WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia




alba








novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

editorias






:: ‘Cultura’

CINEASTA FÁBIO BARRETO MORRE NOVE ANOS APÓS ACIDENTE E ESTADO DE COMA

Cineasta Fábio Barreto morre depois de quase 10 anos em coma || Foto Divulgação

O cineasta Fábio Barreto morreu na noite de ontem (20), aos 62 anos, no Hospital Samaritano, na zona sul do Rio de Janeiro, onde ele estava internado. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, a família não autorizou a divulgação de detalhes sobre a morte.

Ele estava em coma desde que sofreu um acidente de carro em dezembro de 2009. Filho do cineasta Luiz Carlos Barreto e da produtora Lucy Barreto, Fábio dirigiu seu primeiro longa-metragem, Índia, a Filha do Sol, em 1984.

Ele foi também diretor de O Quatrilho (1995), indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1996. Também dirigiu Lula, O Filho do Brasil, em 2010.

RENATO PIABA APRESENTA “PIABA NO BOTECO” EM ITABUNA, NESTA QUARTA

Comediante apresenta “Piaba no Boteco”, no Codornas, nesta quarta

O comediante Renato Piaba apresenta o seu novo projeto “Piaba no Boteco” no Codornas Restaurante, nesta quarta-feira (20), às 20h. Com grande sucesso em Salvador, o espetáculo segue a nova tendência que está em alta em todo o Brasil, construído nos moldes dos comedy clubs americanos.

Diferente de teatros, os shows em bares criam um ambiente totalmente intimista, no qual a plateia e o humorista ficam frente a frente e tudo acontece em uma mesa de bar, com muito riso, bebida e comida.

O evento é para quem gosta de reunir os amigos e dar boas risadas, afirma, deixando o artista pertinho do público. Sem ter um palco fixo, o humorista vai passando de mesa em mesa, levando o seu improviso. “O show é sem palco e não tem texto. Tudo vai desenrolando de acordo o que vai acontecendo”, afirma Renato Piaba. O ingresso individual fica por R$ 25,00 e a mesa para 4 pessoas sai a R$ 100,00.

SERVIÇO
Piaba no Boteco
Quando: 20 de novembro
Horário: 20h
Local: Codornas Restaurante
Valores: Mesas com 4 pessoas – $100,00
Pontos de venda: Salão Evellyn Oliveira’s, no Shopping e no Codornas Restaurante
Informações: (73) 99114.1240 / 98841.5415 / 3211.0775

SERRA GRANDE: BLUE JAZZ FESTIVAL SUPERA EXPECTATIVAS E ESTÁ CONFIRMADO EM 2020

Festival Blues Jazz de Serra Grande atraiu grande público

A Praça Pedro Gomes, em Serra Grande, Uruçuca, foi palco do I Blues Jazz Serra Grande, no feriadão da Proclamação da República, com uma vasta programação cultural. Com palco sustentável, o evento ofereceu oficinas gratuitas de inicialização musical e apresentações musicais de blues, baião e jazz, além de concorrido workshop de confecção de instrumentos e ações voltadas ao cuidado ambiental e à agroecologia.

O multi-instrumentista Julio Caldas foi uma das atrações do evento. Ele se apresentou no primeiro dia, sexta-feira (15). Pesquisador dos instrumentos de cordas populares radicados no Brasil, em especial as guitarras, a guitarra baiana, a viola caipira e o bandolim, ele participou de um bate-papo musical sobre sua carreira e se apresentou ao lado de Fábio Batanj (baixo) e Eric Dutra (bateria) com um repertório de blues e derivados, com composições de sua autoria e músicas de BB King, Jimmy Hendrix, Robert Jonhson e Muddy Waters.

Baiana Cacá Magalhães mostrou porque é uma das maiores revelações da música

A primeira noite do Festival teve com destaque também o Tributo a Álvaro Asmar, com Eric Asmar, que relembrou grandes sucessos. A noite contou com as apresentações de Teca Gondim e Tota Portela, Zezo Maltrez e Zem Trio,, Adelmo Asmar & Mojo Blues Band, Sol Salae e Celso Blues Band.

No sábado (16), a Praça ficou pequena para apresentação de Cacá Magalhães, com participação da jovem talentosa Clariana Fróes, que levou o público ao delírio em uma apresentação considerada pelos presentes como energizada. E foi completada com os shows de Alex Mesquita e Carlos Blanco, Cacá Magalhães e Banda Terráquea, Eugênio Aramuni e Jazz Trio. Gabi Guedes Pradarrum, Família Caribe e Números Primos.

O prefeito de Uruçuca, Moacyr Leite Júnior, disse que estava muito feliz pela cidade estar realizando o evento e agradeceu toda a equipe e apoiadores pelo sucesso do Festival. O prefeito assegurou que não medirá esforços para que, todos os anos, urucuquenses e turistas possam se deliciar com boa música e grandes nomes do jazz e do blues.

CHEGADA DE PAPAI NOEL ABRE O NATAL DO SHOPPING JEQUITIBÁ; CONFIRA PROGRAMAÇÃO

Papai Noel fará a festa da criançada no Jequitibá a partir do dia 20

O Papai Noel desembarca no Shopping Jequitibá em uma tarde especial do próximo dia 20, abrindo a programação natalina do principal centro de compras, lazer e serviços do sul da Bahia. “O bom Velhinho de barba branca e super gente boa” será o tema do Natal deste ano do Jequitibá. O senhor de barba branca chega às 17h da próxima quarta, em grande estilo e marcando momento pelas crianças e pessoas de todas as idades, envolvidas pelo espírito natalino.

Papai Noel será recebido no estacionamento da entrada principal, num espetáculo com as participações das turmas Teatro e Fantasia e Circo da Lua. Na sequência, o Bom Velhinho ocupará seu espaço numa área nobre do shopping, onde atenderá a criançada até o dia 24 de dezembro, véspera de Natal, de segunda a sábado, das 15h às 21h. Aos domingos e nos feriados, Papai Noel posa pra foto e ouve a criançada das 14h às 20h.

FERIADÃO

O Shopping Jequitibá também divulgou os horários de funcionamento durante o feriadão da Proclamação da República. Na sexta-feira (15), as lojas abrem das 13h às 21h, enquanto a Praça de Alimentação funciona das 12h às 21h. A Farmácia Velanes atenderá das 8h às 21h, enquanto a Lotérica ficará aberta de meio-dia até as 18h.

No sábado e no domingo, dias 16 e 17, o funcionamento será normal. No sábado, as lojas e a Praça da Alimentação abrem das 10h às 22h. No domingo, lojas funcionam das 14h às 20h. Praça de Alimentação, das 12 às 21 horas.

GRATUITO, FESTIVAL BOA MÚSICA DE ITACARÉ COMEÇA NA SEXTA (15) COM ARMANDINHO MACÊDO

Boa Música terá várias atrações, a partir da sexta (15)

Nomes como Armadinho Macedo e Adaury Mothé Trio, além de vários artistas da região, trazem neste final de semana o melhor da MPB, blues, jazz e bossa nova na primeira edição do Festival Boa Música em Itacaré. Aberto ao público, o evento começa nesta sexta (15). O festival, segundo a organização, abrirá espaço para as manifestações culturais locais.

Rodas de capoeira, apresentações percussivas, manifestações de origem quilombola e desfile de fanfarras estão entre as atividades oferecidas ao público nos dois dias de festival, além de um workshop de música. A proposta é levar o melhor da música, a cultura, folclore e a participação popular num dos principais destinos turísticos da Bahia. O Festival Boa Música, que conta com patrocínio do Governo do Estado, por meio da Bahiatursa, tem apoio da Cervejaria Eisenbahn.

Na sexta (15), o grupo de capoeira Tribo no Porto, fundado no bairro Porto de Trás, abre, a partir das 18h, a programação cultural e se apresenta na Praça Santos Dumont. Depois será a vez do grupo feminino de percussão Dedo de Moça desfilar levando samba-reggae e misturando estilos como funk, ijexá, samba-enredo e baião pelas ruas da cidade. A concentração será na Praça das Mangueiras e segue até a Praça Santos Dumont.

Nos palcos a alegria começa às 16h. No palco Elza Soares, montado na Ponta do Xaréu, acontecerá o pôr-do-sol animado por Rodney Roque. Já no Palco Joao Gilberto, na Pituba, os shows começam às 18h, com a Banda Meu Som Instrumental, seguindo com a Banda Pecados Capitais. No palco Vinícius de Moraes, na Passarela da Vila, se apresentam as bandas Quente e Sparta, a partir das 18h. Já o Palco Dorival Caymmi, montado na orla da cidade, trará Padre Ednaldo e Banda, seguindo com Reginaldo Natureza, também a partir das 18h. O Palco Tom Jobim, na Praça Santos Dumont, trará, a partir das 20h, as atrações Ronara Criola, Armandinho Macedo e Adraury Monthé Trio. :: LEIA MAIS »

ANTROPÓLOGO LANÇA LIVRO EM ILHÉUS SOBRE RESISTÊNCIA DOS POVOS INDÍGENAS NA BAHIA

Antropólogo lança livro em Ilhéus neste sábado (9)

O antropólogo e fotógrafo Rogério Ferrari lança, no próximo sábado (9), a partir das 14h, no Centro Cultural de Olivença, em Ilhéus, o livro Parentes. Este é o volume mais recente da obra que Ferrari vem compondo no âmbito do projeto Existências-Resistência.

O livro é resultado do percurso do fotógrafo por diferentes regiões do estado para retratar a diversidade e a resistência dos povos indígenas na Bahia. A obra é composta por 64 imagens em preto e branco que mostram as nações Pataxó, Pataxó Hã Hã Hãe, Tupinambá, Pankaru, Pankararé, Tuxá, Atikun, Kaimbé, Tumbalalá, Kiriri, Kantaturé, Tuxi, Kariri-Xocó e Truká.

O evento conta com o apoio comunidade Tupinambá de Olivença. Durante o lançamento da obra, haverá uma roda de conversa  como o tema “A luta dos povos indígenas na Bahia”, com a participação de Ferrari, Laís e Katu Tupinambá.

O evento é promovido no âmbito da Pró-Reitoria de Sustentabilidade e Integração Social (PROSIS) e Diretoria de Integração Social e Sustentabilidade e Coordenação de Extensão da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Os participantes terão direito a certificado.

ALUNOS DA ESCOLA SESI APRESENTAM “AUTO DA COMPADECIDA” NO TEATRO DE ILHÉUS

Auto da Compadecida será encenado no Teatro de Ilhéus por alunos do Sesi

A Escola Sesi Adonias Filho apresenta nesta quinta-feira (31), às 19h, no Teatro Municipal de Ilhéus, a peça Auto da Compadecida. A apresentação é resultado de projeto escolar e está baseada na obra O Auto da Compadecida, do escritor nordestino Ariano Suassuna, e tem adaptação de Geisa Pena.

O projeto foi desenvolvido e organizado pelas professoras Samara Pereira e Hellen Oliveira, da área de Linguagens, que aborda o desenvolvimento de múltiplas inteligências e artes, com ênfase no teatro. Os ingressos para a apresentação custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada) e podem ser adquiridos na bilheteria do teatro.

REVELAÇÃO DO THE VOICE BRASIL PARTICIPA DE ENCONTRO DE CORAIS EM ILHÉUS

David Nascimento, que também é instrumentista, fará participação no encontro de corais

Uma das revelações da edição 2018 do reality show The Voice Brasil (Rede Globo), David Nascimento fará participação especial no Encontro de Corais, no Teatro Municipal de Ilhéus, nesta sexta-feira (1º), às 19h. O músico instrumentista de Itabuna e percorre o Brasil como cantor e compositor. Ele chega na cidade para abrilhantar o evento que reunirá corais de Ilhéus, Itabuna e Salvador em uma noite de celebração da música popular brasileira.

O Encontro de Corais – É preciso saber viver terá o brilho das apresentações do Coral dos Servidores da Ceplac, Mokiti Okada (Ilhéus e Itabuna), Coral Dom Eduardo, Coral da Santa Casa de Itabuna, Grupo Vocal Pentágono (Salvador/BA) e do Coral da Uesc.

Este evento é um dos pontos altos do movimento coral na região, reunindo grupos representativos e, desta vez, recebendo convidados da capital baiana. “Além de ser uma grande celebração, o Encontro congrega os coristas, fortalece os grupos existentes e estimula a formação de novos, além de formar plateia para a música coral na nossa região”, explica Nylson Valença, integrante do Coral dos Servidores da Ceplac, grupo realizador do evento.

O ingresso custa R$10 e a classificação é livre. A compra antecipada pode ser feita na Loja Etc e Tal (ao lado do Teatro Municipal de Ilhéus) e na bilheteria do Teatro no dia do evento.

FESTIVAL DE ARTE E GASTRONOMIA DE SERRA GRANDE COMEÇA HOJE; VEJA PROGRAMAÇÃO

Festival de Arte e Gastronomia começa nesta quinta, em Serra Grande

O Festival de Arte e Gastronomia de Serra Grande, em Uruçuca, será aberto na noite desta quinta-feira (10), com várias atrações musicais. A mais aguardada é o vocalista da Banda Ira, Nasi, além de Christiano Reiz, banda Corregedoria Lírica,Thiego César e banda Números Primos, além da Ruarez.

Ainda nesta noite, haverá Cozinha Show, a partir das 18h. Veja programação com os chefs:

18h – Cris Rosa e Marciano Ferreira Saraiva
19h – Mara Campos e Elem Fernandes
20h – Josevaldo Nena e Luiz Rezende
21h – Carlos Motta e Ronaldo Vasconcelos Farias

PROGRAMAÇÃO NA SEXTA

No segundo dia, na sexta (11), a programação de shows terá as atrações Circo da Lua, Samba Capoeira D’Angola, Maracatu Estrella da Serra, Cidadão da Mata e Felipe Hauers. A programação da Cozinha Show terá presença de vários chefs.
18h – Viviane Silva (BA) e César de Mendes (PA)
19h – Cláudia Matos Madhav (SP) e Isaías Brito (BA)
20h – Luciana Lobo (SP) e Deia Lopes (BA)
21h – Irany Arteche (RGS) e Leiliane Barreto (BA)

O terceiro dia, sábado (12), será intenso com programação para todos os públicos, desde contação de história a shows musicais. Passarão por lá os grupos de capoeira locais SBC e Luanda, a performance infantil Karambola, a Fanfarra da Cemur e a contação do Projeto Baleias na Serra. Haverá, ainda, shows do cantor Gustavo Ramos, da cantora argentina Sol Solae, o samba da Revelação da Serra, Eloah Monteiro e a banda de reggae Dilua.

COZINHA DAS CRIANÇAS

No sábado (12), a partir das 17h, é Dia das Crianças no Arte e Gastronomia e elas vão aprender a fazer as receitas propostas pelas chefs Faby Doces e Sandra Kaena, na cozinha kids. Na sequência, ocorrerão as aulas dos chefs Jorge da Hora e Flávia Dias, Clodomiro Tavares e Lila Oliveira, André Cabral e Júnior França e Faedra Barreto e Gil Aubert Farias.

CORTEJO E MÚSICA NO DOMINGO

O grupo cultural Zambiapunga, manifestação popular de Nilo Peçanha desfilará no domingo (13/09), no Festival de Arte e Gastronomia de Serra Grande, trazendo um colorido especial na Praça Pedro Gomes. Além deles, participarão da programação a banda Octopussy, a cantora Gabriela Maja, a compositora e cantora Laís Marques e o grupo Serra Roots.

HUMOR: PSITI E WILLIAM FÓRLAN REPRODUZEM COTIDIANO DE MOTORISTA DE UBER EM ITABUNA

Fórlan e Psiti reproduzem cotidiano do motorista de aplicativo… e do itabunense

Os comediantes Psiti Mota e William Fórlan apresentam Itabuna e representam um pouco do universo do motorista de aplicativo neste vídeo.

Nele, Psiti Mota larga o doce:

– Aqui é a capital do mundo, pai. Aqui tem tudo que você acha que deve ter: mosquito da dengue, político ladrão… Tem a desgraça toda aqui, em Itabuna, rapaz…

O caríssimo leitor não se espante. É só humor, na pegada de Psiti e Fórlan…

Aperte o play.

RENATO PIABA, PISIT, LÉOZITO E CRISTIAN BELL APRESENTAM “COISAS DA BAHIA” EM ITABUNA

Renato, Pisit, Cristian bell e Léozito sobem ao palco do Terceira Via, neste domingo

Os comediantes Renato Piaba, Pisit Mota, Léozito e Cristian Bell são nomes consagrados no cenário do humor baiano. Conhecidos não só na Bahia, mas por vários cantos do Brasil e do mundo, despontaram no cenário artístico em épocas diferentes, mas trazem em seus shows um único propósito: fazer o público rir. Agora, os quatro estão juntos em Coisas da Bahia, espetáculo inédito e com duração de uma hora, propõe uma hilária reflexão sobre a realidade baiana, neste domingo (6), a partir das 20h, no Terceira Via Hall, em Itabuna.

A propost de Coisas da Bahia é misturar diversos estilos de humor, como stand up comedy, improvisos, esquetes e sátiras do cotidiano baiano. Os humoristas prometem levar ao público um espetáculo inédito, com texto e direção coletivos e um cenário que faz total alusão à cultura da Bahia.

Com as características de cada personagem, do Gandhi à Baiana, do folião carnavalesco à rivalidade Bahia x Vitória, esses quatro prometem interagir e arrancar gargalhadas do público. E, principalmente, de quem se identifica com o povo e a cultura peculiar da terra do axé e do dendê.

ESCRITO POR WALMIR ROSÁRIO, “JOSIAS MIGUEL, 70 ANOS DE HISTÓRIAS” SERÁ LANÇADO EM ILHÉUS

O empresário Josias Miguel dos Santos apresenta o livro Josias Miguel, 70 anos de histórias, onde conta fatos desde seu nascimento, em Patrimônio da Palha, município de Vila Valério, no Espírito Santo, até os dias de hoje. O lançamento da sua biografia será na próxima sexta-feira (11), às 20h, no Espaço de Eventos Psiu, localizado no km 2,5 da rodovia Ilhéus-Olivença, com a presença da família, amigos e convidados.

Nas 272 páginas do livro escrito pelo jornalista Walmir Rosário, Josias Miguel narra a trajetória de vida, desde a morte do seu pai – Zé Gavião –, que nem mesmo chegou a conhecer por ele ter sido assassinado quando Josias ainda tinha seis meses de vida. Esse fato marcou desde cedo a trajetória da família, que foi separada por motivos de sobrevivência e os reencontros posteriores.

No livro, Josias Miguel revela uma faceta bem diferente da que muitos conhecem: o capixaba que não leva desaforo para casa, explodindo no primeiro momento, esquecendo em seguida sem guardar mágoa e rancores. Também conta como se tornou empresário de sucesso, empresário de bandas, showman, apresentador de televisão, assessor e marqueteiro político de sucesso, o homem que sempre bateu de frente com qualquer um pelas suas convicções pessoais.

LIÇÕES DA VIDA

Essa obra não foi elaborada com o formato do trabalho do marqueteiro que é, mestre em dourar a pílula, dar um invólucro colorido no sabonete, apresentar a verdade melhorada das campanhas políticas que nos acostumamos a assistir pelos programas eleitorais gratuitos na televisão. Ao contrário, ela mostra o diretor de instituições, o pai de família devotado, o amigo leal, o homem que aprendeu as lições que a vida lhe ensinou.

Josias Miguel, o homem que toca os sete instrumentos, embora não tenha se especializado em dedilhar o violão, uma de suas paixões, mas que nem por isso diminuiu seu interesse pela música, compondo letras e produzindo bandas e discos. Mesmo sendo aficionado por dirigir e coordenar uma campanha eleitoral sabe dizer não quando os conceitos éticos dos candidatos diferenciam dos quais acredita.

No prefácio, o advogado e amigo José Aboboreira de Oliveira ressalta que o leitor vai se deliciar com as peripécias de Josias Miguel. O personagem que teve sua infância e adolescência marcada pela passagem por escolas do tipo internatos, educandários que mais pareciam reformatórios para adolescentes em situação de risco social, mas que sempre trilhou o caminho da verdade e do trabalho honesto como suporte para viver com dignidade.

NO BRASIL E NA TERRA DO TIO SAM

Em depoimento, suas duas irmãs mostram o Josias vencedor, que não se curva diante dos obstáculos, um homem capaz, criativo, inteligente, que cresce de todas as formas, sempre muito agitado e aventureiro. Um otimista de carteirinha que sempre teve como lema a liberdade e continua sendo o menino do Patrimônio da Palha que ganhou o mundo. Colatina, Vitória, Rio de Janeiro, Salvador, Jequié, Iguaí, Itabuna, os Estados Unidos do Tio Sam, Ilhéus, tanto faz, é mesmo Josias, filho de Zé Gavião e dona Maria Rigo.

O adolescente que deixou o Espírito Santo para tentar a sorte no Rio de Janeiro encontrou uma série de dificuldades, vencidas uma a uma com a ajuda de personagens providenciais que surgiram conforme as dificuldades. A cada obstáculo superado, um aprendizado para os próximos projetos, encarados sem medo com a sabedoria das experiências anteriores. Não se enebria com o poder público e coleciona centenas de amigos por onde passou. Inimigos garante que não os têm, embora não seja querido por todos, o que considera contingências da vida.

“Com suas ideias de liberdade, de suas convicções e valores, como esteios básicos, para a construção de sua cidadania, não se corrompeu, não fraquejou mesmo quando teve que dizer umas verdades para um juiz; não se acovardou quando teve que enfrentar a selva das matas de Iguaí para colher jacarandá e palmito ou a selva da vida nas grandes cidades, em diversos Estados do Brasil, inclusive, nos Estados Unidos; nunca buscou o caminho fácil ou atalho para o seu favorecimento pessoal ou de terceiros”, ressalta José Reis Aboboreira.

MAIS DE 20 CHEFS CONFIRMAM PARTICIPAÇÃO NO FESTIVAL DE ARTE E GASTRONOMIA DE SERRA GRANDE

Vocalista da Banda Ira, Nasi fará show na abertura do Festival de Arte e Gastronomia

Deia Lopes assina a curadoria deste ano

Mais de 20 chefs locais e convidados confirmaram participação no III Festival de Arte e Gastronomia de Serra Grande, que será realizado de 10 a 13 de outubro em um dos mais belos balneários do litoral baiano. Durante os quatro dias do evento em Serra Grande, Uruçuca, o público terá acesso a programação cultural, aulas-show, feira gastronômica com produtores da agricultura familiar, artesanato e shows musicais.

Estão confirmados, dentre outros, o chocolatier César de Mendes (PA), a chocolateira Luciana Lobo (SP), Elem Fernandes (SP), Irany Arteche (RG), Cláudia Madhav (SP), Marciano Saraiva (MG), as chefs locais da Escola de Gastronomia Serra Grande, Cris Rosa e Lila Oliveira, Jorge da Hora (SP), Clodomiro Tavares (BA), Gil Aubert Farias, Ronaldo Vasconcelos Farias Filho, Viviane Silva, Leiliane Barreto, Flâvia Dias, André Cabral, Luiz Rezende, Faedra Barreto, Júnior França, Carlos Motta, Isaias Brito dos Santos, entre outros. A chef Deia Lopes, empresária e proprietária da Toca da Tapioca Restaurante, em Serra Grande (BA), é quem assina a curadoria.

SHOW

Na abertura oficial do evento, na quinta-feira (10), o vocalista da banda Ira, Nasi, fará um show especial cantando clássicos da banda que o consagrou, além de músicas de Raul Seixas e The Clash. Participam ainda ao longo dos outros dias, a banda Números Primos, Thiego César, Fanfarra da Cemur (Uruçuca), Sol Solae, Circo da Lua, Felipe Hauers, Cidadão da Mata, Samba Capoeira D’ angola, Eloah Monteiro, Revelação da Serra, Gabriela Maja e Dilua, entre outros.

Festival reunirá mais de 20 chefs locais e convidados em Serra Grande

O Festival de Arte e Gastronomia de Serra é realizado pelo coletivo Construção Coletiva Serra Grande Sustentável, Associação Cultural APA Itacaré Serra Grande e a Prefeitura Municipal de Uruçuca, tendo como patrocinadores Tabôa – Fortalecimento Comunitário e Sebrae.

OBRA DE EFSON LIMA, “TEXTOS PARTICULARES” SERÁ LANÇADO EM SALVADOR NA SEXTA (4)

Efson lançará Textos Particulares em sessão de autógrafos nesta sexta (4) || Foto Divulgação

Com sessão de autógrafos, o escritor, professor e advogado Efson Lima lançará a obra Textos Particulares na próxima sexta-feira (4), às 18h, na Livraria LDM, do Glauber Rocha, na Praça Castro Alves, em Salvador. O evento terá pocket show e recital de poemas do livro.

O livro Textos Particulares está sendo lançado pela Editora Cogito e conta com apresentação do doutorando em Ciência da Informação Bruno Almeida e prefácio do vice-presidente da Academia de Letras da Bahia (ALB), Nelson Cerqueira, além de posfácio do poeta Geraldo Lavigne de Lemos, da Academia de Letras de Ilhéus. O texto de orelha é do escritor e membro da ALB, Marcos Vinicius Rodrigues.

A OBRA

O livro tangencia a vida do autor, mas se engana quem o toma numa perspectiva individualista. Os poemas refletem o cotidiano das pessoas, da sociedade e das circunstâncias do nosso tempo e das questões que afligem o caminhar humano. São problemas concretos que o autor reclama solução e insiste em denunciar.

Os textos refletem as vivências do interior da Bahia, especialmente, das cidades de Itapé e Ilhéus, respectivamente, a cidade natal do autor e sua cidade adotiva, onde chegou aos 11 anos de idade. Ambas nutrem o sujeito e oferecem predicados. A civilização grapiúna, o chão de cacau e as vivências universitárias em Salvador são apresentados em poemas curtos, mas com certa intensidade.

O AUTOR

Doutor em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Efson Lima é mestre e graduado em Direito (UFBA), além de professor e coordenador geral da Pós-graduação, Pesquisa e Extensão da Faculdade 2 de Julho (F2J). Foi um dos criadores do Projeto Conviver e um dos membros organizadores, publicando seis livros. Três destes literários. Ele também é coordenador de Assistência Técnica e Inclusão Sócioprodutiva na Setre-BA, acompanhando os Centros Públicos de Economia Solidária (Cesol) do Estado da Bahia.

SERVIÇO
Lançamento do livro Textos Particulares
Quando: 4 de outubro de 2019, às 18h
Onde: Livraria Leitura LDM do Glauber Rocha – Praça Castro Alves
Valor do Livro: R$ 25,00

ITACARÉ: ARMANDINHO MACEDO ABRIRÁ O FESTIVAL BOA MÚSICA

Armandinho é nome confirmado no festival de música em Itacaré || Foto Divulgação

Nomes da bossa nova, da MPB, do jazz e do blues estarão em um dos destinos turísticos mais badalados da Bahia em novembro. Nos dias 15 e 16, Itacaré recebe a primeira edição do Festival Boa Música. Para abrir o evento, Armandinho Macedo, com Iacocce Simões e Emanuel, apresenta show instrumental.

Em Itacaré, Armandinho, que comemora 50 anos de carreira, estará a acompanhado do teclado de Iacocce Simões e a percussão de Emanuel. Com jeito único de interpretar os clássicos do chorinho com seu bandolim, o artista viaja pelo mundo divulgando sua Guitarra Baiana. Ao lado do seus Irmãos do trio elétrico Armandinho, Dodô e Osmar, os “Irmãos Macedo”, Armandinho vem realizando diversas apresentações em teatros com o nome: Musica, carnaval e revolução.

“As atrações do Festival estão sendo escolhidas a dedo, dentro do conceito da boa música, e assim como Armandinho Macedo, outros nomes irão agradar muito ao público que estará em Itacaré no feriadão da proclamação da República”, disse o prefeito Antônio Anízio. O evento conta com o patrocínio do Governo do Estado da Bahia por meio da Superintendência de Fomento ao Turismo (Bahiatursa) e apoio da Cervejaria Eisenbahn.

O FESTIVAL

Idealizado pela Prefeitura de Itacaré, por meio da Secretaria de Turismo, o evento busca valorizar a boa música produzida no Brasil, com ênfase na instrumental, jazz, bossa nova e MPB. O acesso é gratuito, fiel à proposta de promover o intercâmbio entre novos expoentes da música, tendo como principal objetivo divulgar e fortalecer o trabalho de artistas de diferentes ritmos musicais.

O evento terá apresentações culturais, workshop para músicos, feira da economia criativa e concurso gastronômico, além de cortejo nas ruas. Durante o dia, jazz e blues no palco Elza Soares (Ponta do XarÉU), no pôr-do-sol. À noite, os palcos batizados de Tom Jobim (Praça Santos Dumont), João Gilberto (Rua da Pituba), Vinícius de Moraes (Passarela da vila) e Dorival Caymmi (Orla de Itacaré).

A ideia é atrair ainda mais fluxo turístico, sendo realizado durante o feriado da Proclamação da República, gerando com isso emprego e renda. São esperados um público de 10 mil pessoas durante os dias do evento.

CACÁ MAGALHÃES CONFIRMA PARTICIPAÇÃO NO BLUE JAZZ FESTIVAL SERRA GRANDE

Cacá Magalhães é das revelações da música baiana || Fotomontagem Divulgação

A cantora baiana Cacá Magalhães confirma participação na grade de atração do Blue Jazz Festival Serra Grande, que ocorrerá nos dias 15 e 16 de novembro, em Serra Grande, Uruçuca, com apoio da Prefeitura. Com estilo soprano, guiada pelos estilos blues, pop e rap, ela iniciou sua experiência musical aos quatro anos de idade estudando piano, violão e canto, sua maior paixão. Agora com 13 anos, Cacá transborda todo o seu talento com a banda Terráquea.

Filha mais nova da advogada Izabel Magalhães e do empresário João Mauro Nascimento, a cantora foi “descoberta” aos quatro anos pela irmã Maria Júlia, que a viu batucar e cantar pela casa o suficiente para que percebesse o talento nato da menina para a música. “Gosto de dizer que a música veio de dentro de mim”, contou Cacá ao Glamurama.

A Terráquea é liderada pelo cantor, compositor e guitarrista americano Lon Bové, tendo ainda o gaitista Luiz Rocha, o baterista Brian Knave, o percussionista Ivanzinho Santos, o baixista Jaques Lins e o vocalista Gabriel Bové. Fã de Nina Simone, Aretha Franklin, Amy Winehouse, Novos Baianos, Daniela Mercury, a cantora já é uma das revelações da MPB. Abaixo, confira um pouco da monstrinha Cacá Magalhães em Feeling Good.

SÍMBOLO DA CULTURA BAIANA SERÁ TEMA DO SAMBA-ENREDO DE ESCOLA DE SAMBA DO RIO

Um dos símbolos da cultura baiana será tema de samba-enredo de escola de samba

Um dos grandes símbolos culturais da Bahia será homenageado pela escola de samba Unidos da Viradouro no próximo ano. As Ganhadeiras de Itapuã serão tema do samba-enredo da escola no Carnaval do Rio de Janeiro de 2020. Com o enredo Viradouro de Alma Lavada, a escola pretende contar ao longo da Sapucaí a história dessas mulheres escravas, genuinamente brasileiras, que conquistaram a alforria por meio do trabalho.

Segundo o diretor carnavalesco da escola de Niterói, Dudu Falcão, a história de vida das Ganhadeiras merece destaque. “Há uma necessidade da Viradouro de ser uma ferramenta de educação. Nós enxergamos que essa é uma história que o Brasil deve conhecer, especialmente pelo momento atual de empoderamento feminino, já que podemos dizer que esse foi o primeiro grupo de cunho feminista do país”, pontuou.

O desfile será assinado pelos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanos, novos na casa. As Ganhadeiras serão revividas por um grupo musical formado há 15 anos. Diretores das Ganhadeiras e da escola estiveram reunidos com o chefe de Gabinete da Setur, Benedito Braga, na manhã desta quinta-feira (12) para celebrar a escolha do enredo. A participação da escola terá apoio da Secretaria do Turismo do Estado (Setur).

A HISTÓRIA

A história das Ganhadeiras é de luta e esforço. Essas mulheres foram batizadas com esse nome porque trabalhavam em sistema de ganho: parte dos ganhos de seus serviços iam para o senhor e o excedente podia ficar com elas para que acumulassem até comprar a alforria. :: LEIA MAIS »

CONSELHEIRO FERNANDO VITA LANÇA “REPÚBLICA DOS MENTECAPTOS” EM SALVADOR

Fernando Vita lança nova obra nesta quinta, em Salvador || Foto Divulgação

Demóstenes Teixeira

República dos Mentecaptos, uma hilariante história de mandriões, cortesãs, espertalhões e certos valdevinos de modo geral é o mais novo livro do jornalista,  escritor e conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios, Fernando Vita. A obra será lançada, nesta quinta-feira (12), na Livraria Saraiva do Shopping Salvador.

Assim como em suas duas últimas obras, Cartas Anônimas (2011) e O Avião de Noé (2016), também lançados pela Geração Editorial, a história se passa em Todavia, cidade imaginária situada no recôncavo baiano, e conta as aventuras do prefeito Augusto Magalhães Braga, o AMB, um devotado “carlista” que quer fazer seu ídolo, o então governador Antonio Carlos Magalhães, “Presidente da República da Bahia”, e ele próprio, de quebra, governador de Todavia – seu município – agora transformado em estado

Desta vez, o livro conta com elementos de uma autoficção, já que o autor-personagem conduz a narrativa e conta a história do transloucado prefeito – de quem acabou sendo nomeado assessor, por recomendação de Antonio Carlos Magalhães, que providenciou a sinecura para mantê-lo fora da Cidade da Bahia nos anos mais duros da “gloriosa revolução democrática de 1964”. Isto para evitar que levasse uns tabefes dos milicos depois que o dito cujo foi acusado de ter um viés comunista.

Refugiado em Todavia, passa a conviver com malucos, malandros, espertalhões e mulheres – da vida ou não -, entre outros personagens da província, e a viver os dramas do cotidiano do poder municipal, das disputas políticas, das traições, dos conchavos. Participa e tenta até mesmo consolar o prefeito atingido por um infausto episódio de traição conjugal – não por parte da mulher, mas da amante, o que é pior.

Para ajudar a polir os cornos, por recomendação de ACM, guia o prefeito AMB por um tour no Primeiro Mundo, por Paris, Roma e Lisboa  em busca de experiências administrativas exitosas a serem implementadas em sua Todavia e até mesmo, falsamente justifica, de recursos  fartos de organismos financeiros internacionais para custeá-las.

O problema é que o prefeito AMB não tira da cabeça o plano maluco de transformar a Bahia numa República, para que seu líder, ACM, possa exibir a faixa de presidente no peito. E ele próprio, o título de governador, já que todos os muitos municípios seriam transformados em estados, distritos em municípios, vilas em distritos, paróquias em dioceses e por aí vai, numa louca revolução sem outra arma que não a caneta do poderoso caudilho baiano e que não deixaria de atingir nem mesmo a justiça, com simples comarcas virando tribunais de justiça e tribunais de todas as bitolas ganhando estágio bem superior, de supremos seriam chamados.

A história é contada por Fernando Vita em seu estilo único na literatura brasileira, já consolidado nas obras anteriores, como Tirem a doidinha da sala que vai começar a novela (Casa de Palavras, Fundação Casa de Jorge Amado, 2006), Cartas Anônimas – Uma hilariante história de intrigas, paixão e morte (Geração Editorial, 2011) e O avião de Noé – Uma hilariante história de inventores, impostores, escritores e outros malucos de modo geral (Geração Editorial, 2016). Isto é, num texto falado, cujo ritmo envolve o leitor na trama e o faz “se embolar de rir” – como se diz na Bahia. :: LEIA MAIS »








WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia