WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


alba

unesul bahia

uniftc






janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

editorias


:: ‘Economia & Negócios’

ARRECADAÇÃO FEDERAL CRESCE E ULTRAPASSA R$ 1,5 TRILHÃO

A arrecadação de impostos federais em 2019 totalizou R$ 1,537 trilhão, um crescimento real de 1,69% em comparação ao ano anterior. Corrigido pela inflação, o valor chegou a R$ 1,568 trilhão, o maior volume desde 2014, de R$ 1,598 trilhão. A análise das receitas do último ano foi divulgada hoje (23) pela Receita Federal.

Segundo o órgão, o resultado de 2019 pode ser explicado pelo desempenho da atividade econômica e “por fatores não recorrentes”, ou seja, que não se repetem. Os setores econômicos que mais contribuíram para o resultado foram as entidades financeiras, a extração de minerais metálicos, a eletricidade, o comércio atacadista e as atividades auxiliares do setor financeiro.

Um dos fatores não recorrentes citados pela Receita foi as reorganizações societárias de empresas (fusões e aquisições), que afetaram as arrecadações do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). O volume arrecadado com os dois impostos chegou a R$ 14 bilhões, também influenciado pelas alterações nas regras de compensação de créditos tributários com débitos relativos ao recolhimento mensal por estimativa.

A arrecadação com parcelamentos de dívidas, que ocorreu no início de 2018 e não se repetiu em 2019, também influenciou o resultado do ano. “Sem considerar o efeito dos fatores não recorrentes apontados, verifica-se crescimento real de 1,33% no período de janeiro a dezembro de 2019 e de 0,34% no mês de dezembro de 2019”, informa a Receita.

Em dezembro, a arrecadação total de impostos federais atingiu R$ 147,501 bilhões, registrando crescimento real – descontada a inflação – de 0,08% em relação a dezembro de 2018.

As receitas administradas pela Receita Federal, como impostos e contribuições, chegaram a R$ 144,817 bilhões no mês passado, resultando em crescimento real de 0,16%. No período acumulado de janeiro a dezembro de 2019, a arrecadação alcançou R$ 1,476 trilhão, com acréscimo real de 1,71% relativamente a igual período de 2018.

As receitas administradas por outros órgãos, que incluem principalmente royalties do petróleo, registraram queda em dezembro. Essas receitas totalizaram R$ 2,683 bilhões, no mês passado, com retração de 11,69% em relação a dezembro de 2018. No acumulado do ano, entretanto, houve aumento real de 1,28%, na comparação com 2018, chegando ao total de R$ 61,011 bilhões.

MARCO LESSA CRIA BASE EM PORTUGAL E ABRE MERCADOS EUROPEU E ASIÁTICO AO CACAU E CHOCOLATE DE ORIGEM

Lessa cria base em Portugal e abre mercados para produção baiana

“Os loucos abrem os caminhos, que os sábios, depois percorrem”. Pouco mais de uma década atrás, realizar um festival do chocolate no sul da Bahia, essencialmente uma região produtora de cacau e com apenas uma marca relativamente conhecida, o Chocolate Caseiro de Ilhéus, parecia uma loucura.

E, efetivamente, era.

Nascido em Guanambi, publicitário e promotor de eventos com carreira consolidada em Ilhéus, Marco Lessa resolveu abrir o novo caminho, cruzar a fronteira que uniria cacau e chocolate e revolucionaria o modelo de produção. Nascia, em 2008, o Festival do Chocolate e Cacau, com menos de dez estandes e quatro marcas de chocolate.

Caminhar era preciso e Marco Lessa caminhou. O Festival do Chocolate e Cacau se transformou no Festival Internacional do Chocolate e Cacau, o maior evento do gênero no Brasil e na América Latina.

Em 2019, já na sua décima primeira edição e rebatizado como Chocolat Bahia, eram 170 expositores e mais de 70 marcas de chocolate de origem do sul da Bahia, com um total de 60 mil visitantes e R$ 15 milhões em negócios.

Como caminhos são para serem abertos, Marco Lessa criou o Chocolat Amazônia, no Pará, já em sua sexta edição, e, em 2019, o Chocolat São Paulo, abrindo espaço para o chocolate de origem do sul da Bahia e da Amazônia no maior mercado consumidor do país. Na primeira edição paulista, foram 70 expositores e mais de 40 marcas de chocolate, atraindo cerca de 20 mil visitantes, com mais de R$ 5 milhões em negócios, na Bienal, no icônico Parque do Ibirapuera.

Em 2017, o reconhecimento nacional: Marco Lessa foi escolhido como uma das 100 pessoas mais influentes do agronegócio brasileiro pela revista Dinheiro Rural, uma das mais influentes e respeitadas do setor.

Numa entrevista a Daniel Thame, editor do site Cacau & Chocolate, Marco Lessa fala sobre criação dos festivais do chocolate, a mudança de mentalidade e do modelo de produção no Sul da Bahia, o potencial do turismo associado ao chocolate, os desafios da comercialização e consolidação de marcas regionais e de seu passo mais recente e igualmente digno de um empreendedor, a criação de uma base em Portugal, para ampliar a marca Chocolat Festival e abrir novos mercados para o cacau e o chocolate do Brasil na Europa e Ásia. Clique e confira a íntegra da entrevista.

INADIMPLÊNCIA CAI 3,2% NO NORDESTE; BRASIL TEM 61 MILHÕES COM CONTAS EM ATRASO

Cai o número de inadimplentes do Nordeste

O número  de brasileiros com contas em atraso teve redução pelo segundo mês seguido e encerrou 2019 com uma pequena queda (-0,2%) na comparação com o ano anterior. A título de comparação, em 2018 o indicador havia encerrado o ano com uma alta expressiva de 4,4% no número de inadimplentes. Mas a quantidade de pessoas com conta em atraso é alta.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estimam que cerca de 61 milhões de brasileiros tenham começado o ano de 2020 com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a inadimplência mais bem-comportada neste início de ano reflete um cenário de recuperação de crédito, impulsionado pelas campanhas de renegociação promovidas no fim do ano passado.

:: LEIA MAIS »

PORTO SEGURO E SALVADOR ENTRE OS MAIS PROCURADOS PARA O CARNAVAL 2020

Porto Seguro é dos destinos baianos que mais atraem turistas || Foto GovPorto

Búzios, no Rio de Janeiro, e Porto Seguro, no extremo-sul da Bahia, são os dois destinos mais procurados às vésperas do Carnaval de 2020, segundo levantamento da agência online de viagens Hotel Urbano (Hurb).

As análises, reforçam o Hurb, levaram em consideração as cidades mais buscadas no site da empresa para o período de 21 a 26 de fevereiro. Abaixo, confira os cinco destinos mais procurados, dois deles baianos, um pouco diferente do Top 5 de 2019, no qual, da Bahia, aparecia apenas Porto Seguro. Confira:

Top 5 | 2020
1º- Búzios (RJ)
2º- Porto Seguro (BA)
3º- Rio de Janeiro (RJ)
4º- Salvador (BA)
5º- Natal (RN)

Abaixo, confira o ranking geral com os 15 destinos mais procurados neste ano. :: LEIA MAIS »

ATLANTIC NICKEL RETOMA OPERAÇÕES EM MINA DE ITAGIBÁ, NO SUL DA BAHIA

Atlantic Nickel retoma operações na Mina Santa Rita, em Itagibá || Foto Divulgação

A empresa Atlantic Nickel, do grupo Appian Brazil, celebrou a retomada das operações da mina Santa Rita, no município de Itagibá, com 900 empregos, diretos e indiretos, gerados na região. A solenidade, que contou com a presença do vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico, ocorreu nesta terça-feira (14). Nos próximos dias, a empresa realizará o primeiro embarque de 10 mil toneladas de concentrado de níquel, via Porto de Ilhéus, para a empresa Trafigura, uma das maiores tradings de metais do mundo.

“A Atlantic Nickel, antiga Mirabela, tem a oportunidade de transformar a região de Itagibá, com todo seu potencial de extração e exportação de minérios. E o Governo da Bahia é um parceiro do desenvolvimento, fortalecendo os investimentos em infraestrutura viária, para impulsionar o escoamento da produção mineral em todo estado”, destaca Leão.

Já o presidente da Atlantic Nickel espera avançar ainda mais na produtividade da mineradora. “Nossa meta ficará ainda mais desafiadora. Este ano vamos produzir 15 mil toneladas de produto. Vamos fazer, no mínimo, 11 embarques. Tudo com as melhores práticas operacionais, de segurança e socioambientais”, afirma Paulo Castellari, CEO da Appian Brazil e presidente da Atlantic Nickel.

Appian Capital Advisory é um fundo de capital privado, com sede em Londres, criado para atuar exclusivamente nos setores de metais e mineração. Tem experiência na implantação de mais de 60 minas na América do Sul, América do Norte, Austrália e África e suas transações totalizam mais de US$ 200 bilhões, segundo números informados pela SDE-BA.

PRODUÇÃO INDUSTRIAL CAI 3,5% NA BAHIA, APONTA IBGE

Bahia registra queda de mais de 3% na produção industrial

A produção industrial recuou em 11 dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na passagem de outubro para novembro de 2019. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal, divulgada hoje (14), a maior queda foi observada no Paraná (-8%).

Outros locais que tiveram queda acima da média nacional (-1,2%) foram o Espírito Santo (-4,9%), Pernambuco (-4,1%), a Bahia (-3,5%), Minas Gerais (-3,4%), São Paulo (-2,6%), Goiás (-2,1%), o Pará (-1,8%) e Rio Grande do Sul (-1,5%). Também tiveram queda a Região Nordeste (-1%) e Santa Catarina (-0,4%).

Por outro lado, três estados tiveram alta na produção no período: Rio de Janeiro (3,7%), Ceará (3,4%) e Mato Grosso (2,7%). O Amazonas manteve o mesmo nível de produção nos dois meses.

OUTRAS COMPARAÇÕES

Na comparação com novembro de 2018, houve quedas em dez locais, com destaque para o Espírito Santo (-24,3%). Cinco locais tiveram alta. Os maiores crescimentos na produção foram registrados no Rio de Janeiro (13,3%), Amazonas (11,5%) e em Goiás (10,3%).

No acumulado de 12 meses, foram registradas quedas em oito locais. O Espírito Santo também foi o destaque negativo nesse tipo de comparação, ao recuar 13,5%. Sete locais tiveram alta, com destaque para o Paraná (5%).

ITAGIBÁ: MINA SANTA RITA RETOMA OPERAÇÕES

Operações na Mina Santa Rita, em Itagibá, serão retomadas nesta terça

As operações da Mina Santa Rita, da Atlantic Nickel (antiga Mirabela), em Itagibá, serão retomadas nesta terça-feira (14) durante solenidade com a presença de executivos do grupo Appian Brazil e do vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado.Atualmente são gerados 900 empregos diretos e indiretos na mina, em Itagibá, no sul da Bahia, segundo a Appian Brazil.

MEDO DE DESEMPREGO FOI MENOR EM DEZEMBRO, APONTA CNI

Medo do desemprego foi menor em dezembro no país, segundo a CNI

Pesquisa divulgada hoje (8) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que houve um recuo de 2,1 pontos no índice de medo de desemprego, na comparação entre os trimestres encerrados em setembro e dezembro de 2019. Com o recuo, em dezembro, o índice ficou em 56,1 pontos. Apesar da queda, permanece acima da média histórica de que é de 50,1 pontos.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro de 2019. O índice varia de zero a cem pontos. Quanto menor o indicador, menor é o medo do desemprego.

De acordo com a CNI, o resultado apurado em dezembro de 2019 também ficou acima do observado no mesmo mês de 2018, quando o índice foi de 55 pontos. Na variação ao longo do ano, o índice de medo de desemprego apresentou um aumento de 4,3 pontos no primeiro semestre de 2019. No segundo semestre, o indicador se recuperou e acumulou uma alta de 3,2 pontos até o fim do ano.

“O medo do desemprego permanece mais elevado entre os brasileiros com renda familiar de até um salário mínimo. Nessa faixa de renda, o indicador subiu 0,9 ponto em relação a setembro e atingiu 69,7 pontos em dezembro, muito acima dos 37,4 pontos verificados entre as pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos”, disse a CNI.

MULHERES

O medo do desemprego também é maior entre as mulheres. A diferença em relação aos homens alcançou, em dezembro, o maior patamar desde março de 2005. Isso ocorreu porque, entre as mulheres, o índice aumentou 0,6 ponto frente a setembro e passou para 63,2 pontos em dezembro. Entre eles, o indicador caiu 5 pontos e recuou para 48,5 pontos, mostra a pesquisa, que ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro de 2019. :: LEIA MAIS »

MARAÚ FIGURA ENTRE AS 6 MAIORES TENDÊNCIAS DE VIAGEM DO BRASIL PARA 2020

Maraú é apontada como “Polinésia Baiana” pela maior agência online de viagens do país

Maraú, no sul da Bahia, figura entre os seis destinos nacionais que estão caindo no gosto dos turistas e é tendência forte de viagem em 2020, aponta a agência online de viagens Hotel Urbano (HUrb). De acordo com a agência, a lista foi preparada com base no crescimento de reservas dos últimos anos, paisagens naturais, diversidade de cultura e preservação ambiental.

Além de Maraú, destino de celebridades do futebol como Neymar e Gabigol, a lista é completada por Búzios (RJ), Ubatuba (SP), Amazônia, Florianópolis (SC) e Jericoacoara (CE). Outro fator que pode reforçar o turismo nestes destinos, observa a agência, é o dólar nas alturas. Às 16h59min de hoje (7), estava cotado a R$ 4,06, em leve alta.

Países inusitados que não giram em torno da moeda também serão tendência. “As pessoas estão dando prioridade ainda a viagens que promovam menor impacto ambiental e se aproximando do turismo de base comunitária, onde as comunidades locais são a grande atração”, assinala a agência.

POLINÉSIA BAIANA

Maraú é citada pela HUrb como a “Polinésia Baiana” por suas belas praias de águas transparentes, com diversidade de peixes e corais. É listada embora tenha sido atingida, no final do ano passado, pelo óleo que poluiu a quase totalidade da costa brasileira no trecho nordestino.

A HUrb ainda cita praias e distritos de Maraú, a exemplo de Barra Grande, Saquaíra, Taipus de Fora e Algodões são os povoados mais conhecidos de Maraú. “Barra Grande é onde se concentra a melhor infraestrutura, com bons restaurantes e comércio que despertam o interesse dos viajantes”. Ainda em Maraú, um dos destaques da publicação da HUrb é “a grande atração da península é a Praia de Taipu de Fora, onde a maré baixa dá espaço às piscinas naturais”. Da redação do PIMENTA.

ANDRÉ GUIMARÃES VOLTA AO MERCADO DE SALVADOR

Cidadelle House foi um dos projetos tocados pela André Guimarães no sul do Estado

Responsável por três grandes projetos imobiliários em Ilhéus, no sul da Bahia, o Grupo André Guimarães está retornando ao mercado de Salvador com projeto de novos lançamentos no segmento de incorporação imobiliária em Salvador. Diretor comercial do grupo, Denis Guimarães diz que a economia brasileira está voltando a crescer e a capital está sendo projetada no cenário nacional.

– Somos originalmente uma empresa de incorporação imobiliária, que sempre acreditou no mercado baiano. Investimos muito durante o momento de crise, em geração de renda, de emprego e de novos negócios, e agora com a queda da Taxa Selic, o crédito passa a ser viável, então vamos redobrar os esforços sobretudo porque acreditamos no trabalho, nas pessoas e no Brasil – afirmou Denis a Flávio Oliveira, do Correio24h.

A empresa havia freado novos investimentos na Região Metropolitana. No sul da Bahia, tocou o Cidadelle Office e Cidadelle House, ambos na Rodovia Ilhéus-Itabuna, além do Cidadelle Praia, na zona sul de Ilhéus. A aposta mais ousada, o Cidadelle Office, um prédio comercial na saída de Itabuna para Ilhéus, apesar de concluído, foi afetado pela crise econômica.

LIMITE DE JUROS PARA CHEQUE ESPECIAL COMEÇA A VALER HOJE (6); ENTENDA

Modalidade de crédito com taxas que quadruplicam uma dívida em 12 meses, o cheque especial terá juros limitados a partir de hoje (6). Os bancos não poderão cobrar taxas superiores a 8% ao mês, o equivalente a 151,8% ao ano.

A limitação dos juros do cheque especial foi decidida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) no fim de novembro. Os juros do cheque especial encerraram novembro em 12,4% ao mês, o que equivale a 306,6% ao ano.

Ao divulgar a medida, o Banco Central (BC) explicou que o teto de juros pretende tornar o cheque especial mais eficiente e menos regressivo (menos prejudicial para a população mais pobre). Para a autoridade monetária, as mudanças no cheque especial corrigirão falhas de mercado nessa modalidade de crédito.

Conforme o BC, a regulamentação de linhas emergenciais de crédito existe tanto em economias avançadas como em outros países emergentes. Segundo a autoridade monetária, o sistema antigo do cheque especial, com taxas livres, não favorecia a competição entre os bancos. Isso porque a modalidade é pouco sensível aos juros, sem mudar o comportamento dos clientes mesmo quando as taxas cobradas sobem.

TARIFA

Para financiar em parte a queda dos juros do cheque especial, o CMN autorizou as instituições financeiras a cobrar, a partir de 1º de junho, tarifa de quem tem limite do cheque especial maior que R$ 500 por mês. Equivalente a 0,25% do limite que exceder R$ 500, a tarifa será descontada do valor devido em juros do cheque especial.

Cada cliente terá, a princípio, um limite pré-aprovado de R$ 500 por mês para o cheque especial sem pagar tarifa. Se o cliente pedir mais que esse limite, a tarifa incidirá sobre o valor excedente. O CMN determinou que os bancos comuniquem a cobrança ao cliente com 30 dias de antecedência.

PREÇO DA CARNE CAI PARA O CONSUMIDOR, APONTA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

Preço da carne tem queda para o consumidor, segundo Mapa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está divulgando que a cotação da arroba (15 quilos) do boi gordo diminuiu de valor no final de dezembro, queda média de 15%. Conforme levantamento periódico do Mapa, a arroba do boi gordo estava cotada a R$ 180 no último dia 30. No início do mês passado, chegou a R$ 216.

Conforme o ministério, o preço da carne vai reduzir para o consumidor final. O cenário “indica uma acomodação dos preços no atacado, com reflexos positivos a curto prazo no varejo”, descreve nota que acrescenta que a alcatra teve “4,5% de queda no preço nos últimos sete dias.”

Segundo projeções do Mapa, a arroba vai ficar entre R$ 180 e R$ 200 nos próximos meses, dependendo da praça. A queda do valor interrompe a alta de 28,5% que salgou o preço da carne nos últimos seis meses. A perspectiva, porém, é de que o alimento não volte ao patamar inferior. “Estamos fazendo a leitura de que isso veio para ficar, um outro patamar do preço da carne”, avalia o diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento do Mapa, Sílvio Farnese.

“Eu tenho certeza que o preço não volta ao que era”, concorda Alisson Wallace Araújo, dono de dois açougues e uma distribuidora de carne em Brasília. Segundo ele, no Distrito Federal, o quilo do quarto traseiro do boi estava custando para açougues e distribuidoras de carne R$ 13,50 há seis meses. Chegou a R$ 18,90 em novembro, e hoje está em R$ 17,70.

ESTABILIZAÇÃO DOS PREÇOS

Há mais de uma razão para a provável estabilização dos preços em valores mais altos do que há um ano. O mercado internacional tende a comprar mais carne brasileira, os produtores estão tendo mais gastos ao adquirir bezerros e a eventual recuperação econômica favorece o consumo de carne no Brasil. :: LEIA MAIS »

MULTA ADICIONAL DE 10% DO FGTS É EXTINTA EM DEMISSÕES SEM JUSTA CAUSA

Os empregadores deixarão de pagar a multa adicional de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em demissões sem justa causa. A taxa foi extinta pela lei que instituiu o saque-aniversário e aumentou o saque imediato do FGTS, sancionada no último dia 12  de dezembro pelo presidente Jair Bolsonaro. A mudança passou a valer neste primeiro dia de 2020.

A multa extra aumentava de 40% para 50% sobre o valor depositado no FGTS do trabalhador a indenização paga pelas empresas nas dispensas sem justa causa. O complemento, no entanto, não ia para o empregado. Os 10% adicionais iam para a conta única do Tesouro Nacional, de onde era repassado ao FGTS, gerido por representantes dos trabalhadores, dos empregadores e do governo.

Criada em junho de 2001 para cobrir os rombos no FGTS deixados pelos Planos Verão (1989) e Collor 1 (1990), a multa adicional de 10% deveria ter sido extinta em junho de 2012, quando a última parcela dos débitos gerados pelos planos econômicos foi quitada. No entanto, a extinção dependia da edição de uma medida provisória e da aprovação do Congresso Nacional.

Em novembro, o governo incluiu o fim da multa na Medida Provisória 905, que criou o Programa Verde e Amarelo de emprego para estimular a contratação de jovens. O Congresso, no entanto, inseriu a extinção da multa complementar na Medida Provisória 889, que instituiu as novas modalidades de saque do FGTS.

TETO DE GASTOS

O fim da multa adicional abrirá uma folga no teto federal de gastos. Isso porque, ao sair da conta única do Tesouro para o FGTS, o dinheiro era computado como despesa primária, entrando no limite de gastos.

Inicialmente, o Ministério da Economia havia informado que a extinção da multa de 10% liberaria R$ 6,1 bilhões para o teto em 2020. No entanto, o impacto final da medida ficou em R$ 5,6 bilhões. :: LEIA MAIS »

SEM AUMENTO REAL, SALÁRIO MÍNIMO SERÁ DE R$ 1.039 EM 2020

Salário mínimo de 2020 não terá aumento real

O salário mínimo de 2020 será de R$ 1.039,00 mensais, conforme estabelecido em Medida Provisória assinada nesta terça-feira (31) pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. O novo salário não teve aumento real.  O percentual cobre somente a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) prevista para todo o ano de 2019.

O governo considerou o INPC dos meses de janeiro a novembro e para o mês de dezembro a mediana das projeções de mercado apuradas pelo último Boletim Focus do Banco Central. A decisão implica, para remunerações vinculadas ao salário mínimo, na fixação dos valores de referência diário de R$ 34,63 e de referência horário R$ 4,72 por hora.

O governo informou que foi utilizado o valor de R$ 999,91 para calcular o salário mínimo de 2020, ou seja, o reajuste foi aplicado a partir de uma base mais alta do que o salário mínimo vigente. Por fim, a proposta foi arredondada para o número inteiro imediatamente superior, sem casas decimais (centavos), chegando-se a R$ 1.039,00 mensal.

O governo informou ainda que a recente alta do preço da carne pressionou a inflação e, assim, gerou uma expectativa de INPC mais alto, o que está refletido no salário mínimo de 2020. Mas como o valor anunciado ficou acima do patamar anteriormente estimado, será necessária a realização de ajustes orçamentários posteriores, a fim de não comprometer o cumprimento da meta de resultado primário e do teto de gastos definido pela Emenda Constitucional nº 95.

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese),  o valor do mínimo serve de referência para 49 milhões de trabalhadores em todo o país.

ESTADOS E MUNICÍPIOS RECEBEM R$ 11 BILHÕES DA CESSÃO ONEROSA DO LEILÃO DO PRÉ-SAL

Leilão do pré-sal gerou R$ 11 bilhões em cessão a estados, municípios e DF || Foto Divulgação

A Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) informou nesta segunda (30) que emitiu ordens bancárias no valor de R$ 11,73 bilhões para o Banco do Brasil creditar nas contas de estados, municípios e Distrito Federal. O montante, que estará disponível a partir de hoje (31), se refere a valores arrecadados pelo governo, a título de bônus de assinatura, no leilão do excedente da cessão onerosa de duas áreas do pré-sal da Bacia de Santos.

Na sexta-feira passada (27), a Petrobras e as companhias chinesas CNODC e CNOOC concluíram o pagamento dos R$ 69,96 bilhões do leilão, realizado no início de novembro. O consórcio que arrematou os campos de Búzios e Itapu pagou os R$ 35,54 bilhões que faltavam para quitar o bônus de assinatura do leilão.

Do total, a Petrobras desembolsou R$ 28,72 bilhões e as empresas chinesas, R$ 6,82 bilhões. No último dia 10, as empresas haviam antecipado o pagamento de R$ 34,42 bilhões. Na ocasião, o Ministério da Economia disse que a ANP faria a transferência dos valores nesta segunda-feira.

A partilha só foi possível porque o Congresso aprovou uma emenda à Constituição que excluiu do teto federal de gastos o repasse aos entes locais. A União ficou com 67% do valor que sobrou após o pagamento à Petrobras, os estados e o Distrito Federal com 15%, os municípios com mais 15%, e os estados produtores de petróleo, com 3% adicionais.

“O processo que envolveu Secretaria do Tesouro Nacional, Ministério de Minas e Energia, além da ANP e do BB, refere-se aos ditames da Lei nº 13.885/2019, que estabeleceu critérios de distribuição de parte dos valores arrecadados com o leilão do excedente da cessão onerosa a estados e municípios”, informou a agência.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA FARÁ PARTE DE CONTEÚDO DO ENSINO INFANTIL E FUNDAMENTAL

Crianças do Ensino Infantil vão começar a ter aula de educação financeira || Foto Arquivo EBC

Antonia, auxiliar de escritório, todos os dias compra uma balinha ou um chocolate, no ponto de ônibus, na volta do trabalho, que custa R$ 0,50. “Eu não dava importância para aquele gasto. Imagina, R$ 0,50 não é nada! Mas eu nunca consegui economizar um centavo”. Fazendo as contas, esses centavos viram R$ 11 em um mês e R$ 132 em um ano.

São situações como esta, retirada de livro didático disponível online, que ensinam estudantes de escolas em várias parte do país a terem consciência dos próprios gastos e a ajudar a família a lidar com as finanças. A chamada educação financeira, cuja oferta hoje depende da estrutura de cada rede de ensino passa a ser direito de todos os brasileiros, previsto na chamada Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

“É uma grande oportunidade, uma grande conquista para a comunidade escolar do país”, diz a superintendente da Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil), Claudia Forte. “A educação financeira busca a modificação do comportamento das pessoas, desde pequeninas, quando ensina a escovar os dentes e fechar a torneira para poupar água e economizar. Isso é preceito de educação financeira”.

A BNCC é um documento que prevê o mínimo que deve ser ensinado nas escolas, desde a educação infantil até o ensino médio. Educação financeira deve, pela BNCC, ser abordada de forma transversal pelas escolas, ou seja, nas várias aulas e projetos. Parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE), homologado pelo Ministério da Educação (MEC), prevê que as redes de ensino adequem os currículos da educação infantil e fundamental, incluindo esta e outras competências no ensino, até 2020.

A educação financeira nas escolas traz resultados, de acordo com a AEF-Brasil. Pesquisa feita em parceria com Serasa Consumidor e Serasa Experian, este ano, mostra que um a cada três estudantes afirmou ter aprendido a importância de poupar dinheiro depois de participar de projetos de educação financeira. Outros 24% passaram a conversar com os pais sobre educação financeira e 21% aprenderam mais sobre como usar melhor o dinheiro.

SONHO DO RESTAURANTE PRÓPRIO

É com o que aprendeu em sala de aula aos 16 anos que Adria Cristina da Costa, hoje com 18 anos, pretende ter o próprio restaurante. “Foi fundamental para entender que não é só gastar e curtir, mas é preciso pensar em si mesmo, pensar que o dinheiro vai ser necessário um dia”, diz.

Depois da formação, Adria conta que deixou de gastar apenas com roupas, sapatos, bolsas e artigos para a casa os R$ 80 que ganhava como babá e começou a guardar um pouco todo mês. Com o que poupava, comprava salgados, que vendia a R$ 2 com suco. Logo, os R$ 80 por mês, transformaram-se em R$ 100 por dia. “Quando eu tinha 16, 17 anos, eu queria ter o meu próprio restaurante. Ainda não consegui, mas, agora, em 2020, pretendo ter meu próprio negócio”. :: LEIA MAIS »

BANCO DO BRASIL ISENTARÁ CLIENTES DE TARIFA DO CHEQUE ESPECIAL EM 2020

Banco promete isentar cliente de tarifa || Foto Marcelo Camargo

Os correntistas do Banco do Brasil (BB) não pagarão a tarifa sobre o cheque especial que entrará em vigor em junho do próximo ano. Em nota oficial, a instituição financeira informou que optou pela isenção para os atuais e os novos clientes ao longo de 2020.

Segundo o BB, a medida tem como objetivo fortalecer a relação com os clientes. “A isenção da tarifa no cheque especial demonstra proporcionar a melhor experiência para nossos clientes está no centro da nossa estratégia. A medida demonstra que buscamos cada vez mais aliar a oferta de produtos e serviços de qualidade, com a definição de preços e taxas ainda mais competitivos”, disse o presidente do banco, Rubem Novaes, em nota.

Em novembro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou os juros do cheque especial a 8% ao mês, o equivalente a 151,8% ao ano. Atualmente, a taxa está em 12,4% ao mês, o equivalente a 305,9% ao ano.

O teto dos juros entrará em vigor em 6 de janeiro. Para financiar em parte a queda da taxa, o CMN autorizou as instituições financeiras a cobrar, a partir de 1º de junho do próximo ano, tarifa de quem tem limite do cheque especial maior que R$ 500 por mês. Equivalente a 0,25% do limite que exceder R$ 500, a tarifa será descontada do valor devido em juros do cheque especial.

Cada cliente terá, a princípio, um limite pré-aprovado de R$ 500 por mês para o cheque especial sem pagar tarifa. Se o cliente pedir mais que esse limite, a tarifa incidirá sobre o valor excedente. O CMN determinou que os bancos comuniquem a cobrança ao cliente com 30 dias de antecedência.

CONFIRA O HORÁRIO DO COMÉRCIO, BANCOS E SHOPPING JEQUITIBÁ HOJE (24)

Comércio de Itabuna funcionará até as 17h nesta véspera de Natal de 2019

Lojas do comércio central de Itabuna e do Shopping Jequitibá fecham mais cedo nesta terça-feira (24), véspera de Natal. As lojas do comércio abrem às 8h30min e fecham às 17h, conforme convenção coletiva firmada entre patrões e empregados.

O horário praticamente coincide com o funcionamento do Shopping Jequitibá, que tem abertura das lojas às 9h e fechamento às 17h, a exemplo da Praça de Alimentação. Drogaria e lotérica também funcionam até as 17h. Supermercado do shopping fica aberto até as 20h.

BANCOS

Os correntistas e aqueles que ainda precisam de atendimento nas agências bancárias devem ficar atentos, pois hoje os bancos abrem e fecham mais cedo. O tempo será curtíssimo. Apenas duas horas para atendimento, das 9h às 11h, assim como ocorre todos os anos. As agências voltam a funcionar na quinta (26) em horário normal.

ROTA, CIDADE SOL E BRASILEIRO RENOVAM FROTA COM AQUISIÇÃO DE 80 ÔNIBUS

Rota Transportes renova frota com aquisição de ônibus novos || Divulgação

Carletto: investimento, apesar das oscilações da economia

Cidade Sol, Expresso Brasileiro e Rota Transportes, empresas do Grupo Brasileiro, anunciaram a renovação de frota com a chegada de 80 ônibus novos neste final de ano. Os veículos vão operar linhas intermunicipais e interestaduais na Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba e Minas Gerais.

Para o diretor-executivo do Grupo Brasileiro, Paulo Carletto, a renovação responde ao compromisso mantido com as instituições governamentais e sociais, e com os clientes, de modo geral, de manter a qualidade dos serviços prestados. “Apesar das oscilações da economia e da concorrência desleal, temos envidado esforços para modernização da frota em favorecimento ao melhor conforto dos passageiros, na inovação tecnológica e melhoria no atendimento ao cliente”, afirma Carletto.

Os novos veículos adquiridos pelo Grupo Brasileiro têm chassis da Mercedes-Benz, com motores de baixa emissão de ruídos e poluentes, e são equipados com o freio motor auxiliar Top Brake conjugado com o sistema de freio motor convencional. Os ônibus rodoviários possuem ainda sistema antibloqueio de freios ABS, que mantém o veículo estável e em condições de dirigibilidade em situações críticas em frenagens.

WI-FI E TV

Os clientes que embarcam nos veículos da nova frota têm à sua disposição sinal wi-fi para internet e o sistema de entretenimento a bordo, Divertti, que permite acesso a filmes, séries e músicas diretamente do celular, tablet e notebook, e carregador de celular individual em todas as poltronas, que agregam mais conforto e conectividade aos passageiros.

ITABUNA: CINEMARK INVESTE R$ 6 MILHÕES EM COMPLEXO DE CINEMA NO SHOPPING JEQUITIBÁ

Cinemark inaugura complexo com 4 salas de cinema no Jequitibá, em Itabuna

Inaugurado na última quinta (19) no primeiro andar do Shopping Jequitibá, o Cinemark é o único complexo de cinema do sul da Bahia com salas de projeção em 3D. O investimento da Cinemark no completo com quatro salas e 745 lugares é estimado em R$ 6 milhões. É o 88º complexo da marca no país.

Nas quatro salas, são exibidos desde lançamentos e grandes sucessos do cinema até conteúdos especiais oferecidos pela rede. No saguão do complexo estão distribuídos quatro totens de autoatendimento, onde os usuários podem consultar a programação completa e adquirir ingressos e produtos com apenas alguns toques na tela. As compras também podem ser feitas pelo APP Cinemark e pelo site da Rede.

Além disso, as bilheterias contam com leitores de QR Code, para pagamento via aplicativo Mercado Pago. A parceria entre a Rede e a fintech dá R$ 10 de desconto em qualquer compra, ingressos ou itens da bomboniere, a partir de R$ 20 – benefício que pode ser aproveitado até duas vezes ao mês. Clientes Vivo Valoriza e Bradesco também têm o benefício da meia-entrada na compra de ingressos.

Para acompanhar as sessões, o público encontra no snack bar, as tradicionais e saborosas pipocas da Rede, que podem ser salgadas, doces e de sabores especiais, com coberturas como manteiga de churrasco e pipoca ‘n’ cream. No cardápio, o cliente pode também escolher entre pão de queijo, cachorro quente e os salgadinhos chicken popcorn – receita de frango crocante -, além de balas, chocolates e refrigerantes. Uma seleção de combos, que reúnem diversas comidinhas e bebidas, pode ser encontrada com preços especiais.

BAHIA RECEBERÁ R$ 1 BI EM INVESTIMENTOS EM LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

Bahia receberá R$ 1 bilhão de investimentos em transmissão de energia elétrica

A Bahia receberá novas linhas de transmissão de energia elétrica, além de subestações, a partir do resultado do leilão de Transmissão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), na última quinta-feira (19). Dos 12 lotes leiloados, quatro contam com empreendimentos localizados na Bahia.

“Este leilão foi extremamente exitoso para a Bahia, uma vez que teve ampla concorrência e representou um deságio médio de 59,7% nos lotes que envolvem nosso estado, o que significa que a receita dos empreendedores para exploração dos investimentos ficará menor que o previsto inicialmente, contribuindo para modicidade tarifária de energia e representando economia para o consumidor”, disse o secretário estadual de Planejamento, Walter Pinheiro.

“Os investimentos das empresas vencedoras dos lotes com empreendimentos na Bahia são estimados em mais de R$ 1 bilhão, contribuindo para a geração de novos postos de trabalho no interior do estado”, comentou Pinheiro.

O certame contou com uma média de 10 proponentes por lote. Foram negociados 12 lotes com empreendimentos localizados no Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. No total, são 2.470 km de linhas de transmissão e subestações que acrescentam 7800 mega-volt-amperes (MVA) em capacidade de subestações ao sistema. O prazo das obras varia de 36 a 60 meses e as concessões de 30 anos valem a partir da assinatura dos contratos.

EMPREENDIMENTOS NA BAHIA

O lote 9 teve a Neoenergia como vencedora, a partir da oferta de R$ 18 milhões, representando um deságio de 64,%. O lote compreende uma linha de transmissão de 105 quilômetros e subestações com potencial de 500 mega-volt-ampères (MVA), com investimentos estimados em R$ 303,4 milhões. :: LEIA MAIS »

RETOMADA DO MERCADO DE TRABALHO É LENTA E SE APOIA NA INFORMALIDADE, APONTA BC

Mercado se apoia na informalidade, o que “descarta” a carteira de trabalho

A retomada do mercado de trabalho deve ser lenta e apoiada principalmente no setor informal da economia. A conclusão é do Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente pelo Banco Central (BC).

O relatório do BC divulgou dois estudos sobre o mercado de trabalho. Em um deles, o BC concluiu que “o processo de recuperação do mercado de trabalho observado nos últimos anos tem se apoiado primordialmente no setor informal, diferentemente do que foi observado no ciclo de expansão que precedeu a última recessão”.

“O movimento pode estar associado não apenas ao gradualismo que caracteriza a retomada da atividade econômica, mas também a fatores tecnológicos que ampliaram as possibilidades de se ofertar trabalho autonomamente”, diz o BC.

Segundo o BC, entre o quarto trimestre de 2016 e o terceiro trimestre de 2019, o contingente de trabalhadores informais apresentou expressiva elevação (12%), contribuindo com 5 pontos percentuais do aumento de 4,7% da população ocupada.

“A maior parte da contribuição decorreu de aumentos de empregados nos segmentos do setor privado sem carteira e, principalmente, de trabalhadores por conta própria”, explica o BC. Já o emprego formal apresentou queda de 0,4%, nesse período.

Em relação aos rendimentos médios, segundo o relatório, houve incrementos de 4,4% e 4,3% para os trabalhadores formais e informais, respectivamente, interrompendo as tendências observadas na fase anterior. “A massa de rendimentos acumulou alta de 7,5% no período, com a maior parte (4,6 pontos percentuais) repercutindo elevações da população ocupada e do rendimento médio dos trabalhadores informais.”

Em outro estudo, o BC diz que “períodos de contração econômica e recuperação gradual, como o vivenciado pela economia brasileira nos últimos anos, podem provocar aumento da subocupação, saída de pessoas do mercado de trabalho por desalento e entrada de pessoas oferecendo trabalho para complementar a renda domiciliar”.

“Simultaneamente, inovações tecnológicas e alterações da legislação têm contribuído para a flexibilização das relações trabalhistas nos últimos anos”, acrescenta o BC.

Os subocupados são aqueles que trabalharam por menos de 40 horas semanais, estavam disponíveis e gostariam de trabalhar por mais horas. Os desalentados são pessoas que gostariam de ter um trabalho e estavam disponíveis para trabalhar, mas não realizaram busca efetiva por trabalho.

Nesse contexto, diz o BC, “medidas mais amplas de subutilização da força de trabalho – comparativamente à usual taxa de desocupação (TD) – ganham relevância para avaliação do nível de ociosidade no mercado de trabalho”. “A evolução recente dos indicadores alternativos sugere retomada mais lenta do mercado de trabalho do que a apontada pela TD [taxa de desocupação], evolução explicada, em parte, pelo aumento dos subocupados”, concluiu. Da Agência Brasil.



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia