santo agostinho
janeiro 2015
D S T Q Q S S
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031



american park

:: ‘Cultura’

TEODORICO NA CASA DOS ARTISTAS

Teodorico e o puxa-saco Malote (foto Felipe de Paula)

A peça Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito, do Teatro Popular de Ilhéus, será exibida amanhã e sábado, dias 16 e 17, sempre às 20 horas, na Casa dos Artistas. Será mais uma oportunidade para o público ilheense dar boas gargalhadas com as trapalhadas de Teodorico e sua trupe de puxa-sacos corruptos, mas sem deixar de refletir sobre a importância de se levar a política a sério.

Teodorico estreou em 2006 e já foi apresentada em várias cidades baianas, além dos estados de Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, tendo recebido duas indicações ao Prêmio Braskem em 2008. Entre maio e julho deste ano, o espetáculo foi visto em 22 assentamentos sul-baianos.

O texto é de Romualdo Lisboa, que também responde pela direção da montagem, que traz elementos da cultura nordestina, como a literatura de cordel e cenário inspirado na xilogravura.

CONTOS DE ESCRITORES ITABUNENSES SELECIONADOS EM CONCURSO NACIONAL

Autor de Ponte estreita em curva sinuosa, Aquilino é um dos selecionados.

Os itabunenses Jailson Alves e Aquilino Paiva estão entre os dez escritores brasileiros com trabalhos selecionados no concurso nacional de literatura do Instituto Maximiano Campos.

Os textos de Jailson e Aquilino foram selecionados, respectivamente, em 3º e 7º lugares no concurso do instituto de Recife (PE). Mais de 500 escritores participaram da oitava edição do concurso.

Jailson reside atualmente em Salvador, é professor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e faz doutorado na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Aquilino é docente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), cursa mestrado em literatura pela UEFS e publicou Ponte estreita em curva sinuosa, pela Editora UFRB.

FALANDO DE PRESUNÇÃO, COLUNISTA DIZ QUE “NO CEMITÉRIO TODOS SE IGUALAM”

Ao responder a uma leitora sobre as incertezas da vida, o colunista Ousarme Citoaian (que assina a coluna UNIVERSO PARALELO aqui no Pimenta) disse que também ele emprega expressões do tipo “penso”, “parece” e semelhantes, por não ter “propriedade sobre as tais certezas certas”. O jornalista “pensa” que quem não duvida de si mesmo se transforma em morada da presunção – sendo esta “irmã siamesa da arrogância e da empáfia, e inimiga inconciliável da humildade”.

O titular do UP repete o conselho que um amigo seu ouviu do pai: “ao se sentir cheio de afetação e superioridade, visite o cemitério, para ver como, no final das contas, ali todos se igualam” – e lembra um curioso diálogo de José Lins do Rego e Graciliano Ramos, sobre o pessimismo deste.

Para ver a coluna desta semana e o total do comentário, clique aqui.

LELO FILHO: “ESTÁ SENDO DIFÍCIL FAZER TEATRO, MAS A GENTE NÃO DESISTE”

Lelo (centro) conversa com a plateia após chuva de risos em Siricotico (Foto Pimenta).

Ator e responsável pelo texto de Siricotico, uma comédia do balacobaco, Lelo Filho emocionou-se ontem, 10, ao final do segundo dia de três apresentações da peça em Itabuna. “Está sendo muito difícil viajar, fazer teatro, mas a gente não desiste, a gente quer continuar”, disse, acompanhado dos atores Jarbas Oliver, Alexandre Moreira e Nilson Rocha. A emoção, em parte, era explicada pela grande interação do público com os atores.

Para a plateia que encheu o Centro de Cultura Adonias Filho (CCAF) ontem, Lelo falou um pouco da concepção de Siricotico e lembrou que a comédia “responde à pergunta que o público sempre fez” ao mostrar os bastidores do teatro, de “como se faz um espetáculo”.

Lelo é da primeira formação de atores da Cia Baiana de Patifaria e completa 30 anos de carreira. Ele mesmo faz questão de dizer que o trabalho é árduo, mas completa: “Estou muito feliz de fazer o que amo”.

A última apresentação de Siricotico em Itabuna será neste domingo, 11, às 20h30min, no CCAF. No próximo final de semana, a peça estará em cartaz em Valença e o elenco se prepara para apresentações fora do Estado.

CIA BAIANA APRESENTA “SIRICOTICO” EM ITABUNA


Hoje é o segundo dia de três apresentações da peça Siricotico, uma comédia do balacobaco no Centro de Cultura Adonias Filho (CCAF), em Itabuna. A peça com os atores Lelo Filho, Jarbas Oliver, Nilson Rocha e Alexandre Moreira, da Cia Baiana de Patifaria, começa às 20h30min hoje e amanhã, dias 10 e 11.

Siricotico tem direção de Fernanda Paquelet e texto de Vinnicius Morais e Lelo Filho. Lelo, Jarbas, Nilson e Alexandre interpretam 20 personagens que contam bastidores do teatro ao narrar as desventuras da trupe Os Tartufos. É prato cheio para quem gosta de comédia teatral.

O quarteto, aliás, está em Itabuna pela terceira vez este ano. As duas primeiras apresentações foram com a peça A Bofetada, sempre com a promoção da Adois Produções, de Célio e Daniel Gomes.

SERVIÇO
Siricotico, uma comédia do balacobaco
Quando: Hoje e amanhã (dias 10 e 11), às 20h30min
Onde: CCAF
Horário: 20h30min
Ingressos: Bilheteria do CCAF.

SAULO FERNANDES CONFIRMA QUE DEIXARÁ BANDA EVA

Saulo Fernandes, vocalista da Banda Eva há dez anos, confirmou saída do grupo musical que revelou nomes como Ivete Sangalo. Fernandes confirmou à repórter Wanda Chase, da TV Bahia, que tomará novos rumos. “É verdade, Wandinha”, disse sobre a despedida já em 2013.

De acordo com o próprio Saulo Fernandes na entrevista, a saída será oficializada ainda nesta noite de quarta, 7, durante show da banda na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, na capital baiana. Confira, abaixo, o vocalista cantando Circulou.

“VINTE SÉCULOS NÃO BASTAM PARA SEPARAR SÓCRATES E DESCARTES”, AFIRMA COLUNISTA

Em resposta aos leitores, sobre questões metafísicas como “quem sou, o que sou, o que faço no mundo?”, o colunista Ousarme Citoaian (que assina a coluna UNIVERSO PARALELO, aqui no Pimenta) diz que “buscar-se é próprio do homem”. Como a querer provocar os filósofos, ele cita, a propósito, o “Conhece-te a ti mesmo”, de Sócrates (que teria vivido lá pelos anos 450 a. C.), para lembrar que Descartes, nascido mais de dois mil anos mais tarde, pregou um “Penso, logo, existo”. As duas frases, tão distanciadas no tempo, soam próximas, segundo o colunista, “no sentido de levar o indivíduo a investigar-se”.

Ele mesmo se confessa surpreso com essa proximidade entre dois pensamentos tão díspares, e conclui com uma brincadeira: “Eu imaginava que Descartes fosse… cartesiano!” O. C. ainda “conversa” com seus leitores sobre jazz, literatura (festeja o lançamento de uma pesquisa sobre Marighella, “o inimigo número um da ditadura militar”) e assuntos difusos, como os diabinhos (sorridentes e cheirando a enxofre) que se escondem dentro dos computadores.

Paraver o mais recente UNIVERSO PARALELO e os comentários, clique aqui.

A MULHER E A MORTE NOS LIVROS DE JORGE

A abordagem da mulher e as contingências da morte na obra de Jorge Amado são analisadas no livro “Morte e Gênero – Estudos sobre a  Obra de Jorge Amado”, escrito pelos professores André Rosa e Sandra Sacramento, ambos da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). O trabalho se propõe a discutir as representações da morte e do feminino em alguns dos mais importantes textos ficcionais do autor grapiúna.

Com o selo da editora Mondrongo, do Teatro Popular de Ilhéus (TPI), o livro tem lançamento marcado para esta quinta-feira, 8, às 18h30, na Casa de Jorge Amado (sede da Fundação Cultural de Ilhéus). Estão programadas apresentações do balé afro Dilazenze, grupo teatral Maktub, entre outras atrações.

CURTAS EM ILHÉUS

Terça-feira em Ilhéus é sempre dia de apreciar os curtas-metragens produzidos pelos acadêmicos de Comunicação Social da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). As sessões, com entrada franca, começam às 19 horas, no Cineclube Équio Reis, instalado na Casa dos Artistas.

Amanhã, dia 6, serão exibidos dois filmes: “Nos Trilhos do Tempo”, de Rackel Rocha, e “O Encanto das Águas – Histórias da Lagoa Encantada”, de Larissa Sobral e Marcela Falcão.

Além de ver os curtas, o público pode acompanhar (e interagir) a mesa redonda com professores da Uesc, que ocorre após as exibições.

COLUNISTA DEFENDE AS ORIGENS E A BUSCA DO UNIVERSAL, OU ‘EL CIELO COMO BANDERA’

Um comentário sobre redes e sua utilização pouco convencional no Nordeste de  outrora – levar defuntos à “última morada”, na expressão de João Cabral de Melo Neto – gerou dúvidas sobre a opinião do colunista Ousarme Citoaian (que assina o UNIVERSO PARALELO aqui no Pimenta). “O leitor não lê o autor, lê a si mesmo, no texto do autor”, disse O. C., citando Marcel Proust, mas considerando que, em comunicação, se o receptor não entende a mensagem, a responsabilidade é do emissor. “Fui mal”, admite, antes de esclarecer que é nordestino, sim senhor e sim senhora. “Se fugi da seca, feito ave de arribação, segui o destino secular da minha gente; se perdi o sotaque, não perdi o jeito ´intelectual´, absorvido dos cegos da feira de Flores, às margens do rio Pageú, e dos livretos de literatura popular”, esclarece. E finaliza: “mesmo sem renunciar às origens, a busca do homem é pelo universal, ´el cielo como bandera´”.

Clique aqui para ver a coluna mais recente e os comentários.

PATRIMÔNIO IMATERIAL DA BAHIA

Imagem da baiana de acarajé se identifica com a cultura do Estado

O ofício da baiana de acarajé passa a ser reconhecido como Patrimônio Imaterial da Bahia, por meio de decreto assinado pelo governador Jaques Wagner. A atividade foi também registrada no Livro Especial de Saberes e Modos de Fazer, do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac).

Segundo o governador, a homenagem é um reconhecimento a “uma marca baiana, uma tradição da nossa culinária e da nossa hospitalidade”.

Uma hora dessa é covardia…

DOMINGO DE PARALAMAS DO SUCESSO EM ILHÉUS

Herbert Viana e os Paralamas do Sucesso fazem grande show neste domingo, 28, no Boca du Mar, em Ilhéus. A programação começa às 18h com uma das revelações da música brasileira, a cantora Thathi. Tudo tendo como “testemunha” a bela Baía do Pontal – e, claro, milhares de fãs.

O show tem patrocínio do Ministério da Cultura e da Caixa Econômica Federal (Eu faço cultura) e promoção da MVU Eventos. Os pontos de venda de ingresso são o Stand do Karioka e a Encantur (Ilhéus) e a central do Bicho Festeiro e Encantur em Itabuna. Mais informações do show podem ser obtidas pelo (73) 3231-2100.

Abaixo, os Paralamas cantam Alagados.

MARCELO GANEM SE APRESENTA EM PARIS

Artista participou do evento em 2011

O músico Marcelo Ganem, de Buerarema, fará duas apresentações durante o Salon du Chocolat de Paris, evento que começa no próximo dia 31 e vai até o dia 4 de novembro. Será a segunda vez que o artista participa do evento.

Os shows acontecem nos dias 2 e 3, dando destaque às composições incluídas no álbum Amoroso Chocolate. Está prevista a presença do percursionista itabunense Cláudio Kron, que vive em Londres.

Ganem viaja à França a convite da Câmara Setorial do Cacau e do Instituto Cabruca.

PARA COLUNISTA, VEREADORA DEVE-SE IMPOR COMO MULHER E SOLDADA, “SEM DECEPÇÕES”

No centro de uma discussão cheia de mal-entendidos a respeito da vereadora soldada Valéria Morais, Ousarme Citoiaian (que assina a coluna UNIVERSO PARALELO aqui no Pimenta) não perdeu o bom humor. No tom irônico de sempre, disse que os reacionários  representam uma linha “filosófica” que não justifica o tempo gasto em polemizar. Chamando “para o que, de fato, é relevante”, ele se confessa envaidecido de seus leitores, com esta pergunta: “que coluna vocês conhecem que provoque remissões a Guimarães Rosa, Rubem Fonseca e outros grandes autores e grandes temas?”.

Sobre a vereadora-policial, o colunista lembra que ela foi citada porque estava muito visível na mídia, como vítima desse já antigo processo de “masculinização” pela linguagem.  E, ao contrário do que entenderam os “reacionários”, vê com simpatia este caso de ascensão social. “Quero que ela tenha vida longa, mandato público profícuo, sem decepções a seus eleitores, e, para dar exemplo, imponha ser tratada como mulher, vereadora e soldada”, disse O.C.

Para conferir a coluna e comentários desta semana, clique aqui.

ATRIZ TEM QUADRO IRREVERSÍVEL

É gravíssimo o quadro de saúde da atriz baiana Regina Dourado, de 59 anos. Vítima de câncer, ela se encontra internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Português, em Salvador, onde deu entrada no sábado, 20.

O irmão da atriz, Oscar Dourado, acompanha Regina no hospital e, segundo ele, o quadro dela é irreversível. “Minha irmã está sedada e com poucos momentos de lucidez”, declarou. Ele também pediu que os fãs rezem pela artista. Informações do A Tarde Online.

 

PRODUÇÃO CULTURAL EM DEBATE

A produção cultural regional será tema de debate nesta terça-feira, 23, às 19 horas, no Teatro Popular de Ilhéus, onde estarão presentes dois importantes cineastas baianos: Pola Ribeiro e Araripe Jr. Na mesma noite, haverá exibição da série de curtas-metragens Encena, produzida pelos acadêmicos da TV Uesc.

A realização da mesa redonda com os dois cineastas  é fruto de uma parceria entre o Curso de Comunicação da Uesc e o Ponto de Cultura do Teatro Popular de Ilhéus. Também participam do evento os professores Dirceu Alves e Marlúcia Rocha, o gerente de laboratórios da Uesc, Emiron Gouveia, e o diretor de cinema Henrique Filho, ex-aluno do curso de Comunicação da universidade.

Essa parceria entre a Uesc e o TPI prevê ainda a apresentação de diversos curtas produzidos por alunos da instituição. As sessões serão sempre às 19 horas de terça-feira, até fevereiro de 2013.

EM LIVRO, A VINGANÇA DE GRACILIANO RAMOS

Maurício Dias | Carta Capital

Nas comemorações de 120 anos de nascimento de Graciliano Ramos, a editora Boitempo relança o livro O Velho Graça: Uma biografia de Graciliano Ramos, de Dênis de Moraes.

A nova edição, revista e ampliada, tem um texto exemplar de Alfredo Bosi, embora mantenha o prefácio original de Carlos Nelson Coutinho. Destaco uma história inédita, integrante dessa nova edição.

Graciliano cruzou casualmente com Getúlio Vargas meses depois de sair da cadeia. Era 1937. Ainda morava em modestíssima pensão na Rua Corrêa Dutra, próximo ao Palácio do Catete.

Como sempre, à noite, ele fazia um passeio pela Praia do Flamengo. Certa vez, mais ou menos às 22 horas, entrou na deserta Rua Barão do Flamengo. Em direção contrária vinha um homem baixinho, gorducho, de paletó e gravata, sozinho. Reconheceu-o. Era Getúlio, que tinha, também, o hábito do passeio após o jantar.

“Boa noite”, disse o ditador. Graciliano não respondeu.

Vingou com o silêncio os dez meses e dez dias, entre 1935 e 1936, que ficou encarcerado, sem processo ou culpa formada, como ocorre nas ditaduras.

ATORES DE “GOZADOS” AGRADECEM CASA CHEIA EM DIA DE FINAL DE “AVENIDA BRASIL”

No palco do CCAF, Stella Miranda e Luiz Salém concorreram com final de Avenida Brasil.

Os atores Luiz Salém e Stella Miranda se apresentaram no Centro de Cultura Adonias Filho, em Itabuna, exatamente na hora em que ia ao ar o último capítulo de Avenida Brasil, na sexta à noite. E a dupla de Gozados não deixou de agradecer à plateia.

Apesar do frisson em torno da novela, o Centro de Cultura ficou cheio para assistir à comédia musical que estreou há dois meses e foi trazida ao município sul-baiano pela Adois Produções, de Célio e Daniel Gomes.

No palco, Salém e Stella brincaram com a situação: “Tenham certeza que vocês vão lucrar muito mais com a gente aqui”. E completaram aos risos: “até por que vocês vão poder ver a p…. da reprise amanhã [ontem]”.

Stella ainda brincou com os nomes de um dos personagens de Avenida… e da novela global que estreia nesta segunda. Disse que Jorginho (Cauã Reymond) ia ser sequestrado no capítulo final e resgatado somente amanhã, 22, em Salve Jorge – ou seria Salve Jorginho?

A dupla falou com o PIMENTA sobre como a final da novela mexeu com o público e até a agenda política da presidente Dilma Rousseff. Salém confessou: “se não tivesse [trabalhando], estava assistindo à novela”. A peça teve apresentação única em Itabuna. Hoje, Gozados encerrada a série de sessão dupla no Teatro Municipal de Ilhéus, às 20h30min.

Peça teve casa cheia mesmo com final de novela em mesmo horário (Fotos Pimenta).

THAME EM MESA REDONDA SOBRE JORGE AMADO

O jornalista e escritor Daniel Thame, autor de obra-tributo a Jorge Amado, participou neste sábado, 20, de uma mesa redonda sobre o escritor grapiúna na Feira Literária Internacional de Cachoeira (Flica). Mediado pelo ator Jackson Costa, o debate teve também a presença da escritora americana Mary Ann Mahony.

A discussão, que durou cerca de duas horas e atraiu grande público para o auditório da Ordem do Carmo, girou em torno do tema “Jorge Amado e os contextos de Terras do Sem Fim e Gabriela”. Segundo Thame, foi um “mergulho na saga do cacau e no mundo mágico de Jorge Amado, que tornou o Sul da Bahia mundialmente conhecido”.

A Flica, que termina neste domingo, 21, reúne escritores do Brasil, Estados Unidos, Espanha, Itália, Nigéria e Angola.