maiores astros da música brasileira. Deixou vasta obra e canções que retratam a vida de brasileiros, principalmente aqueles de sua região, o Nordeste. Abaixo, o velho Lua canta A vida do viajante (Luiz Gonzaga e Hervê Cordovil), interpretada com o filho Gonzaguinha.

MÁRCIO THADEU APRESENTA “PIANO MASTER” EM ILHÉUS

Mãos Márcio foto sandro andradeBoa oportunidade para ouvir música de qualidade e colaborar com ações sociais. O pianista Márcio Thadeu apresenta o espetáculo Brasil Piano Master nesta quinta, 13, às 19h, no Centro de Convenções de Ilhéus. A iniciativa faz parte do projeto Sons de uma Noite Feliz, do Grupo M21.

Para garantir o ingresso, basta doar 2 quilos de alimento não perecível ou um brinquedo. Os donativos serão destinados a entidades carentes escolhidas pela agência de publicidade ilheense.

O NATAL DE CONQUISTA

lenine e arthur moreiraLenine e Arthur Moreira Lima abrem a programação de shows com grandes músicos nacionais dos festejos natalinos de Vitória da Conquista, no próximo sábado, 15.

Considerada a maior programação do interior baiano, o Natal da Cidade será realizado em três praças do município e vai reunir atrações como Gal Costa, Ivan Lins, o cantor lírico Edson Cordeiro, 14 Bis, O Teatro Mágico e Marina Elali.

Confira programação completa

FUTEBOL E HISTÓRIA NO CINECLUBE

A incrível façanha da Seleção de Futebol de Itabuna, que conquistou o hexacampeonato baiano entre 1957 e 1966, é contada no curta-metragem “Do goleiro ao ponta-esquerda”, de Leandro Guimarães, em exibição nesta terça-feira, a partir das 19 horas, no Cineclube Équio Reis (Casa dos Artistas de Ilhéus).

Também será apresentado na mesma sessão o filme “Do 50 ao Centenário”, um documentário sobre a evolução da principal avenida de Itabuna e sua importância econômica e social para a cidade. O curta foi produzido por Ana Luísa Coimbra, Leonardo Bião e Polliana Alves.

O cineclube destaca até fevereiro do ano que vem a produção audiovisual de acadêmicos da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Após os filmes, há sempre um debate sobre assunto relativo ao que foi exibido. Nesta terça, a discussão será acerca do tema “A importância do registro histórico regional”.

PELO DIREITO DE SORRIR

O centro de Ilhéus se transformou em um grande circo a céu aberto na manhã deste sábado, 8 (nada a ver com a atuação de certos políticos!). Foi a segunda edição da Palhasseata, evento organizado pelo Grupo Maktub, com apoio da Fundação Cultural do Estado da Bahia. A foto é de Karoline Vital.

OSCAR FILHO SE APRESENTA EM ILHÉUS

O comediante Oscar Filho, um dos apresentadores do programa CQC (Custe o Que Custar), da Band, trará o seu espetáculo de stand-up comedy para Ilhéus. A única apresentação será no próximo dia 21, às 20h30, no Centro de Convenções.

O show, intitulado “Putz Grill…”,  foi considerado o melhor da  categoria pelo 10º Prêmio Jovem Brasileiro e já passou por mais de 100 cidades do país, alcançando um público de aproximadamente meio milhão de espectadores. Os pontos fortes do comediante estão nos textos originais e na capacidade de improvisação.

Os ingressos podem ser adquiridos no Stand do Karioka, Manga Rosa e Bicho Festeiro. O preço é R$ 50,00 (meia R$ 25,00) e a casadinha custa R$ 60,00. Para a área VIP, o valor é R$ 70,00.